Após ofensas machistas, jogadores do Sparta Praga treinam com time feminino

Dois jogadores do time Sparta Praga, da Tchecoslováquia, levaram mais do que uma bronca do técnico por terem disparado comentários machistas contra uma árbitra. Como castigo, o goleiro Tomas Koubek e o meia Lukas Vacha irão treinar com o time feminino do clube para repensarem as declarações de que “lugar de mulher é na cozinha”. O presidente da Federação Tcheca de Futebol, Miroslav Pelta, considerou os comentários “inaceitáveis”.

Do Extra

— Os jogadores irão passar vários dias no campo feminino do clube, para que possam ver que as mulheres têm muito valor fora da cozinha — declarou o clube em comunicado publicado por jornais tchecos.

A capitã do time femino do Sparta Praga, Iva Mocova, aprovou a decisão.

— Nós estamos ansiosas para que os garotos venham treinar conosco — disse Mocova.

O primeiro a fazer o comentário foi Koubek, criticando a juíza Lucie Ratajova, que não viu um impedimento crucial no jogo do Sparta Praga contra Zbrojovka Brno, no domingo. Ao final da partida, que ficou em 3 a 3, o goleiro afirmou que a mulher deveria estar em uma cozinha, e não em um jogo de futebol.

— Mulheres não deveriam apitar um jogo de futebol masculino — atacou.

Pouco depois, o meia Vacha recorreu ao Twitter para endossar a opinião do colega de time. Ele postou uma foto da juíza com a legenda “A cozinheira”.

Após a repercussão negativa, Koubek usou o Instagram para pedir desculpas. Postou uma foto da mulher e da filha pequena, com a legenda: “Imediatamente após o jogo, eu disse algo que me entristece, e gostaria de pedir o perdão de todas as mulheres. Eu amo as minhas meninas e quero que elas conquistem algo de que se orgulhem em suas vidas”.

+ sobre o tema

Feminismo hoje: urgência e atualidade

Programa Feminismo é um termo tão rico quanto complexo. O...

Senado aprova multa para quem paga salário diferente para mulher

Texto, que agora segue para a Câmara, pretende assegurar...

Câmara aprova projeto que proíbe o infanticídio nas comunidades indígenas

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite...

Congresso espanhol será o maior da Europa em nº de mulheres

O Parlamento da Espanha formado nas eleições de 28...

para lembrar

Por que parar na questão de gênero? Vamos trocar a Constituição pela bíblia

Por conta da pressão da Frente Parlamentar Evangélica junto...

Programa Justiça Sem Muros do ITTC lança campanha sobre visibilidade ao encarceramento feminino

Inspirado na arte de Laura Guimarães, o programa Justiça Sem...

Homens que cuidam

João está deprimido. Fez uma consulta com um psiquiatra...

Estudantes do Rio combatem machismo e racismo com projeto transformador

Com o título Solta esse Black, alunas da Escola Municipal...
spot_imgspot_img

Homofobia em padaria: Polícia investiga preconceito ocorrido no centro de São Paulo

Nas redes sociais, viralizou um vídeo que registra uma confusão em uma padaria, no centro de São Paulo. Uma mulher grita ofensas homofóbicas e...

Intolerância religiosa representa um terço dos processos de racismo

A intolerância religiosa representa um terço (33%) dos processos por racismo em tramitação nos tribunais brasileiros, segundo levantamento da startup JusRacial. A organização identificou...

Intolerância religiosa: Bahia tem casos emblemáticos, ausência de dados específicos e subnotificação

Domingo, 21 de janeiro, é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Nesta data, no ano 2000, morria a Iyalorixá baiana Gildásia dos...
-+=