Em Angola, cúpula com líderes africanos marca Dia da África

Luanda, 25 mai (Lusa) – Angola comemora nesta segunda-feira o Dia da África com uma conferência, na qual líderes do continente debatem a reconstrução nacional pós-conflito e o impacto da crise financeira internacional nas nações africanas.

O presidente angolano, José Eduardo dos Santos, e o presidente da Comissão Executiva da União Africana (UA), Jean Ping, deverão participar do encontro. Além disso, o líder líbio e presidente da UA, Muammar Kadhafi, é esperado no evento.

Além da reconstrução pós-conflito e do impacto da crise mundial no continente, o colóquio terá ainda espaço no programa para debater a construção da União Africana nas perspectivas política e econômica.

Uma fonte do Ministério das Relações Exteriores angolano confirmou à Agência Lusa que Kadhafi vai estar hoje em Luanda, mas ainda nada foi divulgado oficialmente.

Trata-se de uma das raras ocasiões onde José Eduardo dos Santos e Muammar Kadhafi, dois dos mais influentes lideres africanos, poderão estar juntos.

Segurança

Além disso, a 6ª. Conferência do Comitê dos Serviços de Inteligência e Segurança de África (Cissa), que teve início na sexta-feira e terminou no domingo, os participantes debateram questões relacionadas com a segurança e estabilidade no continente.

O presidente da Comissão Executiva da União Africana, Jean Ping, lamentou no domingo, no encerramento da conferência, que, passados os nove primeiros anos do século 21, o continente africano ainda tenha na paz e na segurança as maiores preocupações.

O gabonês lamentou ainda que os estados africanos, nesta fase da sua história, gastem dois terços dos seus recursos em questões de segurança e paz.

O chefe executivo da UA destacou, na hierarquia dos gastos dos países africanos na área, a gestão e resolução de conflitos, lembrando que somente um terço dos recursos são destinados a questões como a pesquisa e cooperação.

É na descrição deste cenário que Ping apelou a uma “maior conjugação de esforços” na região parra garantir a estabilidade e a paz no continente, frisando que as questões ligadas à segurança e inteligência assumem especial relevo quando o mundo enfrenta uma crise grave com impacto no continente africano com especial violência.

“Este momento impõe à nossa sensibilidade a procura de uma solução durável para os problemas da paz e segurança parra que seja possível concentrar esforços no desenvolvimento social e econômico”, concluiu.

Matéria Original:Em Angola, cúpula com líderes africanos marca Dia da África

+ sobre o tema

Como Gerson King Combo e seus bailes black tentaram implodir a democracia racial

“Dançar como dança um black! Amar como ama um...

L’incroyable destin de Severiano de Heredia

Ce mulâtre d’origine cubaine et naturalisé français fut président...

Comitê Programático

LUIZA BAIRROSSalvador, BA, Brasil Luiza Bairros é a...

Abdias Nascimento é homenagiado em universidade dos Estados Unidos

O ativista Abdias Nascimento será homenageado, hoje, na Universidade...

para lembrar

Black Eyed Peas faz em Fortaleza o show que levará para a Apoteose

A esperada turnê do grupo americano The Black Eyed...

UNIFEM e UNFPA apoiam inclusão de gênero no censo de 2010 no Uruguai

Fonte: Notícias do UNIFEM Brasil e Cone Sul     Montevidéu (Uruguai)...

As discussões do GT Racismo e Saúde no 8º CBCSHS

Para o 8º Congresso de Ciências Sociais e Humanas...

Hamilton supera pneus e duelo com Alonso para vencer o GP do Canadá

Após dois dias frios em Montreal, o calor chegou...
spot_imgspot_img

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta pela primeira vez no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...
-+=