domingo, novembro 27, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaAfro-americanosDocumentário destaca luta da ativista Angela Davis pelos direitos civis dos negros...

Documentário destaca luta da ativista Angela Davis pelos direitos civis dos negros nos EUA

Os passos que os Estados Unidos deram entre o fim do regime escravocrata, em 1863, e a eleição do seu primeiro presidente negro, em 2008, tiveram pelo caminho capítulos simbólicos de uma luta que, naquela sociedade, é travada dia a dia com a devida gravidade. Um desses momentos relevantes é tema do documentário Libertem Angela Davis (Free Angela and All Political Prisoners, EUA/França, 2012), em cartaz a partir desta quinta-feira no CineBancários, em Porto Alegre.

Com direção de Shola Lynch, o filme destaca a figura da ativista negra Angela Davis, protagonista de um caso policial e jurídico que ganhou dimensão mundial em 1970 por seu simbolismo político e social. Nascida em 1944 no Alabama, Estado sulista dos mais racistas naqueles tempos, Angela formou-se em Filosofia na Alemanha. De volta aos EUA, encontrou o país em convulsão. Os assassinatos de Malcolm X (em 1965) e Martin Luther King (em 1968) colocaram a luta contra a segregação racial em evidência tanto pelo viés radical de um quanto pela tentativa de diálogo empreendida pelo outro.

Angela engajou-se no Partido Comunista dos EUA e no grupo Panteras Negras, que defendia o direito dos negros à luta armada. Acusada de envolvimento no sequestro frustrado que resultou na morte de um juiz, tornou-se se a mulher mais procurada dos EUA. Ela própria, hoje com 70 anos, ajuda reconstituir, em meio a depoimentos atuais e imagens de arquivo, a história de sua fuga, captura, temporada na prisão e julgamento. Passos que ajudaram a pavimentar a estrada para Barack Obama chegar à Casa Branca.

Como mostram os recentes eventos policiais ocorridos nos EUA, a luta de Angela continua, mas em um nível de conquistas e debates ainda muito distantes, por exemplo, do que se observa no Brasil. Aliás, Angela esteve esse ano participando de um evento em Brasília e disse estranhar que a população majoritariamente negra do país não esteja espelhada, na mesma proporção, na representação política e na programação de TV. Por aqui, este ainda é um caminho longo e pedregoso a ser desbravado.

Leia mais sobre Afro-americanos

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench