Governo de SP não revela nomes de policiais que detiveram filho de rapper

Também foram negadas outras informações sobre as circunstâncias em que Eric Augusto, filho do rapper Eazy Jay, segundo policiais do 78º DP, teria tentado se enforcar com um cordão dentro da delegacia localizada no bairro dos Jardins

por Luiza Sansão, da Ponte 

O governo de São Paulo, por meio da SSP (Secretaria da Segurança Pública), negou-se a revelar os nomes dos policiais que detiveram Eric Augusto Corbacho de Lima, de 25 anos, filho do rapper paulistaJosé Augusto de Lima Filho, conhecido como Eazy Jay, no dia 11 de agosto, no centro de São Paulo.

A pasta também negou-se a responder como o jovem teve acesso ao cordão que, supostamente, teria utilizado para tentar se enforcar no dia seguinte, no interior de uma carceragem provisória do 78º Distrito Policial de São Paulo (Jardins), onde, segundo a SSP, “foi encontrado por policiais civis suspenso e amarrado na grade com um cordão no pescoço, desmaiado”.

Preso por furto há cerca de três anos, Eric cumpre pena na Penitenciária de Presidente Prudente(interior de SP) e, como benefício do regime semiaberto, esteve na casa da família nos dias que antecederam o Dia dos Pais, comemorado no dia 14 de agosto.

Na última sexta-feira (19/08), a família de Eazy Jay foi comunicada, por um investigador do 78º DP, de que Eric estava internado em estado grave após ter tentado se enforcar, e que seria necessário que o pai ou a mãe do jovem fosse ao Hospital das Clínicas assinar, com urgência, um termo de responsabilidade para que fosse realizada uma cirurgia de traqueostomia.

No hospital, o rapper percebeu indícios de agressões no corpo do filho, o que o levou a desconfiar da versão da polícia, conforme noticiado pela Ponte na segunda-feira (22/08). Além da marca demasiadamente fina no pescoço, ferimentos nos lábios, inchaço na cabeça e pés enfaixados, Eazy Jay afirma que as pontas dos dedos do jovem apresentam escoriações – “como se ele tivesse colocado as mãos entre o cordão e o pescoço para se proteger do enforcamento”, segundo o rapper.

IMG_8083

Eric Augusto, filho do rapper Eazy Jay, na tarde de terça-feira (23/08). Foto: Arquivo familiar

Diante da versão apresentada pela Polícia Civil sobre as circunstâncias em que Eric chegou ao estado em que se encontra, internado e ainda inconsciente, a reportagem enviou à SSP as seguintes perguntas:

1) Por que a família foi avisada sobre o estado de Eric somente no dia 19/08, se ele se encontrava hospitalizado desde o dia 12/08?

2) Como era o cordão usado por Eric na tentativa de se enforcar? Sua extensão e resistência eram suficientes para suspender um corpo?

3) Como ele teve acesso ao objeto?

4) Quais os nomes dos policiais que detiveram o jovem?

Em resposta, a SSP enviou apenas a seguinte nota: “A Polícia Civil informa que detalhes técnicos da perícia estão em elaboração para confecção de laudo que auxiliará na investigação, que pretende responder de que forma o detento teve acesso ao objeto.”

+ sobre o tema

O racismo é o exercício estrutural do terrorismo em grande escala

por Arísia Barros A pretexto de contextualizar sua impressão...

Somos todos macacos

  Roberto Malvezzi, O ser humano tem 10%...

CBF define punição por racismo em competições nacionais; clubes poderão perder pontos

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu, nesta terça-feira (15), punições...

para lembrar

Internautas acusam Raul Gil de racismo contra asiáticos

No Programa Raul Gil do último sábado, 15, o...

Jornalista Joice Hasselmann, ofende e discrimina social e racialmente senadora negra dentro do senado Brasileiro

Por Mônica Aguiar Do Monicaa Guiarsouza Não existe palavras para responder...

Ferguson e o racismo nosso de todo dia

Minha nossa, lá vem esses negros encher a paciência...
spot_imgspot_img

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....
-+=