Emancipa Axé discute o que as comunidades de matriz africana podem fazer na luta antirracista

Enviado por / FonteBrasil de Fato

Evento organizado pela Rede Emancipa acontece em terreiro na zona leste da capital paulista e tem inscrições abertas

Um encontro no próximo dia 15 de novembro, feriado de Proclamação da República, vai debater o papel das comunidades de matrizes africanas na luta antirracista no Brasil, bem como a inserção dos povos de axé no atual contexto político. É o primeiro encontro do Emancipa Axé, projeto de educação popular da Rede Emancipa. A atividade acontecerá no Terreiro Aruanda, no bairro do Ipiranga, na capital paulista.

A data escolhida para a atividade, 15 de novembro, é também o Dia Nacional da Umbanda. O evento, batizado de “Educação ancestral na luta contra o racismo”, terá atividades entre 8h30 e 17h, e tem inscrições abertas. A participação é gratuita, e os organizadores pedem que, quem puder, envie uma colaboração de R$ 20 para café da manhã e da tarde. Os detalhes estão neste link.

O encontro tem as participações confirmadas da codeputada estadual pelo Movimento Pretas e coordenadora da Rede Emancipa, Ana Laura (PSOL-SP); do coordenador do Emancipa Axé, Lucas Castro; da vereadora da capital paulista Luana Alves (também do PSOL); e dos líderes religiosos Pai David Dias, do terreiro Pai João de Angola; Pai Guilherme Watanabe, do terreiro Terreiro Urubatão da Guia; e a Mãe Zana, do terreiro Ilê Asè Odé Ibualamo.

A organização do evento aponta que a formação pretende organizar a juventude do terreiro no combate às opressões, especialmente o fundamentalismo religioso. A mobilização e o debate são considerados fundamentais para garantir a reflexão política necessária para o povo de axé se articular no combate ao racismo e em defesa de suas culturas e tradições.

Lançado no último mês de abril, o Emancipa Axé pretende promover espaços de discussão e construção política a partir da educação popular. Atividades preparatórias já foram realizadas em mais de 20 comunidades em diversas regiões do estado de São Paulo. 

Serviço:

1º Encontro de Formação do Emancipa Axé – Educação ancestral na luta contra o racismo
15 de novembro (feriado), das 8h30 às 17h
Terreiro Aruanda (Rua Silva Bueno, 991, Ipiranga, São Paulo-SP)

+ sobre o tema

Olimpiadas 2012: Triplista grega faz comentário racista no Twitter e é cortada dos Jogos

Um comentário racista no Twitter custou caro à atleta...

Lewis Hamilton descarta sair enquanto McLaren for competitiva

Piloto inglês teve seu nome envolvido em boatos...

Itaú Cultural abre inscrições para curso EaD focado em dramaturgia negra

Entre os inscritos, 40 serão selecionados para as aulas No...

O Passado Sempre Chega ao Presente ?

O bom artigo de Ana Flavia Pinto e Felipe...

para lembrar

Racismo descrito por Toni Morrison é tão brutal quanto a guerra

Seus livros dependem de um leitor atento e disposto...

Depois de décadas, Pelé finalmente entra para o Guinness Book com dois recordes

Demorou algumas décadas, mas o Guinness World Records, entidade...

Bloco Ilê Aiyê vem de Salvador para show gratuito no Sesc

Amantes do Carnaval afro original da Bahia têm um...

14 detalhes que talvez você tenha perdido no clipe do Childish Gambino

O clipe de "This is America" tem muitas mensagens...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=