Feminicídio em Brasília: Policial Militar reformado mata mulher a socos

O policial militar reformado Geovanni Albuquerque Brasil, de 49 anos, foi preso nesta segunda-feira (1º) suspeito de matar a mulher, Conceição de Maria Lima Martins, de 43 anos, a socos, horas depois de o casal retornar de um bar. Este é o primeiro caso suspeito de feminicídio na capital federal.

Segundo o G1, o suspeito já havia sido denunciado outras nove vezes pela mulher. Em todas as vezes a vítima retirou a queixa.

Ao chegarem do bar, o policial agrediu a mulher e, em seguida, bêbado, dormiu ao lado do corpo, de acordo com o Correio Braziliense. Apenas quando acordou e percebeu que a mulher não reagia, chamou o Samu. De acordo com o G1, a equipe médica disse que Martins tinha muitos ferimentos no rosto e hematomas no corpo.

Ainda de acordo com o Correio Braziliense, a princípio Brasil negou que havia batido na mulher e disse que ela havia sido vítima de um assalto enquanto voltava para casa. Depois, quando foi apresentado às provas e testemunhos, confessou o crime, alegando que a mulher fazia uso de medicamento controlado: “A nossa relação era conturbada, mas eu só dei um soco nela. O problema foi que ela misturou bebida com o remédio”, disse ele em depoimento, segundo o Jornal de Brasília.

O policial reformado foi preso na 4ª Delegacia de Polícia, no Guará, e pode ser condenado a 12 a 30 anos de reclusão por feminicídio.

PLP 2.0 – Aplicativo para coibir a violência contra a mulher

+ sobre o tema

Gente boa também mata

Por Lelê Teles, enviado para o Portal Géledes Quem reclamou...

Mais armas, mais mortes

Dois importantes estudos sobre violência letal alertam para a...

Pai denuncia estupro da filha após ouvir áudio de padrasto pedindo foto íntima

Além do padastro da menina, amigo dele, personal trainer,...

Em manifesto, juristas denunciam apartheid social no Jacarezinho

Desde a última sexta-feira (11), quando as Forças Armadas...

para lembrar

“Ele é agressivo verbalmente e não percebe”

E é muito difícil explicar para ele que a...

Amnistia pede prioridade para investigação ao assassínio de Marielle

A Amnistia Internacional (AI) defendeu esta sexta-feira, num comunicado,...

Kalungas acreditam na educação para salvar meninas da violência sexual

Para a comunidade, a solução virá de dentro e...
spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Morte de artista circense Julieta Hernández põe em discussão os direitos da mulher viajante; veja outros casos de violência

O Fantástico deste domingo (14) mostrou como a morte de artista circense Julieta Hernández reacendeu a discussão sobre os direitos da mulher. Jussara Botelho...
-+=