Polícia indicia por racismo cliente de restaurante suspeito de ofender músico em Porto Alegre

Enviado por / FontePor Pedro Trindade, do G1

Inquérito foi concluído na quinta-feira (26). Músico diz que estava na calçada quando ouviu ofensas. Em depoimento, homem de 36 anos negou acusações, alegou ter autismo e afirmou que reclamou apenas da qualidade sonora da apresentação.

A Polícia Civil concluiu na quinta-feira (26) o inquérito sobre o caso de supostas ofensas raciais proferidas contra o músico Maik Salgado em frente a um restaurante de Porto Alegre onde ele se apresentava. A delegada Andrea Mattos, titular da Delegacia de Polícia de Combate à Intolerância (DPCI), indiciou o cliente do estabelecimento por racismo.

O episódio ocorreu no dia 29 de novembro. O suspeito, de 36 anos, que não teve a identidade revelada, nega as acusações. Segundo a polícia, durante o depoimento o homem alegou ter autismo e afirmou que reclamou apenas da qualidade sonora da apresentação.

“Segundo a vítima e testemunhas, o suspeito teria dito: ‘lugar de macaco é na jaula’. Como se uma pessoa negra não tivesse o direito de estar naquele restaurante, de exercer a profissão de músico. Então entendo que teve um caráter de subjugar uma raça em relação à outra”, explica a delegada.

Procurada pela reportagem do g1, a direção do restaurante disse que não vai se manifestar.

O inquérito foi enviado ao Ministério Público (MP), que decidirá se dá ou não sequência ao trâmite na Justiça. O indiciamento foi embasado a partir dos depoimentos de testemunhas e da análise de imagens das câmeras de monitoramento disponibilizadas.

Relembre o caso

O músico Maik Salgado se apresentou no local e diz que por volta de 22h30 estava na calçada, em frente ao restaurante, quando encontrou o suspeito. Ao identificar o cantor, o cliente teria começado os xingamentos.

“Esse rapaz começou a falar: ‘macaco calado é que faz sucesso, macaco tem que ficar na jaula’. E eu, acho que ele está falando comigo, mas fiquei na minha. Aí ele levantou, olhou pra minha cara, colocou o dedo na minha cara e falou assim: ‘tu é um merda, teu maior talento é ficar calado'”, relatou.

Segundo Maik, não houve nenhuma reação contrária durante o show. Ele conta que o homem não parecia bêbado, porque “as palavras eram muito claras”. Uma funcionária do restaurante teria dito que o cliente estava indo embora porque “estava com vontade de vomitar por causa do músico”.

À época, o cantor contou à reportagem que se apresentava no local havia cerca de sete meses e nunca tinha passado por situação parecida.

Leia também:

Por que injúria racial não é somente um crime contra a honra?

Tenho que admitir, o óbvio precisa ser dito

Por um futuro sem racismo

Entenda o que muda com a equiparação de injúria racial ao crime de racismo

+ sobre o tema

Comentário racista mobiliza Rolezinho das Caras Pretas em shopping de SSA

Após ouvir comentário racista em uma loja do Salvador...

Novo Código da Fifa permite que árbitros terminem o jogo em caso de racismo

Juízes poderão até mesmo atribuir a derrota ao time...

Para especialistas, racismo ainda dificulta acesso da população negra à cidadania

Participantes de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos...

Protesto contra violência policial deixa 5 agentes mortos e 6 feridos nos EUA

Franco-atiradores dispararam contra policiais durante protesto em Dallas. Manifestantes protestaram...

para lembrar

O fim do “apartheid” na educação brasileira

Escrito por Serys  Slhessarenko   Apartheid. Um regime que foi...

Itamaraty julgado por aprovação de candidatos brancos como cotistas

Ação movida pelo MPF aponta que candidatos brancos se...

Para sempre?

A revista "Veja" comemora esta semana, com muitas páginas...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=