quinta-feira, outubro 29, 2020

    Tag: cotas nas universidades

    Gemaa

    Levantamento GEMAA: políticas de ação afirmativa nas universidades federais e estaduais (2013-2018)

    Este estudo, realizado periodicamente pelo GEMAA (Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa), apresenta os resultados do acompanhamento das políticas de ação afirmativa nas universidades federais e estaduais brasileiras. Ele se baseia em uma série histórica que vai de 2013 a 2018, e assume como marco temporal o início da implementação da Lei 12.711 de 2012, que fixou a política de cotas nas universidades federais. Nossa abordagem tem dois eixos principais de análise: 1) verifica o estágio das ações afirmativas nas universidades federais e estaduais separadamente, com ênfase nos dados de 2017 e 2018; e 2) compara o alcance da política de cotas nesses dois tipos de universidade. Entre outros resultados, mostramos que as políticas de ação afirmativa estão bem mais estabelecidas nas universidades federais do que nas estaduais, particularmente no que toca o oferecimento de vagas reservadas, a incorporação de pretos, pardos, indígenas e de pessoas com deficiência e ...

    Leia mais
    Sala em que os candidatos aguardavam atendimento em banca de verificação ou procedimento de heteroidentificação

    Divulgado resultado de registro acadêmico presencial de cotistas no UFMG

    Prazo para interposição de recursos pelos candidatos que tiveram suas matrículas indeferidas começa nesta terça-feira enviado por Alexandre Braga do UFMG Sala em que os candidatos aguardavam atendimento em banca de verificação ou procedimento de heteroidentificação Foca Lisboa : UFMG Estão publicadas, na página Sisu UFMG, as listagens das matrículas confirmadas, em análise e indeferidas dos candidatos que se inscreveram na modalidade de reserva de vagas, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para cursos de graduação da UFMG. Do total de 3.595 candidatos classificados para o primeiro semestre letivo deste ano e convocados para fazer registro acadêmico presencial de 15 a 19 deste mês, 965 se inscreveram para ocupar vagas de cota racial, e 73, para as vagas de pessoa com deficiência. Em Belo Horizonte, dos 842 estudantes que compareceram ao registro, 525 tiveram sua matrícula confirmada, e 327, indeferida. Em Montes Claros, dos 43 candidatos que compareceram, 24 tiveram o registro ...

    Leia mais
    Imagem / Pixabay

    TRF4 considera legal decisão de comissão que excluiu candidato cotista de concurso por ele não apresentar aparência de afrodescendente

    Para obter o benefício legal de concorrer em processos seletivos públicos por cotas raciais, não basta ser afrodescendente, tem que parecer afrodescendente aos olhos do homem médio. Com esse entendimento, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) considerou legal a exclusão de um candidato do concurso para técnico em mecânica da Itaipu Binacional. O julgamento da 4ª Turma ocorreu dia 24 de outubro e foi unânime. por Luiz Antonio do TRF 4ª Região no Wagner Advogado Imagem / Pixabay O candidato, de 26 anos, autodeclarou-se afrodescendente, entretanto, foi excluído do certame pela comissão avaliadora por não apresentar o fenótipo (aparência) de afrodescendente. Ele ajuizou mandado de segurança na Justiça Federal de Foz do Iguaçu (PR) contra o diretor da Itaipu. Como prova de sua condição, o autor apresentou certidão de nascimento do pai, o certificado de reservista do irmão e seu cadastro no Sistema Único de ...

    Leia mais

    Justiça barra aprovados no Rio Branco por suspeita de uso indevido de cotas

    A medida é resultado de uma ação civil pública proposta pelo MPF que questiona as justificativas dos candidatos para se autodeclararem negros Do Gazeta do Povo A Justiça Federal de Brasília vetou o ingresso de quatro candidatos aprovados em concurso público do Instituto Rio Branco para admissão à carreira de diplomata do Ministério das Relações Exteriores por considerar que fraudaram o sistema de cotas para negros. Outros dois candidatos foram impedidos preventivamente porque, sem nota suficiente, podem obter revisão de suas avaliações judicialmente. Em decisão à qual a reportagem teve acesso, o juiz auxiliar Ed Lyra Leal, da 22ª Vara do Distrito Federal, determinou "a suspensão dos atos subsequentes do certame em face dos candidatos sobre os quais subsiste dúvida acerca da qualificação legal para fins da ação afirmativa". O magistrado considerou na decisão liminar proferida na terça-feira (19) que "o ingresso de candidatos desprovidos da qualificação legal representaria patente iniquidade ...

    Leia mais

    Medicina da USP vai adotar cotas raciais e aderir ao Enem pela 1ª vez na história

    Das 175 vagas de graduação para 2018, 125 serão oferecidas pela Fuvest e 50 serão selecionadas pelo Enem via Sisu (28,6%); destas, 15 serão para alunos de escola pública pretos, pardos e indígenas. Faculdade de Medicina da USP (Foto: Arquivo/USP Imagens) Por Ana Carolina Moreno Do G1 Pela primeira vez em mais de 100 anos de história, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) vai aplicar uma política de cotas raciais para os ingressantes no curso de graduação em medicina mais prestigiado do país. Nesta sexta-feira (30), a Congregação da faculdade (órgão máximo de decisão da FMUSP) aprovou a adesão parcial ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usa a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para selecionar estudantes. A informação foi confirmada ao G1 na manhã deste sábado (1º) pelo diretor da FMUSP, professor José Otávio Costa Auler Júnior. Segundo ele, 50 das ...

    Leia mais

    “A elite intelectual teve de dividir seus privilégios”

    Unicamp adota cotas étnicos-raciais e abre caminho para a queda da resistência paulista ao sistema. “Foi um momento ímpar, mas veio com atraso”, diz professora Por Monique Oliveira Do Brasileiros Foram seis horas de debate no órgão deliberativo máximo da Unicamp, o Consu (Conselho Universitário), e mais de uma década de luta de movimentos sociais. Em decisão histórica nesta terça-feira (30), a Universidade Estadual de Campinas aprovou o sistema de cotas étnico-raciais na graduação e deu um passo importante para ser o ensino superior paulista um reflexo da composição demográfica brasileira. Prevista para o vestibular de 2019, a proposta estabelece a reserva de vagas para negros, pardos e indígenas em todos os cursos e turnos em modelo ainda a ser definido pela universidade. A aprovação foi comemorada – mas ficam as marcas de uma disputa complexa, permeada por resistências. Enquanto a primeira universidade a adotar o sistema, a UERJ (Universidade Estadual do Rio de ...

    Leia mais

    Unicamp aprova cotas raciais para os cursos de graduação a partir do vestibular 2019

    Pauta começou a ser negociada na greve de estudantes que aconteceu entre maio e agosto de 2016 Por Michele da Costa Do Brasil de Fato O Conselho Universitário (Consu) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aprovou, por unanimidade, o princípio de cotas raciais nos cursos de graduação no fim da tarde desta terça (30). Isso significa que a instituição reconhece a necessidade de alteração da política de ingresso nos cursos de graduação para inclusão de cotas para pretos, pardos e indígenas, e que criará um Grupo de Trabalho (GT) para elaborar uma proposta que inclui a implementação progressiva de cotas raciais e o vestibular indígena, a ser colocada em prática a partir de 2018 (para ingresso em 2019). Segundo o coordenador do Diretório Central de Estudantes (DCE), Guilherme Montenegro, uma proposta de implantação da política de cotas raciais deverá ser apresentada até 21 de novembro. "Essa aprovação não é o fim da discussão sobre cotas, mas ...

    Leia mais

    Dossiê Conversa de Historiadoras Negras – Cotas na Unicamp Já!

    Na próxima terça-feira, dia 30 de maio de 2017, o Conselho Universitário da Unicamp decidirá a respeito da adoção das cotas raciais no sistema de ingresso dos seus cursos de graduação. A mobilização está intensa e animada. Já nesta segunda-feira, 29, será realizado um Festival/Ato pelas Cotas, que contará com a participação de ativistas, artistas e demais membros da comunidade acadêmica. Do Conversa de Historiadoras O Blog Conversa de Historiadoras se soma à essa onda contra o racismo e, portanto, em defesa da democracia, apresentando hoje um papo coletivo preto, o Dossiê Conversa de Historiadoras Negras − Cotas na Unicamp Já!, escrito por quatro mulheres que estiveram e/ou estão na Unicamp como discentes e docentes: Ana Flávia Magalhães Pinto, Giovana Xavier, Lucilene Reginaldo e Taina Aparecida Silva Santos.   “Enxugando gelo”: as cotas em debate na Universidade Estadual de Campinas Lucilene Reginaldo, Professora do Departamento de História – Unicamp Na próxima semana, ...

    Leia mais

    Universidade de Pelotas adota cotas para mestrado e doutorado

    Todos os 44 cursos de pós-graduação da UFPel vão reservar 25% das vagas para ações afirmativas. Medida já é adotada por outras universidades Por Cleuci de Oliveira e Ferraz Ian Do Metro Poles A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) aprovou, nesta quarta-feira (26/4), a destinação de 25% das vagas dos cursos de pós-graduação (mestrado, doutorado e especializações) a indígenas, deficientes físicos e afrodescendentes. O sistema de cotas será implementado imediatamente e passa a valer nos próximos processos seletivos. A medida foi aprovada por unanimidade pelo conselho universitário da UFPel. A universidade conta com 44 cursos de pós-graduação e o de educação física será o primeiro a testar alunos nesse novo sistema, em junho. A distribuição das vagas, em todos os cursos, será de 20% para cotas raciais e 5% a deficientes físicos. “O objetivo é garantir uma maior diversidade. As cotas chegaram na pós-graduação como consequência do trabalho feito na graduação. A universidade era elitista e ...

    Leia mais

    Nós viemos para bagunçar os lugares da mesa

    Por Taina Aparecida Silva Santos* – Uma reflexão sobre a luta por cotas nas universidades estaduais paulistas, em particular na Unicamp Do Negro Belchior Falar sobre o atual panorama da luta por cotas nas universidades estaduais paulistas, em particular na Unicamp, me remete a pensar numa epígrafe contida no texto Racismo e sexismo na cultura brasileira, de Lélia Gonzáles. Ela diz o seguinte: “Foi então que uns brancos muito legais convidaram a gente prá uma festa deles, dizendo que era pra gente também. Negócio de livro sobre a gente, a gente foi muito bem recebido e tratado com toda a consideração. Chamaram até para sentar na mesa onde eles estavam sentados, fazendo discurso bonito, dizendo que a gente era oprimido, discriminado, explorado. Eram todos gente fina, educada e viajada por esse mundo de Deus. Sabiam das coisas. E a gente foi sentar lá na mesa. Só que tava cheia de gente ...

    Leia mais

    Cotas raciais aprovadas no Instituto de Economia da UNICAMP

    Sobre o processo de COTAS no Instituto de Economia (IE) da Unicamp: Por Aquiles Coelho Silva Do Negro Belchior O processo de Cotas no IE começa a ganhar força ainda no primeiro semestre de 2016. O cenário de recente aprovação de Cotas no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e o debate avançado que estava ocorrendo na Faculdade de Educação (FE) foram inspirações para que pessoas conseguissem levar adiante a discussão em seus institutos, foi o caso do IE, do Instituto de Geociências, do Instituto de Artes dentre outros. No IE, bem como nos outros espaços, foram promovidas atividades (tanto por parte do centro acadêmico, quanto da Frente Pró Cotas) com o fim de inteirar as pessoas sobre o debate de Cotas em âmbito nacional e internacional, bem como repensar as relações raciais no e a História do negro no Brasil. Estas atividades tinham como público alvo os estudantes, ainda ...

    Leia mais

    Cotas raciais na Faculdade de Direito da USP

    Dia Histórico! Por Douglas Belchior em seu Facebook  Anos de luta do movimento negro, movimento de cursinhos comunitários e dos estudantes de luta da SanFran, finalmente a direção da Faculdade de Direito da USP aprovou, POR MUITA PRESSÃO, uma politica de Cotas Raciais para seu processo de acesso às suas vagas.A partir de 2018 vai ser assim: 20% Pretos, Pardos, e Indígenas vindos de Escola Pública (ENEM) 10% Escola Pública (ENEM) 70% FUVEST Quis o destino que hoje, convidado pelo Centro Acadêmico XI de Agosto, eu estivesse lá, em meio ao Ato de pressão junto ao Conselho que se reunia, representando a UNEafro Brasil, justamente ao lado de Freidavid Santos e de dezenas de estudantes da Educafro, organização de onde surgimos para o movimento negro brasileiro. A vida é assim. Dá voltas. E os que lutam, apesar das diferenças - e elas existem - e se tornam pequenos diante da ...

    Leia mais
    Ricardo Stuckert/Agência Brasil

    500 no Sem Fronteiras e só 4 negros? Fraude oficial no Programa Abdias Nascimento para negros e índios

    Em 2013 foi criado o Programa de Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento Seu objetivos são: Incrementar o intercâmbio acadêmico entre instituições de pesquisa e ensino superior (IES) no Brasil e no exterior, de modo a proporcionar a realização de atividades conjuntas de pesquisa, de desenvolvimento tecnológico e de inovação com parceiros estrangeiros, especialmente na área de tecnologia assistiva (TA), bem como atender, preferencialmente, a candidatos autodeclarados pretos, pardos, indígenas e pessoas com necessidades especiais, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades e superdotação, conforme dispõe a Portaria do MEC Nº 1.129, de 17 de novembro de 2013. Por Marcos Romão, no Mamapress Recebemos informações na Mamapress, que brancos responsáveis pelo programa, solicitaram e conseguiram junto ao MEC, a inclusão de brancos neste Programa destinado a negros e índios. O que era uma política oficiosa de só mandarem brancos para estudarem no estrangeiro, virou política oficial excludente de negros e índios por parte ...

    Leia mais

    Alunos brancos são expulsos de universidade federal após fraudarem sistema de cotas

    Reitoria da UFPel (RS) decidiu cancelar as matrículas das 24 pessoas do curso de medicina por fraude em sistema de cotas. Denúncia foi publicada pela Ponte Jornalismo em 9 de dezembro deste ano Fonte: Ponte por Giorgia Cavicchioli Estudantes brancos que fraudaram o sistema de cotas para negros e indígenas para entrar no curso de medicina da UFPel (Universidade Federal de Pelotas), do Rio Grande do Sul, foram expulsos da instituição. A decisão foi confirmada nesta sexta-feira (30/12). A reitoria decidiu cancelar as matrículas e desligar, ao todo, 24 pessoas. Nota publicada no site da própria universidade diz que a resolução foi “em função do não reconhecimento da condição de cotistas”. Os estudantes que fraudaram o sistema, que tiveram seus recursos negados, já foram comunicados do desligamento. A faculdade de medicina também já foi notificada das expulsões. Para preencher as vagas, a reitoria da Universidade decidiu que abrirá um edital no ...

    Leia mais

    Índios pataxó se formam médicos, vestidos a caráter

    Dois jovens da etnia pataxó se formaram médicos pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Amaynara Silva Souza e Vazigton Guedes Oliveira, ambos de 27 anos, foram receber os diplomas a caráter neste sábado, 24: rostos pintados, cocar com grandes penas e muitos adereços coloridos. Fonte: Só Notícia Boa As pinturas nos rostos são comuns entre as tribos em datas festivas. E na colação de grau não poderia ser diferente: “Esperei por esse dia minha vida toda”, diz Amaynara. Ela veio das terras indígenas de Carmésia, no Vale do Rio de Doce mineiro, e ele de Cumuruxatiba, no Sul da Bahia, para se juntarem à turma com 130 alunos. O desejo por um dos cursos mais concorridos nasceu da necessidade de melhorar a qualidade de vida das tribos. A intenção dos novos médicos é se especializar em medicina de família e comunidade e retornar os conhecimentos ...

    Leia mais
    Felipe Larozza/VICE

    Djamila: nenhum passo para trás nas ações afirmativas

    Para a pensadora Djamila Ribeiro, é preciso resistir ao desmantelamento de políticas públicas, além de ser imprescindível priorizar a questão racial nas discussões sobre desigualdades Por Maitê Freitas Do Rede Brasil Atual Felipe Larozza/VICE Foi o pai de Djamila Ribeiro que a batizou com o nome africano, cujo significado é "beleza". Filha de um estivador comunista, sua base educacional, em Santos, litoral paulista, incluiu xadrez e uma boa dose de formação política. Para a mestre em Filosofia Política, feminista e atual secretária municipal adjunta de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, é momento de resistir ao retrocesso e consequente desmantelamento de políticas públicas. "Mas é imprescindível que a esquerda brasileira entenda de uma vez por todas que não dá para se fazer um debate sério sem pensar a questão racial como principal", acrescenta. "Queremos ser as pessoas que pensam essas políticas, como protagonistas." Formada na segunda ...

    Leia mais

    Após protestos, UFRGS descarta alteração em sistema de cotas

    Mudança ainda tirava opção de cotistas concorrerem pelo acesso universal. Universidade manterá sistema de vestibular; duas alterações serão votadas. Do G1 Após protestos de estudantes na última semana, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) desistiu de realizar mudanças no sistema de cotas. A instituição deve manter a opção de ingresso para quem concluiu o ensino médio em escola pública de concorrer concomitantemente no acesso universal e por cotas, como é realizado atualmente o vestibular. Os alunos, que ocupam a reitoria da UFRGS desde a última quinta-feira (22), liberaram o acesso dos membros do Conselho Universitário (Consun) ao prédio. No entanto, uma liminar judicial impediu que a emenda feita ao parecer que mudava o sistema de ingresso de cotistas fosse votada nesta terça-feira (27). Para os alunos, as mudanças seriam uma forma de reduzir o número de cotistas. Outras duas propostas, elaboradas pela pró-reitoria de graduação da universidade, ainda ...

    Leia mais
    ADCO292 BSB - 01/09/2016 - COTAS / UNIVERSIDADE (ESPECIAL EMBARGO METROPOLE) - METROPOLE - PERSONAGENS: Rahul Oliveira (de camisa vermelha cavannaque e bigode), Angelo Costa (de cavanhaque SEM Bigode) Leonardo Silva (de camisa branca) para materia sobre cotas na Universidade, no Instituto de Ciência Biológicas da UnB, em Brasilia. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADAO

    1ª geração cotista relata preconceito e choque de realidade

    Doutor da UNB com formação internacional passou fome; analista lembra que se tornou ‘invisível’ e gestor ainda luta para estudar Por Luiz Fernando Toledo Do Estadão BRASÍLIA - Para ilustrar a trajetória dos estudantes cotistas, o Estado foi atrás dos ex-alunos da primeira geração de cotas no Brasil, na Universidade de Brasília (UnB). No vestibular de julho de 2004, em decisão inédita, a UnB aprovou 20% de suas vagas (392, no total) para estudantes negros. Entre eles estava Rhaul de Oliveira, de 29 anos, hoje professor no Instituto de Ciências Biológicas na mesma instituição. “Demorei muito a entender o que significa eu estar ali”, conta. Oito anos depois de se formar, Oliveira acumula títulos: emendou um mestrado em Toxicologia e Ecotoxicologia na Universidade de Aveiro, em Portugal. Em seguida, no doutorado, também passou pela Wageningen University, na Holanda, e pelo Instituto Asiático de Tecnologia, na Tailândia. Até a vida da família mudou: ...

    Leia mais

    Em decisão histórica, FAU USP aprova ingresso por cotas

    Um dos temas centrais da pauta da greve dos estudantes na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP é a questão da democratização da Universidade, envolvendo não apenas a proposta de cotas nas formas de ingresso, mas também a chamada permanência, ou seja, as medidas necessárias para que estudantes com menores condições econômicas possam realizar plenamente o curso de graduação – e não apenas ingressar na universidade –, tais como acesso a alimentação, moradia, transporte. Por Raquel Rolnik em seu Blog A partir de proposta apresentada pelos estudantes e encampada pelo GT de Articulação das três categorias – professores, funcionários e estudantes -, a Congregação da FAU-USP aprovou, nesta quinta-feira, a adoção de cotas raciais e para estudantes oriundos de escolas públicas. Assim, 30% das vagas para ingresso na FAU em 2017 serão destinadas para alunos oriundos de escola pública – sendo metade destas para pessoas autodeclaradas pretas, pardas ou ...

    Leia mais

    Doutorado sem escalas

    Estudante de graduação da UnB é aprovada no doutorado em Engenharia de Sistemas naGeorge Washington University, nos Estados Unidos Por Jorge Gil, do UNB Janiele Custódio nem concluiu a graduação em Engenharia de Produção na Universidade de Brasília, mas já se prepara para cursar o doutorado em Engenharia de Sistemas na George Washington University (GWU) nos Estados Unidos (EUA), sem a necessidade de concluir o mestrado na área. Para ser admitida nessa universidade, Janiele apresentou um projeto de modelo de otimização dinâmico para ser utilizado por companhias produtoras de energia. Esses conhecimentos poderão ajudar a determinar estratégias de venda da eletricidade no mercado de curto prazo para que, dessa forma, essas empresas desfrutem de maiores benefícios.   Basicamente, o projeto concentra-se em analisar o impacto das variações do preço de ações na bolsa de eletricidade e a aversão de risco do tomador de decisão no processo 'compra-venda' da energia oferecida. Em ...

    Leia mais
    Página 1 de 3 1 2 3

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist