A diferenças entre os atentados na França e na Nigéria

Minha intenção não é comparar os atentados, e sim criticar a diferença entre a atenção que o mundo dá aos atos terroristas que vitimaram profissionais do jornal Charlie Hebdo, ocorrido semana passada em Paris, França, e os atentados em sequência que ainda acontecem na Nigéria.

por  na Ponte

Sobre o primeiro, os terroristas, extremistas religiosos já foram identificados, perseguidos, e ao resistir à prisão, mortos pela polícia francesa. O ato terrorista, que levou ao assassinato de 12 pessoas que trabalhavam no jornal, entre eles chargistas e o editor da publicação, causou comoção mundial, passeatas de repúdio ao que aconteceu e participação inflamada de líderes mundiais (mesmo as mais questionáveis) criticando com veemência o ocorrido.

Quanto à Nigéria, nem o número total de mortos sabe-se com clareza. Até onde eu apurei, somando os atentados ocorridos nos últimos cinco dias, o número de mortos já passam os 2 mil, segundo informações da Anistia Internacional. Enfim, já que a ordem do momento é repudiar atos terroristas e buscar um melhor entendimento entre os povos, seria interessante se preocupar não só com o que acontece no salão de festas, mas também começar a se preocupar com quem carrega o piano, né?

Leia também:

Não precisamos de Isis aqui. Nosso algoz é a polícia 

 

+ sobre o tema

Minha Casa, Minha Vida: Governo amplia limite de renda para compra da casa própria

Rendimento mensal máximo sobe de R$ 4.900 para R$...

Sobre leite, achocolatado, bananas e vitamina por Marcos Rezende

Antes de eu saber que era meramente comercial,...

Serra chama negros tucanos ao Palácio para abafar crise

Fonte: Afropress     S. Paulo - A crise aberta com as...

Candidaturas coletivas podem acabar já em 2024; a quem isso interessa?

As candidaturas coletivas podem deixar de existir já a...

para lembrar

Polícia notifica jovens em shopping por reconhecer o ‘naipe’

por Gisele Brito, São Paulo – O grupo com oito rapazes...

A sentença de André Ribeiro: Praticar cooper na mesma hora de um roubo

por  Leonardo Dallacqua de Carvalho Como um ritual, ao sentar...

Uma defesa da vida

no Jornal do Brasil por Mônica Francisco O dia já passou, mas a...

Protocolo negro

Quem é negro costuma cumprir um protocolo ao colocar o pé na rua. Inclui jamais sair sem um documento; não ir ao supermercado com...

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente entre as mães de vítimas da violência policial do Rio de Janeiro. Deise Silva de...

Após vítima de agressão ser detida, motoboys fazem ato contra o racismo no RS

Após um homem negro ser ferido com uma faca e preso por policiais, o Sindicato dos Motoboys de Porto Alegre, no Rio Grande do...
-+=