Contra o racismo, usuários das redes sociais se mobilizam em oposição à página ‘Eu não mereço mulher preta’

Uma página criada para promover o racismo está incomodando usuários das redes sociais, mulheres, ativistas e todas as pessoas que têm consciência e respeito ao próximo. Intitulada ‘Eu não mereço mulher preta’, ela exprime a discriminação racial e a violência contra a mulher.

Por Andréia Pereira Do DM

O dono da página, supostamente, seria Gustavo Guerra Rizzotto, que já é conhecido das ONGs que se posicionam contra o preconceito. Ele costuma divulgar por meio do You Tube vídeos em que afirma ser simpatizante do nazismo e à favor do estupro.

O Facebook já havia bloqueado uma página com o mesmo nome, mas o criador dela insiste em promover o racismo e criou uma outra. “A nossa última página caiu, portante criamos outras. Não iremos nos deixar calar pelo politicamente correto”, afirmou. Ele, além de promover o preconceito, incentiva o estupro.

Para rebater a discriminação, uma outra página foi criada com o nome ‘Denunciar o nazista Gustavo Guerra’. Entre as publicações, uma ativista aparece em um vídeo falando sobre o racismo e lembrando que os posts da página racista se configuram crime.

Os organizadores incentivam os seguidores a denunciarem a outra página para a Polícia Federal e o Ministério Público. Os usuários argumentam que a ação não pode ocorrer. “Esse tipo de atitude criminosa e covarde não pode continuar em lugar algum”, escreveu um internauta Uma outra declara que é preciso reunir provas. “Acho que o mais importante é juntar o material que eles publicaram e denunciar na polícia”, pontua.

http://youtu.be/t1gfFUMDTRQ

+ sobre o tema

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria...

para lembrar

Carta aberta a uma mãe

Carta aberta de uma mãe que não sabe o...

Zagueiro do Manchester é multado em R$ 140 mil por racismo no Twitter

O zagueiro do Manchester United Rio Ferdinand foi multado...

Descolonizar a língua e radicalizar a margem

Uma resenha sobre “Um Exu em Nova York” de...

“Kbela”, filme sobre a relação da mulher negra com o cabelo crespo, foi eleito melhor do MOV

O curta-metragem carioca Kbela, da diretora Yasmin Thayná (PUC-Rio),...
spot_imgspot_img

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...

“O Itamaraty me deu uma bofetada”, diz embaixadora Isabel Heyvaert

Com 47 anos dedicados à carreira diplomática, a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert não esconde a frustração. Ministra de segunda classe, ela se...
-+=