sábado, novembro 26, 2022
InícioQuestões de GêneroEu não quero um poliamor

Eu não quero um poliamor

Demorei muito tempo para admitir isso para mim mesma. Foi uma tarefa árdua e entre conflitos internos e sentimentos à flor da pele, eu me sinto muito segura para te afirmar: eu não quero um poliamor.

Por Giovana Salles, do Lado M

Eu achei que queria, mas, na verdade, eu queria você e você estava nesse pacote. E para não te recusar, aceitei coisas que, na verdade, eu nunca desejei para mim. Por isso, eu vim aqui te dizer que eu não estou disposta a passar por isso.

E já adianto: nem ouse dizer quais são meus motivos, que eu sou ciumenta demais ou insegura demais. Nem ouse querer caçar minha carteirinha de mulher livre e empoderada. Você não sabe das minhas razões. Mas, basicamente, eu não fui feita para isso.

E eu sei que você foi. E admiro muito esse seu estilo de vida sem amarras. Sem rótulos, até certo ponto. Esse seu estilo de dar o amor que puder para quem puder. Parabéns, vá em frente, te desejo sorte. Mas essa moça aqui não está disposta a amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo.

Veja bem: me chame de romântica, utópica, à moda antiga ou seja lá como você chama as pessoas que escolhem se relacionar com apenas um alguém. Mas eu escolho isso. Você sabe como eu me sinto amando um só e sendo amada de volta? Eu me sinto completa. Cheia de amor, cheia de planos, cheia de vontades. Eu quero decifrar cada pedaço de quem está ali comigo. Quero entender cada mania e decorar cada jeito de sorrir. Quero que ele veja nos meus olhos os dias em que estou cansada de tudo e que preciso de colo. Quero transar mil vezes e saber o que ele gosta ou não. E não digo que você não possa ter isso no seu relacionamento aberto. A questão aqui é que eu não posso. Eu não quero e eu não consigo. Você entende?

Eu demorei para perceber que os melhores momentos nossos eram quando não pensávamos em mais nada além daquele instante. Foi assim que notei que não podia fazer planos com você. E você sabe que sou feita de planos, né? E foi quando percebi que tudo o que eu tinha ao seu lado eram instantes em que você estava disponível para mim e eles eram efêmeros. Você estava sempre na superfície comigo, e eu queria alguém para mergulhar.

E eu também tinha medo e me afastava a cada momento em que pensava em te ligar e temia que estivesse com outra em sua cama. E mesmo se não houvesse ninguém, só a ideia já me colocava alguns passos mais longe de você.

Eu quero que você entenda que, para entrar nesse barco aqui, para viver tudo o que a vida tem para mostrar para gente, para estar comigo nos momentos incríveis e nos ruins também, para me conhecer de verdade e entender o que eu espero do futuro e as coisas que aconteceram comigo no passado, você precisa topar estar só comigo. Mas, se você enxerga isso como uma prisão, se você vê esse tipo de relacionamento como um fardo, eu peço que você vá e seja feliz. Aqui, não quero ninguém que não esteja fazendo tudo de coração aberto. Porque eu estou. Eu estou nesse exato momento em que sou fiel a mim mesma e digo para talvez o cara com quem eu mais quis estar nessa vida, que eu não quero um poliamor. E se é só dessa forma que você vem, então não venha.

Também quero deixar bem claro que você não deve nem ousar sentir pena da garota que não sabe amar muita gente. Não é um fracasso: é uma escolha. E que escolha bem feita, eu te digo. Nunca estive tão segura quanto estou agora. Saber o que eu quero, as minhas razões. A certeza de que algo incrível virá porque eu sei o que é que eu busco. Não sinta pena de mim. Eu sou leal a mim mesma, e por isso minhas escolhas me farão felizes.

O seu amor livre me aprisionava. E hoje, o amor que eu quero ceder para um só, me liberta.

Eu nunca quis um poliamor.

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench