Como esta roupa íntima pode ajudar a manter milhares de meninas africanas na escola

Quando a designer de produto Diana Sierra estava na faculdade, ela fez um estágio em Uganda, na África. Lá, algumas garotas  a confidenciaram que era muito difícil ir à escola durante o período menstrual, pois era raro (e caro) encontrar absorventes. Sendo assim, elas simplesmente deixavam de assistir as aulas.

Do Hypeness

De acordo com a UNICEF, uma em cada 10 garotas não vai à escola durante a menstruação. Em entrevista, Diana contestou: “Nós não estamos falando de foguetes espaciais; estamos falando de absorventes higiênicos. No entanto, ambos têm o mesmo efeito. Eles nos levam à lugares”.

Leia Também: Como Coletores Menstruais Estão Mudando A Vida Das Mulheres Na África

africa2

Hoje a ONG de Diana, Be Girl, trabalha para garantir que todas as garotas que desejam ir para escola possam fazê-lo – menstruadas ou não. A designer lançou uma roupa íntima almofadada reutilizável com bolsas impermeáveis que pode ser abastecida com qualquer material absorvente, como pano, algodão ou papel higiênico: “Basta enchê-la com qualquer coisa que é seguro”.

Quando a bolsa está cheia, é só substituir o material. Já a peça é fácil de lavar e seca facilmente. Sobre sua criação, Diana comenta: “Isso não é sobre o produto em si, é sobre o que as meninas sentem quando o têm. Uma delas me disse ‘O que eu mais gosto dele é que me sinto orgulhosa em ser menina‘”.

Abaixo um vídeo de apresentação do projeto:

BE GIRL Empowering women through design from Be Girl on Vimeo.

africa4

Todas as imagens via Be Girl

+ sobre o tema

Sororidade: o valor da aliança entre as mulheres

Sororidade é um pacto social, ético e emocional construído...

As cenas de sexo que ‘ninguém quer ver’

Um casal prestes a comemorar um importante aniversário de...

Pornografia de vingança

No fim da tarde de sexta-feira , o vice-presidente...

para lembrar

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O...

4 razões pelas quais a publicidade deveria abraçar (mesmo!) a diversidade

Estudos acadêmicos podem ser fascinantes... e muito confusos. Decidimos...

Mulheres têm de omitir o gênero para que seus trabalhos sejam aceitos

Pesquisa mostra que programadoras têm projetos rejeitados apenas por...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres, diz pesquisa

Os homens eram maioria entre os empregados por empresas e também tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021, indica a...
-+=