Após 44 anos, homem negro condenado à prisão perpétua é inocentado nos EUA (vídeo)

Enviado por / FonteBrasil 247

Em 1976, o homem negro de 20 anos Ronnie Long foi acusado de roubar e estuprar uma mulher branca, Sarah Judson Bost (54), na Carolina do Norte (EUA). A mãe de Long e sua esposa defenderam que o jovem era inocente e que estavam com ele no momento do crime. Mesmo diante da ausência de provas sólidas, um júri composto por pessoas brancas condenou Long à prisão perpétua. Ele foi inocentado após 44 anos, na quinta-feira (27), e colocado em liberdade. A reportagem é da revista Fórum.

O advogado de Long, Jaime Lau, relatou que foram entregues provas à justiça que indicavam outro suspeito, mas que foram ignoradas. Depois de 44 anos, um grupo de três juízes do Tribunal de Apelações determinou que Long teve seus direitos violados. A magistrada Stephanie Thacker disse que as provas descartadas incluíam análises de laboratório que não vinculavam Long à cena do crime. Na época, também desapareceram do processo exames de DNA, junto com um registro contendo 43 marcas de digitais, encontradas no local, que não correspondiam às de Ronnie Long, acrescenta a reportagem.

Ao deixar a cadeia aos 64 anos e com um neto que ainda não teve a oportunidade de conhecer, Long desabafou: “Foi uma estrada muito longa, mas acabou. Agora acabou”.

Confira o vídeo: 

+ sobre o tema

Dois são presos por incitar crimes de ódio contra mulheres, negros, homossexuais, nordestinos e judeus

Duas pessoas foram presas nesta quinta-feira, 22, acusadas usarem...

Mulheres negras, moda e racismo

Temos assistido alguma mudança na relação entre mulheres e...

França proíbe espetáculo de humorista considerado antissemita

  O governo francês proibiu nesta terça-feira um espetáculo do...

Aposentado é preso em flagrante por racismo na Tijuca

Viatura da PM atendeu à chamada de clientes revoltados,...

para lembrar

Para existir pretos no topo, quem é que sustenta a base?

"(...) o capitalismo me obrigou a ser bem sucedido"....

A Justiça Militar nos pisoteia

Na próxima vez que o policial militar que pisou no...

Faça a coisa certa!

Levei algum tempo para escolher por me manifestar. Desde...

Pichação racista causa revolta entre alunos da Universidade Mackenzie em São Paulo

Dona de 145 anos de história, a Universidade Presbiteriana...
spot_imgspot_img

A saída contra a extrema direita é negra

A campanha fria e sonolenta de Joe Biden fez os democratas buscarem alternativas e a pressão para que ele abandone a corrida eleitoral está...

Mbappé, a extrema direita e a pergunta: quem tem direito de ser francês?

Quando Mbappé concedeu uma coletiva de imprensa, há poucos dias, um repórter pegou o microfone para fazer uma pergunta ao craque da seleção francesa....

Qual o impacto do racismo nas desigualdades?

Para a polícia de São Paulo, a diferença entre um traficante e um usuário de drogas pode estar na cor da pele, aponta uma...
-+=