Boletim III CONAPIR – Estado brasileiro ainda vê comunidades de terreiro como folclore

COMUNICADORAS NEGRAS NAS REDES SOCIAIS

Para Mãe Celina de Obá, delegada do Espírito Santo, da cidade de Cachoeiro de Itapumirim, o estado brasileiro ainda precisa mudar o olhar em relação às comunidades de terreiro. “Infelizmente ainda somos vistos como parte do folclore nacional; somos apresentados como produto brasileiro, mas isso não se reverte em conquista de direitos”.

A Yalorixá participa da delegação dos povos de terreiro durante a III Conapir. “Essa é a terceira conferência de promoção de igualdade. Nas anteriores foram tiradas muitas propostas que não foram consolidadas”, afirmou.

Ao tomar como base os dados do IBGE (2010), os povos de terreiro são sem dúvidas uma minoria. A população espírita passou de 1,3% (2000) para 2% (2010). Os seguidores da umbanda ou do candomblé são 0,3%, o mesmo percentual registrado no levantamento anterior.

Os povos de santo entendem que o número de praticantes deve ser maior, já que poucos são aqueles que assumem publicamente a religião que praticam, pois temem represálias verbais, sanções sociais, e até mesmo agressões físicas por parte de outros membros da sociedade.

Celina reconhece que só o fato do povo de terreiro estar representado na conferência é um avanço, mas afirma que as condições não melhoraram imediatamente. “Nosso povo anseia nada mais do que igualdade de tratamento e de oportunidade”.

De acordo com ela, durante a abertura da III Conapir, os povos de terreiro receberam uma resposta positiva ao pedido de encontro com a presidenta. “Estou empolgada com a possibilidade da presidenta Dilma sentar conosco pela primeira vez. Ela se comprometeu a nos receber e a Seppir irá intermediar o encontro”, contou Celina.

 

 

 

COMUNICADORAS NEGRAS NAS REDES SOCIAIS

Acompanhe nossas informações pelo Facebook e pelo Twitter.

Acesse nosso conteúdo também pelo Portal Geledés e pela Agência Patrícia Galvão.

+ sobre o tema

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de...

Programa Erasmus oferece bolsas integrais na Europa

O Erasmus, programa promovido pela União Europeia para fomento a...

Projeto SETA tem novo financiador e amplia trabalho aprofundando olhar interseccional

O Projeto SETA (Sistema de Educação por uma Transformação Antirracista),...

para lembrar

Instituto Steve Biko inscreve para pré-vestibular gratuito

Estudantes oriundos de escolas públicas interessados em ingressar na...

Projeto de estudantes de letras dá aulas de português para refugiados em SP

Objetivo do MemoRef, criado dentro da Unifesp, é integrar...

É proibido dar risadas?

  Reflexões sobre a lei 10639/03 e a prática pedagógica...

A cor da pele ainda distancia brasileiros

Ter sido aluna de escola pública não fazia de...
spot_imgspot_img

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 foi divulgado nesta segunda-feira (13). As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de energia, manejo ecologicamente correto na agricultura e prevenção à violência entre jovens nativos digitais. Essas...

Inscrições para ingresso de pessoas acima de 60 anos na UnB segue até 15 de maio; saiba como participar

Estão abertas as inscrições do Processo Seletivo para Pessoas Idosas que desejam ingressar nos cursos de graduação da Universidade de Brasília (UnB) no período...
-+=