Cerca de 26 mil frentistas serão capacitados para lidar com questão racial

Rio de Janeiro – Cerca de 26 mil frentistas que trabalham em 4 mil postos de combustíveis da Petrobras (BR) Distribuidora serão capacitados para lidar com questões raciais. O programa de capacitação da empresa, feito em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), foi lançado hoje (13) no Rio. No curso, de uma hora e meia, os funcionários assistirão a um vídeo, debaterão a desigualdade racial e receberão uma cartilha.

O material distribuído no curso explica o que é racismo, como ele afeta a vida das pessoas e as leis que punem crimes raciais, como a Lei Caó (7.716/89) e a Lei 9.459/97, que definiu o crime de injúria racial no Código Penal. Segundo o frentista Wagner Cardoso Monteiro, a cartilha mostra como lidar com situações de preconceito.

“Já aconteceu uma situação com um colega meu, que estava prestando um bom atendimento para o cliente. Só vi na hora em que o cliente saiu desembestado com o carro, chamando-o de macaco e acenando para ele. Se isso acontecer hoje comigo, ou com qualquer colega, agora sei como recorrer”, disse.

Outro objetivo do programa é evitar atitudes racistas entre os próprios colegas de trabalho, segundo a ministra da Seppir, Luiza Bairros. “As relações entre os frentistas são marcadas, muitas vezes, por discriminações que aparecem disfarçadas de brincadeira, mas que nada mais são do que tentativas de manutenção do racismo na sociedade brasileira”, acrescentou a ministra.

A Petrobras também pretende usar o material para capacitar os cerca de 6 mil operários que hoje trabalham nas obras de construção e manutenção da Petrobras.

 

 

Fonte: Jornal do Brasil 

+ sobre o tema

Após sofrer abuso ao vivo, apresentadora mexicana é demitida

A emissora mexicana Televisa anunciou nesta semana a demissão...

Três mulheres contam como aprenderam a aceitar e conviver com o vitiligo

Elas têm diferentes histórias sobre vitiligo, mas um objetivo...

La historia de la jueza a quien le quitaron sus hijas por ser lesbiana

Primer caso de discriminación por orientación sexual que llega...

para lembrar

Daiane dos Santos: ‘Na seleção, não queriam usar o mesmo banheiro que eu’

A ex-ginasta Daiane dos Santos falou sobre atos de...

A cultura dos concursos de Miss e os 30 Homens sobre nossos corpos

O concurso de miss, diversas vezes atacados pelas mais...

As mulheres independentes são fortes e não se escondem à sombra de ninguém!

As mulheres fortes independentes não aceitam ser controladas, porque...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=