Artistas pedem fortalecimento de políticas de combate à violência contra a juventude negra

 

Brasília – Artistas que representam a juventude negra e as periferias pediram hoje (5) à presidenta Dilma Rousseff o fortalecimento de políticas para enfrentar e combater a violência que atinge essa parcela da população, na qual se registra grande número de vítimas de homicídio.

A reivindicação foi apresentada em carta assinada por mais de 80 artistas, lida durante a cerimônia de sanção do Estatuto da Juventude pelo rapper e ativista do movimento negro Genival Oliveira Gonçalves, o Gog.

“A violência e a repressão experimentadas por alguns durante as manifestações de junho é o cotidiano da vida dos jovens da periferia, com uma diferença: a substituição das balas de borracha pelas balas de aço, de verdade”, comparou Gog.

No texto, os artistas também pedem a desmilitarização da polícia no Brasil e o fim do termo “auto de resistência” para registrar morte em confronto com a polícia. “No lugar de investimentos em armamentos e presídios, reivindicamos investimentos na construção de escolas, em saúde, em cultura”, sugeriu.

Segundo Gog, a população jovem e negra das periferias é a que mais sofre com a violência, inclusive policial. “A tortura e a repressão policial ainda são práticas no nosso país, e a juventude das periferias é quem mais sofre. Queremos ações de enfrentamento da violência contra a juventude negra”.

Durante o pequeno discurso, o rapper lembrou o ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, desaparecido há mais de 20 dias após uma operação policial na comunidade da Rocinha. “Quantos Amarildos deixarão de existir? Quantos pais de família e pessoas que poderiam contribuir para o futuro do país teremos perdido?”, questionou.

Sancionado hoje, o Estatuto da Juventude compila direitos da população jovem, com idade entre 15 e 29 anos. O estatuto faz com que direitos já previstos em lei, como educação, trabalho, saúde e cultura sejam aprofundadas para atender necessidades específicas dessa faixa etária, que reúne cerca de 51 milhões de brasileiros.

Por: Luana Lourenço, Heloísa Cristaldo e Mariana Tokarnia

A violência contra jovens negros no Brasil 

Fonte: Agência Brasil

+ sobre o tema

Escola infantil é novamente pichada por neonazistas em SP

A escola já havia sido vítima de outras pichações...

Negros e os direitos humanos

Consequências da escravidão Refletir sobre o racismo no Brasil é...

Racismo filho do fascismo

A luta para acabar com as repetidas manifestações de...

Glória Maria diz que sofreu antes de aparecer na TV: ‘Tinha medo do racismo’

Apresentadora comentou a polêmica da morte de Tancredo Neves:...

para lembrar

Goiânia dividida em preto e branco

Cartografia evidencia segregação étnico-racial no espaço urbano da capital Por...

Audiência no STF sobre política de cotas terá 38 expositores

No início do mês de março, entre os dias...

Bombeira negra de Boynton Beach processa cidade após ser retratada como branca em mural

Latosha Clemons, de 48 anos, ingressou na carreira de...

Skinhead é condenado por tentar matar punk

A sessão da 2ª Vara do Tribunal do...
spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=