Corpo de Maria Eduarda tinha quatro ferimentos, dizem peritos

Peritos que estiveram na Escola Municipal Daniel Piza, na Pavuna, Zona Norte do Rio, onde a menina Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, morreu, identificaram quatro ferimentos no corpo dela. Segundo essa análise feita no local do crime, foram duas lesões nas nádegas e outras duas no pescoço.

Por Ana Carolina Torres, do Extra 

Maria Eduarda Alves morreu vítima de uma bala perdida Foto: Facebook / Reprodução

O atestado de óbito de Duda, como a garota era conhecida, cita os ferimentos que atravessaram o pescoço, localizados perto na nuca. O laudo da necrópsia, feita no Instituto Médico-Legal (IML), deve ficar pronto em até 30 dias.

Os pais de Maria Eduarda mostram a camisa que a estudante vestia quando foi baleada Foto: Antonio Scorza / Antonio Scorza

A menina será enterrada neste sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, em Mesquita, na Baixada Fluminense.

Tiros durante a aula de educação física

Duda cursava o 7º ano do ensino fundamental e estava participando de uma aula de educação física na escola quando foi baleada, por volta das 17h desta quinta-feira. Segundo a Secretaria municipal de Educação, a mãe dela passou mal ao saber da morte da adolescente.

Quando a menina foi ferida, policiais e bandidos travavam um confronto no conjunto habitacional Fazenda Botafogo, na Avenida Professora Sá Lessa, perto do colégio. Não se sabe se o disparo que matou Maria Eduarda partiu de um PM ou de um dos criminosos. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, agentes do 9º BPM (Rocha Miranda) e do 41º BPM (Irajá) estavam no local.

Segundo a PM, dois homens foram feridos e, com eles, a polícia apreendeu um fuzil e uma pistola. Um vídeo que circulou nesta quinta-feira pelo WhatsApp, porém, mostra dois policiais militares executando dois homens deitados no chão, em frente à escola onde Maria Eduarda foi morta. A Corregedoria da Polícia Militar investiga o caso.

+ sobre o tema

para lembrar

Ana Paula Xongani estreia no GNT e se torna primeira brasileira com dreads em campanha de cabelos

A influenciadora digital fez os dreads durante uma viagem...

Precisamos reconhecer nossa palmitagem

Muito se tem discutido sobre a solidão da mulher...

Morre em Salvador a líder religiosa Makota Valdina

A educadora, líder religiosa e militante da causa negra,...

Um dia histórico para o Movimento das Mulheres

Ontem foi um dia histórico para o Movimento de...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...
-+=