Fábricas de Cultura têm Programação Especial para o mês da Consciência Negra

Durante o mês de novembro, em homenagem ao Dia da Consciência Negra, comemorado no dia 20, as Fábricas de Cultura Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha – unidades do Programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela organização social POIESIS – promovem uma ampla programação com atividades especiais. A entrada é gratuita.

Por Karina dos Santos Monteiro da Fonseca via Guest Post para o Portal Geledés

Confira a programação completa do Especial de Consciência Negra:

Fábrica Vila Nova Cachoeirinha
Dia 17, às 10h: Arca de Ébano

Espetáculo infantil que busca na contação de história os mistérios e encantos das Áfricas.

 

Fábrica Brasilândia
Dia 17, às 15h: Xirê de Palavra & Poesia Afro 
Grupo Quilombhoje Literatura
Roda de conversa sobre a produção literária de autoras e autores afro-brasileiros, seguida de declamações de poemas, com a participação do público presente. Evento em parceria com a Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias.

Fábrica Jaçanã
Dia 17, às 15h: Descobrindo nossos tesouros: Da África para o Brasil
A partir de algumas divisões no espaço da biblioteca, serão procuradas pistas de um grande tesouro com as crianças. E em cada pista também serão descobertas um conto, brincadeira ou música da cultura africana e afro-brasileira.Fábrica Jaçanã
Dia 17, às 10h e 15h: Oficina de Balé Africano
Baseada na expressão do corpo da cultura africana, nos ritmos de Guiné-Bissau e Moçambique e a disciplina e movimentos do balé expressionista, a bailarina Danna Lisboa propõe ao público um encontro com a consciência corporal ancestral.Fábrica Capão Redondo
Dia 17, às 10h: En cuento com Mirta Portillo
Fábrica Jardim São Luís
Dia 17, às 15h: En cuento com Mirta Portillo

Fábrica Vila Nova Cachoeirinha
Dia 18, às 10h: En cuento com Mirta Portillo

Fábrica Brasilândia
Dia 18, às 15h: En cuento com Mirta Portillo

Mirta Portillo é uma “conta cuentos” ou, contadora de contos. Suas histórias são repletas de mitologias yorubá e tradições negras caribenhas. Nesta apresentação ela traz as histórias que ouviu e aprendeu a contar em Havana, capital de Cuba e cidade natal da narradora.
 
Fábrica Jaçanã
Dias 18 e 19: FabricAfro – Uma Herança
Dia 18, às 15h – Mjiba – a Boneca Guerreira – espetáculo da Cia. Trupe Liuds em homenagem a mulher negra, conta a historia de dois palhaços carteiros, que por curiosidade acabam abrindo uma das correspondências e encontram uma boneca negra “Mjiba”, e ao se relacionarem com ela descobrem grandes valores que a boneca carrega. Dia 19, às 10h e 15h – Oficina de Turbante – Preta Rainha – Oficina de turbantes que visa desmistificar o preconceito e abrir uma conversa sobre esse adorno.Fábrica Jaçanã
Dia 19, às 11h: Lançamento do Livro Juventudes Negras do Brasil – Trajetórias e Lutas
O livro surgiu a partir do Projeto “Rodas de Conversas Sobre Juventudes Negras: Identidade, Desenvolvimento e Genocídio”, uma ação do Observatório de Juventudes Negras promovido pela Articulação Política de Juventudes Negras – Associação Frida Kahlo, com apoio de outras organizações e/ou lideranças no Movimento de Juventudes Negras.  A proposta tem o objetivo de promover a valorização do direito de viver da juventude negra brasileira; promover a defesa e a promoção dos direitos humanos.Fábrica Vila Nova Cachoeirinha
Dia 19, às 10h: Descobrindo nossos Tesouros: da África para o Brasil

Fábrica Brasilândia
Dia 19, às 15h: Descobrindo nossos tesouros: da África para o Brasil
A partir de algumas divisões no espaço da biblioteca, serão procuradas pistas de um grande tesouro com as crianças. E em cada pista também serão descobertas um conto, brincadeira ou música da cultura africana e afro-brasileira.

Fábrica Brasilândia
Dia 19, às 10h e 15h: Oficina de Balé Africano
Baseada na expressão do corpo da cultura Africana, nos ritmos de Guiné-Bissau e Moçambique, a disciplina e movimentos do balé expressionista, a bailarina Danna Lisboa propõe ao público um encontro com a consciência corporal ancestral.
 
Dia 20, às 14h: Comemoração do Dia da Consciência Negra
Local: CTN – Centro de Tradições Nordestinas
(Parceria com a Fábrica Vila Nova Cachoeirinha)
O evento traz atrações de referência do samba e grupos da região como Na palma da Mão e Segunda sem Le. Terá também uma missa afro e homenagem ao jornalista Moisés da Rocha, âncora do Programa “O Samba Pede Passagem”, ícone há mais de quarenta anos na defesa do samba.Fábrica Capão Redondo
Dia 20, às 18h: Show “Os Opalas”
Samba, soul, groove, reggae, rap, afrobeat e rock fazem parte da combinação de ritmos e culturas que inspirou a banda neste novo trabalho. O show contará com um grande baile de abertura conduzido pelo DJ Negão.Fábrica Jardim São Luís
Dia 20, às 20h: Clarianas
O show tem início com uma sonoridade nativa, poética, uma chegança reflexiva. Aos poucos cresce, verticalizando o protesto. O Clarianas segue em uma espiral ascendente, unindo suas vozes aos tambores, poesia teatralidade, até desembocar com a plateia em um grande festejo que celebra a Girandêra.Fábrica Vila Nova Cachoeirinha
Dias 20 e 21, às 10h: Oficina de Berimbau
No dia 20 a oficina de berimbau será realizada com os aprendizes da Fábrica de Cultura, que irão construir seus próprios berimbaus. E no Dia 21 será feita uma roda de capoeira ensinando um pouco de samba de roda rural de Feira de Santana e o Nayambing (ritmo africana de origem Etíope).Fábrica Jardim São Luís
Dia 21, às 16h: Festa Valeu Zumbi
Baile da Consciência Humana, com DJs Tano, Rec e cia e show com as bandas de reggae Dagô Miranda e Veja Luz.

Fábrica Capão Redondo
Dia 22, às 15h: Maracatu Zona Sul
Encontro dos grupos de maracatu Mucambos de Raiz Nagô, Umoja, Baque Atitude e Ouro do Congo, para um ensaio aberto na área externa da Fábrica e seguido de um cortejo pelo entorno.

Fábrica Jardim São Luís
Dia 26, às 10h: Descobrindo nossos Tesouros: da África para o Brasil

Fábrica Capão Redondo
Dia 26, às 15h: Descobrindo nossos tesouros: da África para o Brasil

Dia 27, às 19h: Panelafro
Local: Casa De Cultura M’ Boi Mirim (Em parceria com a Fábrica Jardim São Luís)
Projeto criado pelo grupo Espírito de Zumbi para promover, difundir, cultivar e preservar a cultura afro-brasileira por meio do maculelê, ijexá, samba de roda, coco, ciranda, capoeira, maracatu, bumba, meu boi, forró, rap, afoxé e reggae. Conta com a apresentação de danças folclóricas, performances musicais, teatrais e poéticas. Acontece toda última sexta-feira do mês, além de oferecer ao público um prato típico da culinária popular.

Fábrica Jardim São Luís
De 20 a 30 de novembro: Exposição Máscaras
A máscara sempre esteve presente na cultura africana. Para alguns é uma forma de transcendência em que o espírito ganha massa e corpo. A ideia dessas máscaras começa com a valorização da memória do negro imigrante e sua relevância da sociedade hodierna.

Fábrica Vila Nova Cachoeirinha
Até 30/11: Exposição Expoentes Negros
Coletivo fotográfico retrata negros que se destacaram em diversas áreas da sociedade e faz homenagem a algumas situações vividas por eles. A exposição traz um olhar contemporâneo, mas sem fugir de sua ancestralidade e de suas raízes, encontradas em cultos de religiões de matriz africana e em seu cotidiano.
Serviço:
Fábricas de Cultura
Fábrica de Cultura Brasilândia
Entrada 1: Av. General Penha Brasil, 2508.
Entrada 2: Av. Inajar de Souza, 7001.
Tel: (11) 3859-2300
Horário de funcionamento: terça a Sexta das 9h às 20h.
Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.

Fábrica de Cultura Capão Redondo
Entrada 1: Rua Bacia de São Francisco, S/N
Entrada 2: Rua Algard, 82
Tel: (11) 5822-5240.
Horário de funcionamento: terça a sexta das 9h às 20h.
Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.Fábrica de Cultura Jaçanã
Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138
Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360
Tel: (11) 2249-8010.
Horário de funcionamento: terça a sexta das 9h às 20h.
Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.Fábrica de Cultura Jardim São Luís
Rua Antônio Ramos Rosa, 651. Tel: (11) 5510-5530.
Horário de funcionamento: terça a sexta das 9h às 20h.
Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
Rua Franklin do Amaral, 1575. Tel: (11) 2233-9270.
Horário de funcionamento: terça a sexta das 9h às 20h.
Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.Assessoria de Imprensa – POIESIS – Fábricas de Cultura
Gonçalo Junior: (11) 4096-9827 e [email protected]
Karina Monteiro: (11) 4096-9857 e [email protected]
Thainá Rodrigues: (11) 4096-9852 e [email protected]Assessoria de Imprensa – Secretaria de Estado da Cultura
Gisele Turteltaub: (11) 3339-8162 e [email protected]
Damaris Rota: (11) 3339-8169 e [email protected]

 

+ sobre o tema

Série ‘Pedro & Bianca’ ganha prêmio infantil do Emmy

Única produção brasileira entre os concorrente do 2º Emmy...

Manifesto Crespo: tecendo arte e história nos cabelos

Afinal, existe cabelo ruim? Vez ou outra os negros...

SP: Representantes do movimento negro tomam posse no Conselho de Promoção e Igualdade Racial

Representantes do movimento negro e da administração municipal tomaram...

para lembrar

Edson Natale lança ‘Hagat’

Sobre o EP Hagat traz cinco músicas de um disco que gravei em...

Charlotte Maxeke ou a “Mãe da Liberdade Negra” na África do Sul

Dedicou a sua vida à luta pelos direitos das...

Groundbreaking New Series – ‘Mister Brau’ – Gives Afro-Brazilians Representations to Cheer Despite Flaws

Brazilian television is very white, but most Brazilians aren’t. por Kiratiana...
spot_imgspot_img

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...
-+=