‘Ela já fez e ainda faz tanto por mim que agora chegou a minha vez’, diz filho que acompanhou mãe no 1º dia de aula

O primeiro dia de aula de dona Marilia Serafim Nascimento foi comemorado por seus quatro filhos, amigos, parentes e… por mais de 60 mil brasileiros. O momento da diarista de 52 anos foi registrado e compartilhado no Facebook pelo filho Vanderson, que não fazia ideia do efeito que a postagem geraria.

por Luiza Belloni no HuffPost 

“Depois de tirar as fotos, ela pediu para postar no grupo da família no WhatsApp e eu falei que postaria no Facebook também. Aí eu fui pra Igreja e, quando saí, meus amigos começaram a falar que eu estava famoso. Fui ver e tinha milhares de curtidas, comentários e compartilhamentos”, disse Vanderson Nascimento ao HuffPost Brasil. “Nem imaginava que meu post teria tanta repercussão.”

A postagem comemora o primeiro dia de aula de sua mãe, a dona Marília, acompanhada de Vanderson. “Ela já fez e ainda faz tanto por mim que agora chegou a minha vez de fazer por ela”, escreveu o carioca de 22 anos.

A foto com a linda descrição de Vanderson logo se multiplicou nas redes sociais e se tornou um dos assuntos mais comentados no começo do ano.

Ao HuffPost Brasil, o carioca diz que ele é o maior incentivador da mãe, que nunca teve a oportunidade de estudar por ter a primeira filha com apenas 16 anos de idade. “Ela foi uma mãe muito nova e teve que optar por trabalhar ou estudar. Então abriu mão dos estudos para cuidar da minha irmã mais velha”, conta.

Dona Marília teve uma segunda chance de estudar quando os quatro filhos já estavam maiores. Em 2004, foi criado um projeto de alfabetização para adultos perto da comunidade de Manguinhos, onde a família mora até hoje, e a mãe de Vanderson teve a oportunidade de voltar a estudar.

Na época, foi a vez do filho Wágner, que tinha apenas 11 anos, de ajudar sua mãe na hora do dever. “Temos até hoje a reportagem em que ela aparece estudando com ele”, acrescentou Vanderson.

O projeto, porém, foi descontinuado e Marília se viu, pela segunda vez, sem poder estudar.

“Ela conseguiu aprender o nome dela, mas teve de deixar pra lá”, disse o filho. “Foi passando o tempo e ela tentou voltar mais uma vez, mas não conseguiu conciliar, ela chegava muito tarde do trabalho. “

Vanderson não desistiu de sua mãe e, no final do ano passado, ele voltou a incentivá-la. “Em novembro eu escutei na rádio a história de uma senhora de 80 anos que tinha voltado a estudar e eu falei pra minha mãe: ‘dá tempo ainda’. Ela concordou e já em dezembro pedi a matrícula dela”, disse Vanderson, que hoje faz parte do programa Jovem Aprendiz do Metrô do Rio de Janeiro.

As aulas começaram em fevereiro deste ano e, desde então, Marília se mostrou uma aluna exemplar.

Ela está gostando pra caramba. Sempre tira foto com os colegas dela. Está gostando muito mesmo.

Ele conta que saber ler e escrever sempre foi o sonho de dona Marília. “Ela quase não vai pra rua sozinha, tem muito medo de enrolarem ela. Como eu fico mais em casa, eu incentivo ela e está dando tudo certo.”, disse, acrescentando que sua mãe já pensa ir além das contas e escritas. “Ela tem muita vontade de fazer gastronomia. O primeiro passo a gente já deu, que é aprender ler, se formar no ensino fundamental e médio.”

Questionado sobre a postagem que levou fama à casa da família Nascimento, Vanderson conta que foi muito além de uma foto:

Postei para incentivar os jovens, porque hoje em dia a gente pensa muito nos nossos sonhos e acabamos esquecendo que nossos pais também têm sonhos.

+ sobre o tema

Nota de Apoio do Fórum de Homens Capixabas pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Nós, participantes do Fórum de Homens Capixabas pelo Fim...

Manifesto: Eu apoio a legalização do aborto

Neste 8 de março, lutamos pela legalização do aborto...

Octavia Butler, a ‘primeira dama da ficção científica’ que reescreveu o futuro

'Kindred', livro mais famoso da autora, acaba de ser...

para lembrar

Leonardo Sakamoto: Meninos deveriam brincar de boneca e de casinha

Tenho dado bonecas de pano de presente para filhos...

Masculino/Feminino: as fronteiras de gênero se misturam

Cada vez mais presentes no debate público no mundo...
spot_imgspot_img

Elogio ao estupro e ódio às mulheres

Nem sempre é fácil dizer o óbvio. Mesmo porque, quando essa necessidade se impõe é fundamental entender as razões que estão por trás dela. Mas...

Angela Davis: “O desafio é manter a esperança quando não vemos sinais”

Angela Davis, filósofa professora americana, é como uma estrela de rock do ativismo pelos direitos humanos e do movimento negro. Sua popularidade atravessa gerações...

IBGE: mulheres assalariadas recebem 17% menos que os homens

Dados divulgados nesta quinta-feira (20/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a disparidade salarial entre os gêneros no Brasil se mantém em...
-+=