Egípcias protestam contra violência sexual em manifestações

Mulheres lideraram nesta quinta-feira 7 um protesto no Cairo, no Egito, contra agressões sexuais ocorridas em manifestações no país. O ato é conduzido pelas palavras de ordem: “Abaixo o assédio sexual” e “O Egito para os egípcios e as egípcias”. Os manifestantes partiram da Mesquita Sayeda Zeinab, neta do profeta Maomé, dirigindo-se à Praça Tahrir – cenário escolhido para centralizar os protestos.

A ativista Farah Shash disse que as agressões sexuais aumentaram “drasticamente” desde novembro, quando se intensificaram os protestos contra o governo do presidente egípcio Mouhamed Mursi. “Os ataques são mais violentos e os testemunhos das vítimas demonstram que os agressores estão organizados”, disse ela.

Em fevereiro de 2011, quando houve protestos em favor da renúncia do então presidente Hosni Mubarak, a jornalista Lara Logan, da rede de TV norte-americana CBS, foi violentamente agredida enquanto trabalhava. Ela relatou ter sido estuprada e violada. Segundo a jornalista norte-americana, de 200 ou 300 homens a estupraram com mãos durante cerca de 40 minutos. Ela foi salva por um grupo de civis e militares egípcios que intercederam.

Fonte: Agência Brasil

+ sobre o tema

Dandaras: curso forma mulheres negras para ocuparem espaços de poder

Rosângela Santos Lopes foi a primeira pessoa de sua...

Sobre colorismo, privilégios e identidade racial

Durante a maior parte da minha vida eu me...

A moda com identidade de Mônica Anjos

É em um sofisticado espaço no bairro do Rio...

“Passa só um batonzinho”: pressões de ser mulher em um ambiente corporativo

A imprensa francesa divulgou nessa semana os gastos do...

para lembrar

Meu corpo não é público

Meu corpo não é público. No dia 29, uma jovem...

Como feminista negra tenho basicamente duas opções. Conquistar espaços que me são hostis ou criar novas possibilidades- Por: Charô Nune

QUERIDA FEMINISTA BRANCA, precisamos conversar sobre nossos espaços. Confesso que falamos...

Nos EUA, meninas africanas relembram dor da circuncisão

Motivo de preocupação de direitos humanos no exterior, mutilação...
spot_imgspot_img

ONGs LGBTQIA+ enfrentam perseguição e violência política no Brasil, diz relatório

ONGs de apoio à causa LGBTQIA+ enfrentam perseguição e violência política para realizar seu trabalho no Brasil, mostra um relatório produzido pela Abong (Organizações Brasileira de ONGs) em...

Menstruação segura ainda é desafio no Brasil, indica Unicef

Uma enquete do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), concluiu “que o direito de menstruar de maneira digna, segura e com acesso...

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...
-+=