Guest Post »

Divulgado resultado de registro acadêmico presencial de cotistas no UFMG

Prazo para interposição de recursos pelos candidatos que tiveram suas matrículas indeferidas começa nesta terça-feira

enviado por Alexandre Braga do UFMG

Sala em que os candidatos aguardavam atendimento em banca de verificação ou procedimento de heteroidentificação
Sala em que os candidatos aguardavam atendimento em banca de verificação ou procedimento de heteroidentificação Foca Lisboa : UFMG

Estão publicadas, na página Sisu UFMG, as listagens das matrículas confirmadas, em análise e indeferidas dos candidatos que se inscreveram na modalidade de reserva de vagas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para cursos de graduação da UFMG.

Do total de 3.595 candidatos classificados para o primeiro semestre letivo deste ano e convocados para fazer registro acadêmico presencial de 15 a 19 deste mês, 965 se inscreveram para ocupar vagas de cota racial, e 73, para as vagas de pessoa com deficiência.

Em Belo Horizonte, dos 842 estudantes que compareceram ao registro, 525 tiveram sua matrícula confirmada, e 327, indeferida. Em Montes Claros, dos 43 candidatos que compareceram, 24 tiveram o registro acadêmico confirmado, e 19, indeferido.

Para o SISU 2019 foram 965 candidatos e candidatas, sendo que 885 passaram pela Heteroidentificação e cujo comparecimento era obrigatório conforme consta do Edital do SISU/UFMG.Desses 549 foram confirmados o fenótipo negro e 346 foram indeferidos.

Neste ano, pela primeira vez, nos dias de registro acadêmico presencial, a UFMG realizou procedimento complementar de heteroidentificação racial – de origem grega, o radical “hetero” encerra a ideia de “outro”. Assim, além de fazer a autodeclaração e redigir carta consubstanciada, os candidatos autodeclarados negros ou indígenas precisaram passar por comissão de heteroidentificação racial.

Houve também alteração na seleção dos candidatos com deficiência, que foram atendidos, no dia do registro acadêmico presencial, por banca de validação, sob a coordenação do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI).

O indeferimento da matrícula pode ocorrer por diversos motivos, como inconsistência na documentação apresentada para comprovação de renda familiar e de procedência de escola pública e não atendimento a critérios avaliados pela comissão de heteroidentificação racial ou pela banca de verificação para pessoas com deficiência. Cada candidato será informado pelo Departamento de Registro e Controle Acadêmico (DRCA) sobre o motivo do indeferimento.

Candidatos interessados em interpor recurso contra o indeferimento de
sua matrícula devem comparecer ao CAD2, no campus Pampulha, ou ao
Instituto de Ciências Agrárias (ICA), em Montes Claros, a partir desta terça-feira, 25, até sexta-feira, 1º de março, ou no próximo dia 7, quinta-feira. O horário de atendimento é das 9h às 11h e das 14h às 16h.

Fenótipo

Formada por cinco pessoas da comunidade acadêmica, a comissão avaliou o fenótipo de cada candidato e decidiu se ele “tinha características fenotípicas associadas à população negra”, explica o professor Rodrigo Ednilson, que é presidente da Comissão Permanente de Ações Afirmativas e Inclusão da UFMG.

Segundo ele, os candidatos que tiveram a matrícula indeferida pela comissão de heteroidentificação racial podem entrar com pedido de recurso e serão convocados para passar por outra comissão, que também vai avaliar suas características fenotípicas.

Embora também tenham passado pela comissão, os estudantes indígenas não se submeteram à heteroidentificação racial, pois deveriam apresentar documentos comprobatórios de pertencimento a povo indígena, emitidos por três lideranças indígenas.

Pessoa com deficiência

Na banca de verificação, formada por três servidores da UFMG das áreas de saúde e ciências humanas, os candidatos que optaram por vaga para pessoa com deficiência foram entrevistados para fornecer informações que subsidiaram a decisão sobre o deferimento ou não da matrícula.

Nos casos em que, após a entrevista, permanecia a dúvida da banca sobre a condição de deficiência, os candidatos eram encaminhados para perícia médica, no Departamento de Atenção à Saúde do Trabalhador (Dast). Com o parecer do perito, esses candidatos puderam dar prosseguimento às outras etapas do registro acadêmico.

Em Belo Horizonte, dos 52 candidatos a vagas para pessoa com deficiência que compareceram ao registro acadêmico presencial, 26 tiveram o pedido deferido, e 26, indeferido. Em Montes Claros, três dos sete estudantes que compareceram tiveram o registro deferido pela banca verificadora, e os outros quatro, indeferido.

Chamadas

Neste ano, a UFMG vai selecionar, por meio da primeira edição do Sisu, 3.595 candidatos para o primeiro período letivo e 2.744 para o segundo, visando preencher 6.339 vagas em 90 cursos de graduação.

As convocações de lista de espera são anunciadas exclusivamente no site Sisu UFMG. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail [email protected]


Alexandre Braga – membro da Comissão Permanente de Ações Afirmativas e Inclusão da UFMG.

Related posts