Still I Rise… Eu me levanto!

A queridíssima amiga Dra. Ana Flávia Magalhães Pinto, jornalista como eu, me comoveu demais ao postar no Facebook a notícia sobre a breve publicação de sua tese de doutorado: “Fortes laços em linhas rotas: literatos negros racismo e cidadania na segunda metade do século XIX”, depois de concorrer e ser indicada a vários prêmios por essa pesquisa e vencer uma grande quantidade de empecilhos.

 

Por Oswaldo Faustino

A comoção foi mais forte ao ler o segundo parágrafo da postagem: “Agradeço a todas as pessoas que fazem parte dessa história e contribuíram de maneira construtiva para que aquela menina que ouviu: ‘A UnB (Universidade de Brasília) não é lugar de gente cor de kichute, como você’ não perdesse a fé em si e na força que a mantém em pé até hoje.”… Lendo esse trecho, entendi que RESILIÊNCIA não é apenas uma palavra da moda, mas a principal propriedade e capacidade do povo afro, no mundo todo.

 

E Aninha fez ainda mais: postou em português o poema Still I Rise! (Eu me levanto!), da mega premiada escritora, poeta, atriz e ativista afro-americana Maya Angelou, falecida em 8 de maio de 2014, aos 86 anos. A postagem se completou com um vídeo em que a própria autora declama essa pérola de poema. Amei!

Foi, então, que abri o Youtube e encontrei outro vídeo legendado em que a declamadora de um trecho de Still I Rise! é simplesmente a tenista Serena Williams… que tal deixarmos nossa ALMA PRETA refletir um pouco sobre o conteúdo desse poema?

Leia também

Maya Angelou

+ sobre o tema

Atriz cisgênero viverá trans em novela de Glória Perez

A atriz cisgênero - pessoa que se identifica com o...

Impactos de bem-estar de mudanças no mercado de serviços domésticos brasileiro

1 INTRODUÇÃO por Edson Paulo Domingues e Kênia Barreiro de...

O spray forense que está ajudando a combater violência contra a mulher

Um homem foi condenado e preso por violência doméstica...

Após ofensas homofóbicas, Manny Pacquiao perde contrato milionário com a Nike

Não demorou. Por Rafael Nardini, do HuffPost Brasil Menos de dois dias após...

para lembrar

spot_imgspot_img

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...
-+=