Cultura negra e educação quilombola

Fonte: Írohín Jornal Online

Sob o título geral de “As Experiências nas Comunidades Remanescentes de Quilombos no Sul do Brasil”, o I Ciclo de Palestras sobre a Cultura Negra na América Latina teve continuidade com um segundo encontro no auditório da Faculdade de Educação da UFPel.

Nesta sexta (15), a professora Georgina Helena Nunes Lima (dir.) foi apresentada por André Luís Pereira, mestrando em Sociologia na UFRGS (abaixo). Ela trouxe o tema: “Educação Quilombola numa Perspectiva mais Ampla a fim de se Chegar a uma Pedagogia Quilombola”. Georgina formou-se na área da Educação Física e Educação Psicomotora, fez mestrado e doutorado em Educação na UFRGS e hoje trabalha na UFPel.

A palestra começou com um audiovisual de 15 minutos, chamado “A África está em nós”. Uma montagem de cerca de 400 fotografias e edição de Socorro Araújo, com trechos musicais muito expressivos da alma africana, mostrou a vida em comunidades remanescentes de quilombos no Paraná. Bastaria ter visto esse conjunto de imagens, ritmos e melodias para compreender parte da vivência dos descendentes de africanos no Brasil. Consegui uma cópia do arquivo, e estou à espera da autorização para colocá-lo aqui no blogue.

A seguir, Georgina fez uma apresentação de uma hora sobre a experiência educacional nas comunidades quilombolas. Sua linguagem é mais poética do que concreta, mais filosófica do que histórica. Seu enfoque, que parece derivar da pedagogia de Paulo Freire, é de profundo amor e respeito pelos conteúdos e pelas formas de transmissão cultural nas comunidades remanescentes de quilombos. Contabilizam-se 3524 no Brasil, das quais somente 144 estão com título reconhecido.

O Ministério da Educação tem um documento de trabalho nesta área, que orienta os educadores que pretendem trabalhar com o elemento racial, em todo o Brasil, e não somente com índigenas ou afrodescendentes, pois uma ideia básica é que o sangue e as relações humanas estão envolvidos com todas as raças, de modo indistinguível. O livro tem o título: Orientações e ações para a educação das relações étnico-raciais (Brasília, 2006), editado pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, do MEC.

Depois da exposição, ainda houve 40 minutos de perguntas e debate entre a mesa e os assistentes, surgindo polêmicas sobre o tratamento das questões étnicas na cultura negra, fora do tema específico trazido pela palestrante, que era sobre a educação nas comunidades derivadas de quilombos. Mas a calma e sabedoria da professora, coerente com seu marco de referência, “fez” ou “permitiu” que os polemistas chegassem a um acordo básico.

Matéria original: Cultura negra e educação quilombola

+ sobre o tema

Barça bate Milan, mas é Ronaldinho Gaúcho quem leva troféu para casa

Na volta ao Camp Nou, craque é ovacionado pela...

SALVADOR: Exposição “Dia da Consciência Negra

A Fundação Pedro Calmon/Secult, através da Biblioteca Juracy Magalhães...

Mc Soffia: “Sei que a maior arma contra o racismo é o conhecimento”

A rapper de 13 anos fala sobre o lançamento...

Espólio de Michael Jackson lucrou US$ 1 bi desde sua morte

O espólio do cantor Michael Jackson já lucrou mais...

para lembrar

Florianópolis receberá curso gratuito sobre a arte negra

Encontro será neste sábado (21) na Fundação Cultural Badesc Do...

General do Brasil é convidado para comandar missão de paz no Congo

Santos Cruz, de 60 anos, foi comandante da missão...

Consciência Negra programação Rio Grande do Sul 2011

30/10 a 03/11 II Jornada Formação em Museologia Comunitária...
spot_imgspot_img

iAMO lança seu programa de residência artística audiovisual durante Festival de Cannes

O Instituto Audiovisual Mulheres de Odun (iAMO), presidido pela cineasta Viviane Ferreira, anuncia na sexta-feira, 17 de maio, o lançamento do seu Programa de...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...
-+=