De uma mana preta

De uma mana preta!

Mulher,
Mulher mãe
Mulher filha
Mulher neta
Mulher periférica
Mulher dura
Mulher de luta
Mulher quente
Mulher sobrevivente
Mulher, negra.
Estereotipada, objetificada, escravizada

Batalhadora, queimando sua pele ao sol na lavoura, triste por tudo que já tem passado e ainda assim ser um ser pisado, engraçado, essa mulher dura de luta está de cabeça baixa, pois já não aguenta mais ser um ser estereotipado!
Empoderadora, ela tenta aos poucos seguir seu caminho, mesmo que seja nele sozinho, sem abrigo!

De repente, encontra uma outra mina, que por coincidência, conhece sua dor e agonia..aos prantos, que triste, um desabafo, as duas chorando dos dois lados..

……..

Cê não está entendendo nada né ? Calma, vou te explicar..

Disseram que elas haviam sido libertadas, quando a tal princesa Isabel assinou aquela carta, tal carta que assinava libertação, para que elas pudessem se jogar no mundo…

Perante isso a alegria de estar livre, mas não é bem assim como sabemos..
Já era dona de si mesma, ou achava que era, existiam e existem mais coisas que a deixavam triste, a SUA ignorância em achar que ela tem menos valor por ser, como é mesmo, “mulher de cor”!

Ela sorri da gargalhada, sinal de batalhas ganhas, mangas arriadas, cabelos bagunçados, corpos machucados, voz ecoando o som da vitória, que com tanta luta ficou na memória..

Não, não nos calaram, mais é mais lutas virão, resistiremos e mais, existiremos..

Não só mulher, mas mulher negra, símbolo de resistência, de sofrencia de resiliência!

Eu mulher negra, resisto e existo!

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

As tantas porteiras desnecessárias

“Por que está dentro de mim, se porteira é...

O que esperas de mim?

Porque uma Mulher Negra, periférica de luta e na...

Inovações sociais na pandemia: as contribuições das organizações negras

O corpo negro foi deixado para morrer! A quarentena...

Pedagogia Antirracista como práxis de transformação social: diálogos possíveis

A Pedagogia é a ciência do ensino que abraça...

para lembrar

Vitória’s e Carol’s

Quando eu nasci não tinha muito ideia de como...

Relato de uma mãe preta

Você tem cor de merda; Sabia que você tem...

Confluências astronômicas: reelaborando a Astronomia com Nêgo Bispo

Eu me sentia estranha ao escrever e falar sobre...

132 anos da Abolição da Escravatura: Estamos livres?

No dia 13 de maio de 2020 a Abolição...

O isolamento é um fantasma constante e contínuo: a escrita colaborativa versus a repressão acadêmica e o confinamento emocional na vida de estudantes negras

Compartilhar minha experiência como estudante de doutorado em Campo em meio ao confinamento social provocado pela epidemia do Coronavírus me leva diretamente a compartilhar...

“Avisem que estamos chegando”: a história do escravizado que fundou uma escola no Rio de Janeiro

Fragmentos. A luta da população negra por educação no Brasil é reconstituída a partir de recortes e rastros. Foi por meio de uma pequena...

Fanon pela construção de uma psicologia tão anticolonial quanto antimanicomial, ou… Antimanicomial porque anticolonial.

Qual a atualidade das discussões sobre raça e colonialidade num país que desenvolve sua identidade a partir de um mito de democracia racial? O...
-+=