Cabelo afro: Alguns dos principais salões do mundo não cortam esses fios

A influencer britânica Freddie Harrel é conhecida nas redes por seu afro poderoso, que ela cultiva com produtos, técnicas e profissionais especializados no seu tipo de fio. Mas um experimento que conduziu na última semana revelou uma dificuldade grande para encontrar quem cortasse o seu cabelo não apenas em salões convencionais, mas, especificamente, em alguns considerados os melhores do mundo.

no Estilo UOL

Reprodução/Instagram

Em um vídeo produzido para a campanha “Stylist Hair Equality Initiative” da revista “Stylist”, da qual Freddie faz parte, ela mostra sua peregrinação pelas ruas de Londres ouvindo todo o tipo de desculpa para a recusa em atendê-la.

O objetivo do projeto é conseguir que os salões sejam claros a respeito dos serviços que oferecem (ou seja, se atendem afros ou não), que tenham diversidade étnica em sua comunicação e preços igualitários entre os serviços para todo tipo de fio.

“Eu nunca havia entrado em um salão não-afro antes, mas os comentários e as rejeições doeram bastante. Eu posso ser ingênua, mas estou chocada que no centro de Londres, em 2017, eu ouça comentários como ‘se o seu cabelo fosse mais macio…’ (justo quando você achava que não perdia em nada para a textura do algodão. Ou ‘é tão mais difícil [de arrumar] que custa mais’ (difícil para quem?) ou ainda ‘teremos que cobrá-la £10 a mais’ (quando o tratamento já custa £10!)”, contou Freddie em seu Instagram sobre a busca por atendimento.

“Mas, com sorte, eu também encontrei salões que treinam suas equipes para trabalhar com todo o tipo de cabelo. As experiências que temos em nossas grandes avenidas, de compras a acesso a oportunidades, deveriam refletir a diversidade que há na nossa comunidade. E diversidade não é apenas colocar rostos mestiços em propagandas, é também ter aquela conversa desconfortável…”, concluiu.

Freddie conhece bem a indústria da beleza sobre a qual escreve. Ela é proprietária e fundadora da “Big Hair Don’t Care”, uma marca de extensões capilares.

+ sobre o tema

‘Ainda faltam papéis para a mulher negra’ , diz Ruth de Souza

Filmes da atriz estão em cartaz em mostra no...

A fé tem cor? Templo religioso resiste a racismo após sofrer ameaças

Família de pai de Santo e filhos de Santo da casa...

Assim falou Luiza Bairros

Nascida em 1953, a gaúcha de Porto Alegre Luiza...

As ex-testemunhas de Jeová rejeitadas pelas próprias famílias

Para algumas ex-testemunhas de Jeová do Reino Unido, abandonar...

para lembrar

Léa Garcia

Nascida no Rio de Janeiro, em 11 de março...

Beyoncé canta Tina Turner em espetáculo futurista da nova turnê ‘Renaissance’

Numa performance brilhante, Beyoncé fez o primeiro de seus cinco shows...

A presença de uma Juíza Negra no STF é uma questão de coerência, reparação histórica e justiça

A Constituição Federal, estabelece como objetivo da República Federativa...
spot_imgspot_img

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“O Itamaraty me deu uma bofetada”, diz embaixadora Isabel Heyvaert

Com 47 anos dedicados à carreira diplomática, a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert não esconde a frustração. Ministra de segunda classe, ela se...
-+=