Conselho Seccional da OABRJ reafirma apoio às cotas raciais e de gênero nas eleições da Ordem e da Caixa

Enviado por / FontePor Clara Passi, da OAB RJ

Em reunião recente, o Conselho Seccional da OABRJ declarou por unanimidade apoio às cotas raciais e de gênero que vão começar a valer nas próximas eleições da Ordem dos Advogados do Brasil, em novembro. As chapas que concorrem à gestão do sistema OAB, em todos os níveis, inclusive nas Caixas de Assistência, terão a obrigação de observar o percentual de  50% para mulheres e 30% para advogados pretos e pardos. A ação afirmativa foi aprovada pelo Conselho Federal da OAB em novembro de 2020. 

O tema foi levado à pauta do Pleno pelo conselheiro seccional da OABRJ Humberto Adami, que preside a Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, do Conselho Federal da OAB e da seccional fluminense. 

“As galerias de fotos de ex-presidentes em todos os quatro cantos do país não mentem. Em regra geral, exibem homens brancos. A OAB ingressa, em novembro, na mais profunda revolução silenciosa de sua história. A Ordem jamais será a mesma”, diz a nota de apoio do colegiado às cotas.

Leia o texto na íntegra:

Nota do Conselho Seccional da OAB do Rio de Janeiro

O Conselho Seccional da OAB do Rio de Janeiro, reunido no último dia 5 deste mês, à unanimidade, resolveu aprovar a presente Nota de Apoio às cotas raciais e de gênero, que estão programadas para serem realizadas nas próximas eleições da Ordem dos Advogados do Brasil, com percentuais de 50% para mulheres e 30% para advogados e advogadas pretos e pardos, em todos os níveis das chapas da OAB, inclusive na Caixas de Assistência. 

Por iniciativa do conselheiro seccional da OABRJ, Humberto Adami, que também preside a Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, do Conselho Federal da OAB, e a Estadual desta Seccional do Rio de Janeiro, o egrégio Conselho Pleno entendeu que a realização das próximas eleições com tais características constituem excepcional avanço da entidade na inclusão de vasto contingente da população de advogados e advogadas, que tem permanecido fora das ferramentas da gestão da instituição.  

As galerias de fotos de ex-presidentes em todos os quatro cantos do país não mentem. Em regra geral, exibem homens brancos. A OAB ingressa, a partir de novembro, na mais profunda revolução silenciosa de sua história. A Ordem jamais será a mesma. Por tais razões, que incentivam a discussão do racismo no Brasil, decorrente da escravidão, e suas consequências até os dias de hoje, é que o Conselho Seccional da OAB do Rio de Janeiro, expressa total apoio às medidas aprovadas pelo Conselho Federal em novembro último, e estará acompanhando a sessão do próximo dia 24 de agosto, em Brasília-DF.  

Rio de Janeiro , 17 de agosto de 2021
Conselho Seccional

+ sobre o tema

Estado tem pelo menos quatro grupos neonazistas

RIO — Há exatamente um mês, a prisão em...

MPF acusa União de censura, racismo e homofobia por vetar propaganda do BB

O Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do...

Caso Mãe Bernadete: suspeitos de matar líder quilombola com 12 tiros na Bahia são identificados

Os suspeitos de assassinarem Bernadete Pacífico, liderança quilombola baiana e...

Histórias de fronteira: “Vocês, brancos, não têm alma”, de Jorge Pozzobon

  O livro “Vocês, brancos, não têm alma”,...

para lembrar

Presença do negro na TV também pode ser preconceito, considera apresentadora

Por: Cojira/SP"Entrei na TV por uma brecha: vamos colocar...

Nº de jovens negros na universidade quadruplica, mas 91% ainda estão fora

Censo da Educação Superior 2011 mostra grande avanço de...
spot_imgspot_img

Racismo em escolas de Niterói: após reunião com mãe de dois adolescentes vítimas de insultos, deputada vai oficiar MP, polícia e prefeitura

Após uma reunião com Renata Motta Valadares, mãe de dois adolescentes de Niterói que foram vítimas de racismo em duas diferentes escolas particulares, a deputada estadual...

Câncer: racismo aumenta mortes entre população negra, indica estudo

Dados do Ministério da Saúde, levantados por pesquisadores do Rio de Janeiro e divulgados em abril último, demonstram que o acesso ao diagnóstico e...

Censo 2022: taxa de analfabetismo entre pretos e pardos é mais que o dobro da registrada entre brancos

A taxa de analfabetismo entre a população negra é mais do que o dobro da registrada entre os brancos. Enquanto o índice de pretos...
-+=