Eventos abordam resistência negra, racismo e religiões de matriz africana em Juiz de Fora

Ações começam nesta sexta (3) e vão até domingo (5). Confira programação.

Do G1

Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Juiz de Fora vai debater entre sexta-feira (3) e domingo (5) cultura, religiosidade, saberes e práticas do povo negro em eventos, como o III Encontro Nacional de Comunidades Tradicionais de Matriz Africana do Movimento Negro Unificado e o XV Feijão de Ogun – Construção dos Territórios Livres.

Ambos têm como objetivo estimular a discussão e reflexão acerca das políticas públicas de proteção e valorização da população negra em dimensões locais, regionais e nacionais. Serão promovidas mesas de debates, oficinas, grupos e apresentações de trabalho durante os três dias.

Um dos assuntos discutidos será a segregação urbana sofrida pelos povos de terreiro e as formas de racismo religioso. O encontro ocorrerá no Parque da Lajinha e simboliza um momento importante para o movimento. Até 2007, o local era sede da Festa do Preto Velho, uma festividade do calendário das religiões de matriz africana.

De acordo com a organizadora do evento, Bárbara Fernandes, o atual Plano de Manejo do Parque, divulgado em 2007, proibiu a realização de manifestações religiosas que envolvam velas e oferendas.

“As oferendas e uso de velas está vinculado a pessoas de religião de matriz africana. Portanto, a realização de uma atividade que discute a segregação urbana e o racismo religioso simbolizam uma reocupação do espaço”, afirmou.

Esta edição também marcará outro momento importante para o movimento negro: a fundação e apresentação do Instituto Feijão de Ogun, que será sediado em Juiz de Fora e se comprometerá com a realização de ações em prol do etnodesenvolvimento, com a oferta de cursos presenciais e a distância.

Confira a programação:
Sexta-feira (03/08)

18h: Solenidade de Abertura

Convidados: Autoridades e lideranças do Movimento Negro e Social
Local: Museu de Artes Murilo Mendes. Rua Benjamin Constant, 790, Centro.
Tema: Etnodesenvolvimento territorial
19h: Palestra Magna

Convidados: Representantes da UFJF, Rede Sapoqui e Governo do Estado
Local: Museu de Artes Murilo Mendes. Rua Benjamin Constant, 790, Centro.
Tema: Etnodesenvolvimento territorial
Sábado (04/08)

8h às 12h: Debates sobre experiências do etnodesenvolvimento na região e no Brasil

Convidados: Representantes de comunidades quilombolas, terreiros, Universidades e de movimentos sociais, culturais, sindicais, de mulheres negras, da juventude e LGBT.
Local: Parque da Lajinha

13h às 15h: Debates sobre soberania alimentar e o etnodesenvolvimento

Convidados: Representantes de comunidades quilombolas, terreiros, Universidades e de movimentos sociais, culturais, sindicais, de mulheres negras, da juventude e LGBT.
Local: Parque da Lajinha. Avenida Paulo Japiassú Coelho, sem número, Bairro Teixeiras.
15h às 17h: Debate sobre a construção da rede de etnodesenvolvimento

Convidados: Representantes de comunidades quilombolas, terreiros, Universidades e de movimentos sociais, culturais, sindicais, de mulheres negras, da juventude e LGBT.
Local: Parque da Lajinha. Avenida Paulo Japiassú Coelho, sem número, Bairro Teixeiras.
Domingo (05/08):

09h às 11h: Apresentação e aprovação das propostas

Local: Olímpico Atlético Clube. Rua Benjamin Constant, 177, Centro
12h às 18h: Comemoração dos XV anos do Feijão de Ogun e 40 anos do Movimento Negro Unificado

Local: Olímpico Atlético Clube. Rua Benjamin Constant, 177, Centro

+ sobre o tema

Show de Ludmilla no Coachella tem anúncio de Beyoncé e beijo em Brunna Gonçalves; veja como foi

Os fãs de Ludmilla já estavam em polvorosa nas redes sociais...

Geledés faz em Santiago evento paralelo para discutir enfrentamento ao racismo nos ODS

Geledés - Instituto da Mulher Negra realiza, de forma...

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços,...

As mulheres que se rebelam contra venda de meninas para casamentos no México

Inicialmente, Claudia* não havia pedido dinheiro em troca da...

para lembrar

O grande anjo negro: Sterling é capa de revista masculina e discute o racismo no futebol

Atacante do Manchester City também fala sobre importância de...

LISBOA DOS ESCRAVOS

Naky Gaglo é natural do Togo e vive em...

Traumas e consequências da escravidão tomam o foco do cinema nacional

Brasileiro ‘Todos os Mortos’, que disputará o Urso de...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Militares viram no movimento negro afronta à ideologia racial da ditadura

Documento confidencial, 20 de setembro de 1978. O assunto no cabeçalho: "Núcleo Negro Socialista - Atividades de Carlos Alberto de Medeiros." A tal organização,...

Geledés discute racismo religioso na ONU

Geledés – Instituto da Mulher Negra segue com sua agenda nas Nações Unidas neste ano. Neste dia 8 de março, o instituto realiza na...
-+=