Brasil retrocedeu na garantia dos direitos humanos, diz Anistia

‘Estado brasileiro deixa que uma geração de jovens seja assassinada todos os anos’, afirma coordenadora da Anistia Internacional.

Do G1

Reprodução/Anistia

A Anistia Internacional divulgou o relatório anual O Estado de Direitos Humanos no Mundo 2017/2018. O documento afirma que houve retrocesso na garantia dos direitos humanos no Brasil.

A Anistia Internacional convidou para a divulgação do relatório representantes dos índios, parentes de vítimas de violência policial e famílias de presos.

O levantamento sobre os direitos humanos é feito pela Anistia Internacional em mais de 50 países e é divulgado simultaneamente em todo. No Brasil, a direção da Anistia diz que em 2017 houve retrocesso na defesa dos direitos humanos em diversos aspectos.

A Anistia destaca como pontos negativos no Brasil: a pressão por mudanças nas leis, como de redução da maioridade penal e do estatuto do desarmamento; o aumento de homicídios nas grandes cidades; a atuação das polícias nas favelas; as péssimas condições carcerárias; os conflitos por terras e recursos naturais que terminam em mortes, e a violência contra minorias sexuais, adeptos de religiões de origem africana, e os defensores dos direitos humanos.

“O estado brasileiro está deixando que uma geração de jovens, porque a maioria das vítimas são jovens, sejam assassinadas todos os anos”, afirma a coordenadora do levantamento, Renata Neder.

Mas a diretora da Anistia Internacional apontou um aspecto positivo no relatório. “Pessoas comuns têm vindo à público, enviado a sua mensagem aos líderes políticos, aos congressistas, aos presidentes, aos governadores mandando uma mensagem de que precisamos mudar o mundo. Precisamos mudar o mundo a partir do respeito aos direitos de cada um”, enfatiza a diretora da Anistia Internacional, Jurema Werneck.

+ sobre o tema

“Aborto já é livre no Brasil. Proibir é punir quem não tem dinheiro”, afirma Drauzio Varella

Médico mais popular do Brasil, conhecido por quadros na...

Senado argentino veta legalização do aborto; entenda a votação e próximos passos

Votação aconteceu após meses de mobilização de milhões de...

Papa autoriza de forma definitiva que padres perdoem o aborto

Os sacerdotes agora têm a liberdade de absolverem ou...

Fundo Brasil vai doar até R$ 150 mil para projetos na área de Justiça Criminal

Edital é realizado em parceria com a Fundação OAK...

para lembrar

Michelle Fernandes, a dona do poder de transformar mulheres em rainhas africanas

Criadora da "Boutique de Krioula" começou a vender os...

Índios invadem plenário da Câmara para protestar

Sessão foi encerrada com a confusão. Indígenas não querem...

Particepe da plenária estadual da frentex

SÁBADO, 14 DE MAIO - 10h - CÂMARA...
spot_imgspot_img

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...

Impacto do clima nas religiões de matriz africana é tema de evento de Geledés em Bonn  

Um importante debate foi instaurado no evento “Comunidades afrodescendentes: caminhos possíveis para enfrentar a crise climática”, promovido por Geledés -Instituto da Mulher Negra em...
-+=