Boneco com camisa de Vinícius Jr. aparece ‘enforcado’ em ponte em Madri; jogador espera punição contra crimes de ódio, diz representante

Enviado por / FonteG1

O boneco foi pendurado simulando um enforcamento. Uma faixa foi colocada na ponte com os dizeres 'Madri odeia o Real', segundo fotos e vídeos divulgados pela mídia local.

O atacante brasileiro Vinícius Jr., do Real Madrid, espera que as autoridades espanholas punam os crimes de ódio depois que um boneco com a camisa nº 20 dele foi pendurado em uma ponte em frente ao centro de treinamento do clube antes do clássico contra o rival Atlético de Madri.

O boneco foi pendurado simulando um enforcamento. Uma faixa foi colocada na ponte com os dizeres “Madri odeia o Real”, segundo fotos e vídeos divulgados pela mídia local.

O Real recebe o Atlético pelas quartas de final da Copa do Rei nesta quinta-feira, e o boneco foi pendurado ao lado de uma faixa nas cores do Atlético (vermelho e branco) com a frase: “Madri odeia o Real”, durante as primeiras horas desta quinta-feira, de acordo com a polícia.

Imagem da faixa com boneco com camiseta de Vinicius Jr. em Madri — Foto: Reprodução/@JanaDahoui

“Vinícius Jr. está ciente da situação, mas está totalmente concentrado no jogo desta noite”, disse um representante de Vinícius Jr..

“Ele discutirá o assunto amanhã com seu clube e equipe jurídica, mas sua posição ainda é a mesma de antes — ele espera punição por parte das autoridades, não notas oficiais”.

A polícia disse que nenhuma acusação tinha sido apresentada, mas que tinha aberto uma investigação por suspeita de crime de ódio após retirar a faixa e o boneco na manhã desta quinta.

Real, Atlético, LaLiga e federação espanhola divulgaram notas oficiais condenando o ato.

Vinícius Jr., de 22 anos, foi alvo de abusos raciais por parte de torcedores adversários em pelo menos três ocasiões: no Camp Nou, contra o Barcelona, em novembro de 2021; no estádio do Atlético, em setembro de 2022; e em Valladolid, no final de dezembro do ano passado.

Os promotores de Madri decidiram não apresentar queixa por cantos racistas de torcedores contra Vinícius Jr. em setembro depois de afirmarem que “duraram alguns segundos” e não constituíram um crime.

Em dezembro, Vinícius Jr. acusou a liga espanhola de continuar a não fazer nada sobre torcedores racistas nos estádios, depois de vídeos divulgados nas redes sociais mostrarem pessoas gritando ofensas raciais e jogando objetos contra ele durante uma partida em Valladolid.

Pelé, Neymar e outras personalidades brasileiras do futebol saíram em defesa de Vinícius Jr. em setembro do ano passado depois que um comentarista de um programa de futebol espanhol criticou o atacante.

Ele disse que Vinícius Jr. não estava respeitando os adversários com suas comemorações, comparando seu comportamento a um macaco — o que imediatamente provocou uma reação contrária nas redes sociais.

Vinícius Jr. emitiu uma declaração em vídeo de dois minutos na ocasião em resposta ao que ele chamou de insulto “xenófobo e racista”, dizendo que ele “não vai parar de dançar” e que “a felicidade de um brasileiro negro sendo bem sucedido na Europa incomoda” muitas pessoas.

+ sobre o tema

Selo Sesc lança Relicário: Dona Ivone Lara (ao vivo no Sesc 1999)

No quinto lançamento de Relicário, projeto que resgata áudios...

Em autobiografia, Martinho da Vila relata histórias de vida e de música

"Martinho da Vila" é o título do livro autobiográfico...

MG lidera novamente a ‘lista suja’ do trabalho análogo à escravidão

Minas Gerais lidera o ranking de empregadores inseridos na...

para lembrar

Corregedoria da Câmara de SP aprova cassação de vereador por fala racista

A Corregedoria da Câmara Municipal de São Paulo aprovou...

Curiosidade sobre como vivem pobres alimenta turismo nas favelas

No início do século 20, a curiosidade sobre como...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da...
spot_imgspot_img

Polícia Civil de Alagoas prende homem por injúria racial e ameaça

A Polícia Civil, por meio da seção de capturas da Dracco, realizou nesta terça-feira (9), o cumprimento de um mandado de prisão contra um...

SP: Vigilante que sofreu racismo religioso no trabalho deve ser indenizado

Uma empresa de segurança e um shopping foram condenados a indenizar um funcionário que foi alvo de racismo religioso por colegas de trabalho. A...

Brasileiras denunciam racismo em palestra, em Harvard: ‘Tem piolho nas tranças?’

Duas brasileiras relataram ter sofrido racismo em uma das palestras da Brazil Conference no último sábado, na universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Naira...
-+=