10 referências sobre combate ao racismo (ou inclusão de saberes plurais) – Por: Cidinha da Silva

Hoje vamos tratar sobre combate ao racismo. A luta mundial pela tolerância, igualdade e respeito às diferenças (pluralidade) é um dos tópicos que embasa os pitacos de hoje, dado por Liliane Braga (pesquisadora do tema), a quem passamos a palavra.

Vale mencionar que quando vocês encontrarem o símbolo “@” como flexão, significa designação dupla de gênero, ou seja, refere-se ao feminimo e ao masculino, de modo a representar os dois gêneros no mesmo termo. Bons pitacos!

Meus pitacos dialogam com o 21 de março, lembrado como o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial em razão do massacre ocorrido Shaperville (África do Sul) em 1960, mas também vão um pouco mais além. As publicações elencadas vêm do século passado até aqui e trazem autor@s de África, Europa, América do Sul, Ásia e Caribe.

Cinco das dez trazem autoras protagonistas ou ao lado de autores. Intelectuais e artistas negr@s formam a maioria nessa lista, que inclui um pouco de tudo: relato histórico, biografia, poesia, conto e produções desenvolvidas no interior da academia – por autor@s menos pautad@s na razão iluminista, talvez. Diferentes saberes elencados lado-a-lado que têm muito a dizer (e, espero, a deleitar) a quem se interessa pelo pluralismo e pelo combate aos racismos.

Vamos aos pitacos:

1) BORGES, Rosane da S. Sueli Carneiro. São Paulo: Selo Negro, 2009. 103p.

2) FANON, Frantz. Pele Negra, Máscaras Brancas. Salvador: EDUFBA, 2008. 194p.

3) HALL, Stuart. Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. 434p.

4) JAMES, C. L. R. Os jacobinos negros: Toussaint L´Ouverture e a Revolução de São Domingos. São Paulo: Boitempo, 2010. 396p.

5) Maria Tereza. Negrices em Flor. São Paulo: Edições Toró, 2007.

6) MOORE, Carlos. Fela. Esta vida puta. Belo Horizonte: Nandyala, 2011. 344p.

7) MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: Identidade nacional versus identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 152p.

8) Projeto História – Diásporas. EDUC, nº 44, Programa de Estudos Pós-Graduados em História da PUC-SP, Janeiro/Junho 2012. 413 p.

9) SILVA, Cidinha da. Os nove pentes d´África. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2009. 56p.

10) SANTOS, Boaventura de S. & MENESES, Maria Paula (orgs). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010. 637p.

+ sobre o tema

Santeria

SANTERÍA La santeros o Regla de Osha-Ifá es un conjunto...

Chimamanda Adichie: o perigo de uma única história

Veja a apresentação em vídeo com legenda Eu sou uma...

Obama envia tropas para resgatar meninas da Nigéria

Presidente dos Estados Unidos anunciou o envio de 80...

Pourquoi il n’y a presque pas de Brésiliens noirs dans les stades du Mondial

Grégoire Fleurot Le clip officiel de la Coupe du monde diffusé en...

para lembrar

Veja os novos livros infantis de Edimilson de Almeida Pereira e Cidinha da Silva

Diz o ditado que Exu matou um pássaro ontem com uma...

Santo deus das bananas olhai por eles! por Cidinha da Silva

Olhai pelos tolos seguidores dos idiotas, senhor deus das...

Se a questão fosse rola, os machos a resolveriam entre si

O problema não está na falta de rola, periquita...
spot_imgspot_img

Cidinha da Silva e as urgências de Cronos em “Tecnologias Ancestrais de Produção de Infinitos”

Em outra oportunidade, dissemos que Cidinha da Silva é, assim como Lélia Gonzalez e Sueli Carneiro, autora importante para entendermos o Brasil de hoje e...

Raízes negras, femininas e religiosas: entenda o enredo da Viradouro

Para construir o enredo campeão do carnaval do Rio de Janeiro em 2024, o carnavalesco Tarcísio Zanon, da Unidos da Viradouro, buscou inspiração em tempos...

Costa do Marfim venceu o CAN 2024

Já é conhecido o vencedor da 34ª edição do Campeonato Africano das Nações de futebol: a Costa do Marfim. Primeira parte: vantagem Nigéria A selecção nigeriana, que tinha...
-+=