A estudante Carioca, Lara Rotenberg, de 16 anos viraliza nos EUA ao zombar de ato pró-Trump na Paulista

A estudante carioca Lara Rotenberg, 16, estranhou ao ler a notícia de que cerca de 30 pessoas foram à avenida Paulista manifestar seu amor por Donald Trump e sua aversão por Hillary Clinton, chamada de “a Dilma americana”, no sábado (29).

por Anna Virginia Lalloussier no Folha de São Paulo

Achou engraçado “brasileiros dando pitaco na eleição dos EUA”.

Ainda mais insólita era uma foto que passou por suas redes sociais e foi publicada no site da Folha: um rapaz segurando o cartaz “Gays for Trump” e outra garota levantando outro, “Women [mulheres] for Trump”.

“Salvei-a pensando que poderia dar um bom tuíte”, conta. E assim foi: postou a imagem na rede social com a legenda “Trees for Deforestation”.

Ela explica o raciocínio: “Pensei em alguma comparação idiota que pudesse se igualar à estupidez dos cartazes e terminei por ficar com ‘árvores pelo desmatamento’. Primeiramente, eu escreveria a legenda em português. Mas, como tinha muitos seguidores que falam inglês, resolvi mudar. Se tivesse me mantido o português, com certeza não teria tido 1% da repercussão que acabou por ter”.

O post de Lara Rotenberg no Twitter, até a madrugada de quarta (2), tinha mais de 224 mil curtidas e outros 138 mil compartilhamentos –bem acima dos 3.000 seguidores que tem (calcula ter ganhado uns 500 depois de viralizar).

Ela diz que não sabe como a onda começou. Entre os comentários que recebeu dos novos “fãs”, muitos eram novas analogias. “Algumas sérias, como ‘negros pela escravidão’ ou ‘judeus por Hitler’, e outras envolvendo humor: ‘Galinhas por nuggets’ ou ‘sexo pela virgindade’.”

“Gerou também ódio por parte dos eleitores do Trump”, conta. “Muitos diziam que ele não é contra homossexuais, anexavam uma foto do candidato segurando a bandeira gay. Também acrescentavam que Hillary era contra o casamento gay antes de se candidatar.”

Teve apenas quem parece não ter entendido a ironia de Lara, que no Twitter assina como @withebeaties. “Por favor vá se informar, desmatamento é bom para replantarmos. Nunca tivemos tantas árvores quanto hoje”, comentou um seguidor.

Para Lara, Brasil e EUA não estão tão distantes em termos de “desgraça” política.

“Acreditava que, se você tem que afirmar que é gay, mulher, negro, etc e que ‘mesmo assim’ vota no Trump, há uma contradição. Essas pessoas podem ser a favor do candidato, mas ele com certeza não é ‘a favor’ delas. Comparando com o Brasil, seria o mesmo se fizesse um cartaz ‘gays pelo Bolsonaro’.”

+ sobre o tema

STF começa a julgar nesta terça (18) supostos mandantes da morte de Marielle

O Supremo Tribunal Federal (STF) inicia, na tarde desta...

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

para lembrar

Entrevista de Cidinha da Silva a Joana Pinto e Cláudio Pedrosa

Cláudio Pedrosa: Iniciando com uma questão de identidade ou...

AfroReggae: projeto vai beneficiar alunos de áreas de risco do Rio

Para um grupo de amigas, foi a oportunidade de...

Porta que fecha, outra que abre – Por Fernanda Pompeu

Ontem, uma amiga querida me contava que, faz...

Fundo de Apoio Emergencial: Covid-19

Apoio emergencial para organizações, grupos, coletivos e indivíduos dedicados...

Janja defende direito ao aborto legal, diz que projeto é ‘absurdo’ e afirma que Congresso deve garantir acesso ao SUS

A primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, afirmou que do projeto de lei (PL) 1904, que quer colocar um teto de 22 semanas no acesso ao...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a tramitação em regime de urgência do projeto de lei que equipara aborto acima de 22 semanas...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...
-+=