Barroso: Retomar economia agora é achar que pobre não tem de viver

O ministro Luiz Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou ser contra a flexibilização do isolamento social, medida adotada para tentar controlar a transmissão do novo coronavírus.

No Uol

Em entrevista ao UOL na manhã de hoje, ele criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que vem defendendo a retomada urgente das atividades para minimizar os prejuízos na economia do país.

“Voltar a atividade econômica normal agora é achar que, como pobre consome pouco, tem que morrer. É genocídio, é visão errada da vida. Não dá para colocar tema de saúde pública no varejo da política”, afirmou o ministro.

Barroso relembrou que só ele votou imediatamente pela quarentena entre os ministros do STF, quando foi discutido se as sessões do tribunal deveriam ser suspensas. “Todos os demais achavam que era o caso de continuar”, comentou.

No entanto, ele disse que, naquele momento, o discurso ainda não era de distanciamento social absoluto.

“Embora tenhamos demorado um pouco nessa política do isolamento mais pleno, logo tomamos consciência e vieram as recomendações adequadas. É preciso não ter esse complexo de vira-lata de achar que não estamos fazendo [nada]. Qual é a política correta? É o achatamento da curva, impedir que muitas pessoas contraiam a doença simultaneamente”, afirmou Barroso.

Na avaliação do ministro do STF, a pandemia atingiu por enquanto apenas a classe com maior poder aquisitivo do país. “É preciso ter em conta que o coronavírus atingiu majoritariamente o andar de cima, gente que viaja, gente que é atendida no (hospital Albert) Einstein, na Rede D’Or. Mas à medida que isso se dissemine, vamos fazer um teste do sistema de saúde”, destacou.

Em seu último balanço, divulgado ontem, o Ministério da Saúde confirmou que o Brasil teve 486 mortes e 11.130 casos oficiais.

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Políticas sociais: a urgente mudança de patamar

O Brasil precisa de políticas sociais inovadoras e mais...

Eduardo Campos morre em acidente aéreo em Santos

Jato que estava o presidenciável caiu em aérea residencial...

E se ela fosse culpada?

A morte de Fabiane de Jesus, linchada por seus...

PF intima líder indígena de RO por criticar ações do governo: ‘esse inquérito é ameaça’

A Polícia Federal intimou o líder indígena de Rondônia,...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=