Como criar filhos antirracistas? Uma jornada em primeira pessoa

Enviado por / FonteNATALIA PAIVA, El Pais

Creio que o imperativo moral da nossa geração de pais e mães é criar filhas e filhos antirracistas. Não é uma tarefa fácil, principalmente porque somos bastante iletrados sobre o tema. Também porque, depois de séculos de genocídio, silenciamento e exclusão num dos países mais desiguais do mundo, somos insensíveis ao estrondoso barulho do racismo estrutural. Frente a esses desafios, como criar efetivamente filhos antirracistas?

Antes de mais nada, precisamos entender o que é ser antirracista; e a necessidade de falar proativamente sobre o tema com nossos filhos —uma questão sobre a qual eu mesma, como mãe negra de filhos de pele clara, até recentemente tinha dúvidas. Começo pelo segundo ponto, e spoiler: os dados nos asseguram que é melhor falar, e logo.

Talvez seja um choque, mas lá vai: segundo a Academia Americana de Pediatria (AAP), crianças começam a aprender sobre questões raciais desde muito cedo com seus mais influentes professores, os pais, num processo muito similar ao do aprendizado linguístico. Estudos mostram que as crianças conseguem distinguir características raciais e de gênero antes mesmo de aprender a andar. Entre 2 e 4 anos, internalizam vieses raciais. Num estudo com crianças de 3 anos, por exemplo, pesquisadores mostraram fotos de diversas crianças e perguntaram de quem elas queriam ser amigas; 1/3 das crianças negras disseram que queriam ser amigas apenas das crianças negras, ao passo que 86% das crianças brancas disseram querer ser amigas apenas das iguais a elas. Segundo um outro estudo, aos 6 anos elas tanto já entendem que há uma hierarquia racial, como podem elas mesmas já se engajarem em estereótipos racistas diretos.

Leia o artigo completo aqui 

+ sobre o tema

Documentário aborda o apagamento da negritude de Chiquinha Gonzaga

A trajetória de Chiquinha Gonzaga (1847-1935) é analisada sob...

Brasil tem mais de um milhão de casos de dengue este ano

Desde o início do ano, o Brasil registrou 1.017.278...

Representatividade negra importa

Frederick Douglass, W.E.B Du Bois, Rosa Parks, Toni Morrison, Audre Lorde,...

para lembrar

15 coisas que mães adotivas jamais deveriam ouvir

Assim como as atrizes Giovanna Ewbank, Angelina Jolie, e a jornalista...

8 perguntas sobre alienação parental: a construção do desamor

Aceitar mudanças nunca é fácil, principalmente quando elas não...

Mortalidade materna no Brasil teve queda de 21% de 2010 para 2011

Pesquisa divulgada nesta sexta pelo Ministério da Saúde indica...
spot_imgspot_img

Representatividade negra importa

Frederick Douglass, W.E.B Du Bois, Rosa Parks, Toni Morrison, Audre Lorde, Nina Simone. Quem é minimamente versado na história dos Estados Unidos (naquilo que ela tem...

‘Meu filho é órfão de mãe viva’: veja relatos de 5 mulheres acusadas de alienação parental após denunciar homens por violência ou abuso

Cristiane foi obrigada a ficar sem contato com a filha e entregá-la ao pai por 90 dias. Isabela* foi ameaçada pelo companheiro. Jéssica* e...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da Universidade Federal de Santa Catarina, lança nesta quarta-feira (21) o quinto vídeo de sua campanha de divulgação...
-+=