Conceição Evaristo: a literatura como testemunho

A autora estará no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro dia 10/05 pelo Clube de Leitura CCBB 2023

A leitura de Olhos D’água reforça a questão dos  diversos dilemas sociais e existenciais que envolvem as experiências de afro-brasileiros 

Olhos D’água é o livro que a escritora Conceição Evaristo, um dos nomes mais importantes e necessários da literatura brasileira contemporânea, lerá no encontro de maio do Clube de Leitura CCBB 2023, patrocinado pelo Banco  do Brasil.  O encontro acontecerá no dia 10 de maio, às 17h30, na Biblioteca Banco do Brasil, no 5º andar do CCBB RJ. A entrada é gratuita e terá participação virtual de Eliana Alves Cruz, autora, entre outros, dos livros Água de Barrela , O crime do Cais do Valongo e Solitária. 

Foi do público a escolha do livro de Conceição Evaristo, via Instagram do CCBB. Olhos D’água , publicado em 2014, é composto por quinze contos que abordam a história de personagens negras,  silenciadas pelo racismo, pelas imposições econômicas, por condições degradantes de trabalho e pelas questões de gênero. Não somente a subordinação, mas a violência a que homens e mulheres são submetidos quando não somente a cor da pele influencia, mas as condições precárias com as quais são obrigados a conviver. 

De acordo com a curadora, pelo segundo ano, do Clube de Leitura CCBB 2023, Suzana Vargas, a presença de Conceição Evaristo, para além da sua importância enquanto poeta, ficcionista e ensaísta, é enriquecer a diversidade de temas tratados pelo Clube. “Ela chega com sua voz e obra poética poderosa para nos fazer mergulhar no universo predominantemente feminino, denunciando a violência e discriminação racial sofridas por nosso povo, em especial nossas mulheres ao tempo em que revela nossa diversidade enquanto nação”, afirma.

Seus contos e poemas relatam e denunciam a profunda desigualdade sempre reinante no Brasil. Suzana Vargas reforça suas afirmações ao citar livros como o escolhido Olhos D’água com contos contundentes, em que personagens e situações levam o leitor a perceber de que forma o preconceito racial se soma ao preconceito social.  “Essa é a sua marca, sua produção literária nos lembra de nossa diversidade racial e cultural”, explica.

Em abril, a programação levou o moçambicano Mia Couto para o CCBB, depois da estreia, em março, com Antônio Torres, Lilian Fontes e Ana Maria Machado numa homenagem à Nélida Piñon. Os vídeos dos encontros ficam disponíveis, na íntegra, no YouTube do Banco do Brasil.

Sobre o Clube de Leitura CCBB

Os encontros do Clube acontecem no Salão de Leitura da Biblioteca Banco do Brasil, localizada no quinto andar do CCBB Rio, até dezembro, sempre na segunda quarta-feira de cada mês, com entrada gratuita, mediante retirada dos ingressos na bilheteria do CCBB RJ ou pelo site bb.com.br/cultura. A mediação é da curadora Suzana Vargas e o microfone será aberto para a plateia nos 30 minutos finais dos encontros. A gravação integral será disponibilizada no canal do Banco do Brasil no YouTube, na semana seguinte ao evento.

A Biblioteca Banco do Brasil foi fundada em 1931, voltada para as áreas de Administração, Finanças e Economia. Com a criação do Centro Cultural, em 1989, o acervo foi ampliado para as áreas de Artes, Literatura e Ciências Sociais e hoje possui mais de 200 mil exemplares, em constante atualização, ocupando todo o quinto andar deste prédio centenário.


Conceição Evaristo é ficcionista e ensaísta. Graduada em Letras com ênfase em Literatura pela UFRJ, tem mestrado em Literatura Brasileira pela PUC-Rio e doutorado em Literatura Comparada pela UFF. Sua primeira publicação (1990) foi na série Cadernos Negros do grupo Quilombhoje.

Ao todo, são sete livros publicados, entre eles o vencedor do Jabuti Olhos D’água (2015); cinco desses livros foram traduzidos para o inglês, francês, espanhol, árabe e eslovaco.

Conceição coleciona o Prêmio do Governo de Minas Gerais pelo conjunto de sua obra; Prêmio Nicolás Guillén de Literatura pela Caribbean Philosophical Association; Prêmio Mestra das Periferias pelo Instituto Maria e João Aleixo, além de ter sido homenageada com a Ocupação Conceição Evaristo pelo Itaú Cultural e em diversas Feiras Literárias.

Teve três de seus sete livros aprovados no PNLD Nacional e também foi a escritora homenageada da Olimpíada de Língua Portuguesa pelo Itaú Social.

 Lançou as obras Ponciá Vicêncio e Insubmissas lágrimas de mulheres no Salão do Livro de Paris; seu Poemas da Recordação e Outros Movimentos em edição bilíngue (Português/Francês) também no Salão do Livro de Paris e Olhos D’água, em francês, pela Editora Des Femmes.

Foi homenageada pelo Prêmio Jabuti ainda em 2019 como personalidade literária. Em 2022, Conceição tomou posse da Cátedra Olavo Setúbal de Arte, Cultura e Ciência, da USP.


Suzana Vargas é poeta, ensaísta, escritora e professora e mestre em Teoria Literária pela UFRJ. Publicou 16 livros, entre os quais Caderno de Outono, finalista do prêmio Jabuti. Tem poemas traduzidos em países como Itália, Estados Unidos, Espanha, Alemanha e França. Fez a curadoria de importantes projetos literários para feiras e eventos nacionais e internacionais como as Bienais do Livro do Amazonas, do Rio de Janeiro e de São Paulo, a Primavera dos Livros, a campanha Paixão de Ler e os Encontros com a Literatura Latino-Americana do Centro Cultural do Banco do Brasil. Assina a coluna mensal “Escrever para Lembrar” no portal Publishnews – 2021. Há 27 anos criou e coordena o espaço de oficinas de criação literária Estação das Letras, único no país.


SOBRE O CCBB RJ – Inaugurado em 12 de outubro de 1989, o CCBB está instalado em um edifício histórico, projetado pelo arquiteto do Império, Francisco Joaquim Bethencourt da Silva. Marco da revitalização do centro histórico do Rio de Janeiro, o Centro Cultural mantém uma programação plural, regular e acessível, nas áreas de artes visuais, cinema, teatro, dança, música e pensamento. O prédio dispõe de 3 teatros, 2 salas de cinema, cerca de 2 mil metros quadrados de espaços expositivos, auditórios, salas multiuso e biblioteca com mais de 250 mil exemplares. Os visitantes contam ainda com restaurantes e cafeterias e loja, e serviços com descontos exclusivos para clientes BB. O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro funciona de segunda a domingo, das 9h às 21h, no domingo, das 9h às 20h, e fecha às terças-feiras. Aos domingos, das 8h às 9h, o prédio e as exposições abrem em horário de atendimento exclusivo para visitação de pessoas com deficiências intelectuais e/ou mentais e seus acompanhantes, conforme determinação legal (Lei Municipal nº 6.278/2017).


SERVIÇO:

Clube de Leitura CCBB 2023

10 de maio de 2023

Às 17h30

Evento Gratuito

Classificação indicativa: Livre

Ingressos disponíveis na bilheteria do CCBB ou pelo site bb.com.br/cultura a partir das 9h do dia do encontro.

Imagens de divulgação:  https://1drv.ms/f/s!AlbY09-G5paug4hi1_ojQ2tLZzrvoA

Centro Cultural Banco do Brasil

Rua Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro.

Biblioteca Banco do Brasil – 5º andar

Contato: 21 3808-2020 | [email protected]

bb.com.br/cultura | twitter.com/ccbb_rj | facebook.com/ccbb.rj | instagram.com/ccbbrj

+ sobre o tema

Como resguardar as meninas da violência sexual dentro de casa?

Familiares que deveriam cuidar da integridade física e moral...

Luiza Bairros lança programas de combate ao racismo na Bahia

O Hino Nacional cantado na voz negra, marcante, de...

Barbados se despede de rainha Elizabeth e dá a Rihanna título de heroína

Rihanna foi nomeada heroína nacional de Barbados durante uma...

para lembrar

As Duas Cores de Machado de Assis

"Mulato, ele foi de fato, um grego da melhor...

Literatura negra não caiu na graça do mercado, diz autor de Cidade de Deus

Em entrevista ao G1, Paulo Lins falou sobre samba,...

Em debate na Flica, Livia Natália diz: ‘Eu digo como quero ser representada’

Poeta baiana participou de mesa ao lado de Sapphire,...

Tradição exemplar: Negroesia, de Cuti

Por Jônatas Conceição da Silva1 Acredito que...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Morre Maryse Condé, grande voz negra da literatura francófona, aos 90 anos

Grande voz da literatura francófona, a escritora de Guadalupe Maryse Condé morreu na madrugada desta terça-feira (2), segundo informou à AFP seu marido, Richard Philcox. A causa...

USP libera mais de 900 livros para baixar de graça; faça o download

A grana está curta para comprar livros? Temo uma excelente notícia! A Universidade de São Paulo (USP) disponibiliza uma biblioteca virtual com mais de 900 livros...
-+=