Califórnia é o 1º estado dos EUA a punir discriminação contra cabelos afro

Depois da cidade de Nova York criar uma lei semelhante, agora foi a vez do estado da Califórnia aprovar a medida.

por Mulher 

Em fevereiro deste ano, a cidade de Nova York deu um passo em prol de uma sociedade mais igualitária e diversa, e divulgou que passaria a punir qualquer tipo de discriminação contra pessoas de cabelos crespo. Dessa forma, desde que a medida foi aprovada, residentes do local, principalmente negros, que se sentirem discriminados ou constrangidos por usarem seus cabelos da maneira que bem entenderem, podem fazer denúncias formais dentro da lei.

Agora foi a vez da Califórnia, na última quinta-feira (27), aprovar de maneira unânime uma norma semelhante, se tornando o primeiro estado americano a punir discriminações contra cabelos naturais. Sancionado pelo Senado Californiano ainda em abril, o projeto se configura como uma emenda nas leis anti-discriminação, que passam a incluir “características historicamente associadas à raça e “negritude”.

Segundo a BBC, a lei foi atualizada principalmente após uma série de relatos de negros americanos ao longo dos últimos anos, que eram expulsos de escolas ou demitidos de seus empregos por conta de seus cabelos crespos ou com tranças que, para membros das instituições, eram considerados “anti-higiênicos, não-profissionais” ou “violavam regras nos códigos de vestimentas” dos ambientes. Só para citar um exemplo prático, sabe-se que mulheres militares dos Estados Unidos, até 2017, não podiam servir o exército se tivessem dreads em seus cabelos.

Para a senadora democrata Holly Mitchell, autora do projeto, ele vai desafiar mitos sobre o que é profissionalismo, e exatamente incentivar que empresas, escolas e universidades criem políticas mais inclusivas, que promovam a diversidade. “Homens e mulheres afro-americanos, muitas vezes, tiverem de investir em tratamentos químicos caros, agressivos e até mesmo perigosos para mudar a estrutura de seus cabelos naturais, obedecendo aos padrões de beleza”, falou ela, à CNN.

Que seja só o começo!

+ sobre o tema

O Calvário dos Transgêneros

CeCe McDonald, uma jovem trans sem teto, teve uma...

Custo do machismo no país de Rafinha Bastos: placas e pinos no braço porque disse não

Sexta feira passada eu e mais nove blogueiras feministas...

4 boas razões para um homem bater numa mulher

Um recado para as mulheres vítimas de abuso do...

Nome e sobrenome: a importância das intelectuais negras para a pesquisa acadêmica

Na coluna de estreia, Midiã Noelle sugere que o...

para lembrar

Juíza casa-se com outra mulher

É o primeiro caso no Brasil em que uma...

Jornalista agride mulher e diz que ela mereceu: ‘Barraqueira’

Assessor de comunicação deu um soco no olho de...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=