Após quase três décadas, luta de mulheres negras da América Latina contra o racismo continua

Enviado por / FonteSagres Online

Em 1992, grupos femininos negros de 32 países da América Latina e do Caribe se reuniram em Santo Domingo, na República Dominicana, para denunciar opressões e debater soluções na luta contra o racismo. Esse encontro ficou marcado na história e foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, que completou 28 anos no último sábado (25).

Em entrevista ao Manhã Sagres desta segunda-feira (27), a professora da Coordenação de Filosofia e Ciências Humanas do Instituto Federal de Educação de Goiás, Coordenadora do Núcleo de Estudos em Gênero, Raça e Africanidades do IFG e Presidente da Câmara Técnica de Enfrentamento ao Racismo e Diversidade Étnica do Conselho Estadual da Mulher, Janira Sodré, falou sobre a baixa representatividade das mulheres na política e sobre a literatura que ainda existe ao destacar o estereótipo dessas mulheres para a sociedade.

“Há uma representação caricatural pela mulher jovem como símbolo sexual ou pela mulher idosa como a cozinheira que alimenta todos”, afirma.

Há ainda, segundo Janira Sodré, uma invisibilidade para mulheres negras com grande influência na história e na literatura. A professora exemplifica Dandara dos Palmares, guerreira negra do período colonial do Brasil que tirou a própria vida após ser presa para não voltar a ser escrava. Dandara foi esposa de Zumbi dos Palmares.

Atualmente, o Brasil é uma das nações onde o movimento de mulheres negras tem avançado fortemente. “Nós temos grandes nomes brasileiros, e eu vou destacar Beatriz Petronilha, que foi conselheira federal e que pautou a Lei de Educação para a África. Ela já é aposentada, mas teve e tem um papel muito importante no cenário educacional”, lembra.

Outro nome de destaque é o de Sueli Carneiro. Filósofa, escritora e ativista antirracismo do movimento social negro no Brasil, ela fundou uma das ONGs mais importantes sobre mulheres negras no mundo, Geledés. Acompanhe a entrevista na íntegra

+ sobre o tema

‘Moça, você é machista’: trans criam maior página feminista do país

Irmãos descobriram identidade de gênero ao lado de militantes...

Masculino/Feminino: as fronteiras de gênero se misturam

Cada vez mais presentes no debate público no mundo...

Agora, a punição para estupros recairá sobre a vítima

O novo líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC)...

O significado real do feminismo

Exijo ser tratada como ser humano. Estou cansada. Completamente exausta....

para lembrar

Autocuidado: a ciranda política das mulheres negras

A ideia de ativismo, engajamento por direitos e mudanças...

Feminismo à Inglesa?

Sheryl Sandberg, chefe operacional do Facebook, escreveu o livro...

Paes e a desumanização da mulher negra

O Brasil é o país da cordialidade violenta, onde...

Nou Led Nou La. Eu vejo você.

Esta é a base para o encontro histórico de...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=