Família de William Green, assassinado por policial nos EUA recebe US$ 20 milhões após acordo

Enviado por / FonteG1, por France Presse

A família de um homem negro morto por um policial dos Estados Unidos receberá US$ 20 milhões (cerca de R$ 112,6 milhões) após um acordo civil, anunciou seu advogado nesta segunda-feira (28).

Em um dos maiores acordos do gênero nos Estados Unidos, o condado de Prince George, em Maryland, pagará essa quantia à família de William Green, que foi baleado e morto algemado no início deste ano.

“É um acordo histórico que reflete a natureza hedionda, a natureza brutal, a natureza sem sentido do que aconteceu com Green”, disse o advogado William Murphy.

Green foi preso no dia 27 de janeiro no condado de Prince George, que faz fronteira com a capital dos Estados Unidos, Washington, após supostamente bater seu carro em vários outros.

O policial Michael Owen teria atirado seis vezes em Green, de 43 anos, enquanto ele estava algemado e no carro da polícia.

Owen, que também é negro, disse que os dois lutaram e Green tentou pegar sua arma.

Os investigadores, entretanto, rejeitaram a acusação: o oficial foi preso e acusado de homicídio.

De acordo com o jornal “The Washington Post”, Owen tinha um histórico recente de uso questionável da força, mas nenhuma ação foi tomada.

“Há um padrão terrível de violência sem sentido, algumas coisas em seu entorno eram aterrorizantes”, disse Murphy.

A executiva do condado de Prince George, Angela Brooks, disse que as autoridades assumiriam a responsabilidade.

“Não há quantia apropriada de dinheiro para compensar uma perda como essa”, afirmou.

A indenização foi anunciada quase duas semanas depois que a cidade de Louisville, no Kentucky, resolveu uma ação civil com o pagamento de US$ 12 milhões à família de Breonna Taylor, uma mulher negra assassinada pela polícia no início deste ano.

Como a polícia americana tem ampla proteção para suas ações durante o serviço, conhecida como imunidade qualificada, as famílias das vítimas estão cada vez mais se voltando para processos civis contra municípios e condados em busca de justiça.

+ sobre o tema

Brancos, vamos falar de cotas no serviço público?

Em junho expira o prazo da lei de cotas nos...

Em junho, Djavan fará sua estreia na Praia de Copacabana em show gratuito

O projeto TIM Music Rio, um dos mais conhecidos...

O precário e o próspero nas políticas sociais que alcançam a população negra

Começo a escrever enquanto espero o início do quarto...

Estado Brasileiro implementa políticas raciais há muito tempo

Neste momento, está em tramitação no Senado Federal o...

para lembrar

Racismo: política pública se faz ouvindo as pessoas, diz Netinho

Em audiência pública nesta quinta-fira (24) no bairro do...

CONVITE ESPECIAL – Campanha Eu Pareço Suspeito?

enviado por: Gildean Silva Panikinho  A campanha “Eu...
spot_imgspot_img

Crianças do Complexo da Maré relatam violência policial

“Um dia deu correria durante uma festa, minha amiga caiu no chão, eu levantei ela pelo cabelo. Depois a gente riu e depois a...

Instituto Odara lança dossiê sobre a letalidade policial que atinge crianças negras na Bahia

O Odara - Instituto da Mulher Negra torna público o documento “Quem vai contar os corpos?”: Dossiê sobre as mortes de crianças negras como consequência...

PM que agrediu mulher no Metrô disse que ela tinha de apanhar como homem, afirma advogada

A operadora de telemarketing Tauane de Mello Queiroz, 26, que foi agredida por um policial militar com um tapa no rosto na estação da Luz do Metrô de São...
-+=