Estas mulheres sobreviveram a ataques de ácido e agora são heroínas de uma HQ

Monica Singh tinha 18 anos quando negou o pedido de casamento de um amigo. Alguns dias depois, ela estava dirigindo seu carro em Lucknow, na Índia, quando um grupo de rapazes passou correndo e despejou ácido sobre seu corpo – 65% foi queimado, inclusive metade do rosto. Ela ficou desfigurada.

Por Helô D’Ângelo, no  HUFFPOST BRASIL

Atos violentos como esse são particularmente comuns na Índia: por ano, são mais de 300 ataques – as autoridades não têm certeza do número, porque, assim como acontece em casos de estupro, geralmente as mulheres têm medo ou vergonha de denunciar o agressor.

Mais de uma década depois da violência sofrida por Monica, a garota se tornou inspiração para algo incrível: uma história em quadrinhos em realidade aumentada sobre a violência de gênero na Índia. Com o título de O Espelho de Priya, a HQ escrita por Ram Devineni e Paromita Vohra, e desenhada por Dan Goldman, combate a posição de inferioridade na qual as mulheres, especialmente as indianas, são postas na sociedade – um dos objetivos da publicação é acabar com ataques violentos como o sofrido por Monica.

No quadrinho, Priya é uma vítima de estupro que se une a um grupo de sobreviventes de ataques com ácido, lideradas por Anjali (inspirada em Monica) para lutar contra um rei demônio e cuspidor de ácido chamado Ahankar. A HQ, publicada em realidade aumentada, pode ser lida em qualquer dispositivo, inclusive pelo celular.

o-quadrinhos-mulheres-570

Monica Singh, que foi atacada com ácido, ao lado da personagem que inspirou, Anjali.

A história de Anjali, na verdade, é o segundo volume da saga de Priya. O primeiro volume, publicado em 2014, é a origem da própria Priya: a garota sobrevive a um estupro, mas é culpada pela violência e expulsa de casa pela própria família por ter “envergonhado os pais”. Obrigada a vagar sozinha, ela ganha poderes (e um tigre!) da deusa hindu Parvati e passa a combater estupradores na Índia. Assim como Monica inspirou o segundo livro de O Espelho, a história de Priya também tem uma base real: em 2012, uma mulher sofreu um estupro grupal em um ônibus em Delhi. O caso correu o mundo e despertou as discussões globais sobre a violência de gênero na Índia.

A narrativa, disponibilizada grátis (e em quatro línguas, inclusive em português) no site do projeto, combina o antigo e o novo: ao mesmo tempo em que é uma das primeiras HQs a usar a realidade aumentada, acaba contando a história usando alguns elementos das antigas lendas da mitologia Hindu, como os deuses e as cores fortes.

A HQ foi coproduzida pela fundação de Monica, a Mahendra Singh, e pela Fundação Natalia Ponce de Leon, colombiana – ambas voltadas para ajudar mulheres vítimas de ataques com ácido -, e já foi considerada pela ONU Mulheres como um campeão da igualdade de gênero. Depois da repercussão, os autores receberam patrocínio do Banco Mundial – é a primeira vez que isso acontece com um quadrinho, aliás. O primeiro volume de O Espelho de Priya já tem mais de 500 mil downloads, e será implantado nos currículos escolares em Delhi no começo do ano que vem.

Veja o trailer da HQ:

 

+ sobre o tema

Dia Internacional da Mulher Indígena

Hoje, 05 de setembro, é Dia Internacional da Mulher...

Coisa de vagabunda – Por: Clara Averbuck

Isso é coisa de vagabunda. Mulher que se dá...

Eles não estão doentes, e nós não estamos loucas

Ontem, uma menina foi estuprada por 30 homens no...

para lembrar

Jovem de 20 anos é estuprada por PMs após prisão do namorado em Salvador

jovem foi até a Corregedoria da PM, localizada na...

Médico do Rio de Janeiro é acusado de agredir mulheres durante o parto

Um médico da rede pública municipal do Rio de...

“Os mais graves erros judiciários são cometidos por mulheres juízas”, escreve advogado em processo

Juízas cometem mais injustiças devido à "disfunção hormonal provocada...

Basta de violência contra a mulher pelas mãos do Estado!

A violência endêmica contra as mulheres na região das...
spot_imgspot_img

Direito ao voto feminino no Brasil completa 92 anos

As mulheres são atualmente 52% do eleitorado brasileiro, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar de serem maioria, há menos de um século  elas...

De 2,1 milhões inscritos no concurso público nacional, 56% são mulheres e maioria está na faixa até três mínimos

O Concurso Público Nacional Unificado (CPNU), também chamado de “Enem dos concursos”, teve 2.144.435 inscrições confirmadas, sendo 1.543.560 pagantes e 600.875 isentos. De acordo...

Miss é eliminada por ser mãe. Em que ano estamos?

Elas precisam ser lindas, altas e magras. Além disso, é necessário que tenham entre 17 e 27 anos, não sejam casadas e não tenham...
-+=