Festival ‘Mestre dos Saberes’ homenageia mestres da cultura popular brasileira

Evento traz jongo, samba, capoeira, puxada de rede, afoxé e o cancioneiro popular, entre outras manifestações populares

A partir desta quarta-feira (15) as atrações do festival “Mestre dos Saberes” vão ao ar até domingo (19) de dezembro, sempre a partir das 21h, no canal da Pôr do Som no YouTube em www.youtube.com/pordosomcultural.

Manifestações populares como o bumba meu boi, o jongo, o samba, a capoeira, o samba de roda, a música afro, a puxada de rede, o afoxé e o cancioneiro popular estão reunidas nos shows que terão transmissão gratuita.

Conheça, a seguir, cada uma das atrações do festival “Mestres dos Saberes”

Na quarta-feira (15) o mestre que irá se apresentar é Tião Carvalho, maranhense radicado em São Paulo, que atuando como cantor, compositor, músico, dançarino, brincante e educador, há mais de 40 anos, difunde a cultura popular brasileira no Brasil. Fundador e diretor do Grupo Cupuaçu e com dois discos solos lançados, Tião Carvalho conhece muito sobre danças, cantigas brincadeiras populares e festividades tradicionais.

Com Tião Carvalho (Voz), estão Ariel Coelho (percussão), Celso França (bateria), Ivan Gomes (contrabaixo), Marina Bastos (sopros), Paola Gibram (sanfona e teclado), Pedro Cury (violão e guitarra) e Yuri Carvalho (percussão).

Benedito Luiz Amauro, o mestre Lumumba (Foto: Bruno Marques/Divulgação)

Na quinta-feira (16) é a vez do mestre Lumumba, o Benedito Luiz Amauro, filho de Ogum, “fazedor” de tambores (Oni-lu), conhecedor dos mistérios do ofício milenar da percussão, poeta e compositor, mostrar sua arte. No início da década de 1980, lançou seu primeiro compacto “Cafuné”, ocasião em que conheceu mestre Didi, sacerdote máximo do culto aos ancestrais, que abriu a percepção de Lumumba para o mundo dos ritmos e instrumentos afro-brasileiros.

Acompanhando Lumumba (voz e violão), estão Marquinho Mendonça (guitarra e viola), Bruno Luciano (contrabaixo), Farmer Drummer (bateria) e João Nascimento (percussão).

Mestre Kenura (Foto: Bruno Marques/Divulgação)

Na sexta-feira (17), o mestre Kenura manisfestará a sua arte. Nascido em Itabuna (BA), iniciou-se na capoeira em 1960. Mestre Kenura dedica-se à pesquisa e ao ensino da capoeira angola regional e seu universo musical, coreográfico e simbólico em que se destacam as manifestações do samba de roda, o maculelê e a puxada de rede. Fundou, em 1990, o grupo “Água de Menino”, voltado ao ensino e difusão dessas artes por meio de oficinas, workshops, cursos, aulas e apresentações.

Acompanhando o mestre Kenura (voz, berimbau e atabaque), estão Aline Fernandes (voz e percussão), Edu Guimarães (sanfona e agogô) e Valentina (berimbau, voz, vaso e percussões).

A mestra Ana Maria Carvalho (Foto: Bruno Marques/Divulgação)

No sábado (18), a mestra Ana Maria Carvalho herdeira direta de mestres da cultura popular, cantora, compositora, educadora e brincante ocupa seu espaço no festival. Intérprete do Grupo Cupuaçu, há mais de 20 anos, e cantora e atriz do teatro Ventoforte, há 25 anos. Com um disco solo lançado, ela teve suas composições gravadas por vários artistas. O trabalho autoral da compositora revela forte influência da sua terra natal, o Maranhão, como bumba meu boi, cirandas, forró, cacuriá, ladainhas do Divino Espírito Santo, acalantos, sambas e cantigas de roda tradicionais.

Acompanham Ana Maria Carvalho (voz e maracá), Ana Flor de Carvalho (voz e percussão), Ariel Coelho (percussão), André Fajersztajn (clarinete), Marquinho Mendonça (violão, viola e cavaco) e Guilherme Kafé (baixo), participação especial de Arce Correia (voz).

Jonqueiros (Foto: Bruno Marques/Divulgação)

No domingo (19), o espetáculo Saravá Jongueiros reúne artistas de São Paulo e de Guaratinguetá. “Saravando” a ancestralidade, mestres, as novas gerações, os presentes e os ausentes, o encontro de jongueiros e jongueiras da cidade de São Paulo com os mestres, mestras e descendentes diretos dos Jongueiros do Tamandaré, bairro de Guaratinguetá, lugar histórico do jongo no Estado de São Paulo promete.

De São Paulo: Luiz Fonseca Lobo (voz e tambu), Paulo Dias (voz e tambu), Cesinha Azevedo (voz e tambu). De Guaratinguetá: Regina Helena Jeremias (voz e tambu), Fatinha do Jongo (voz e tambu) e André Jongo (voz e tambu).

Bons shows!

+ sobre o tema

Maguila é internado na ala psiquiátrica do Hospital das Clínicas de São Paulo

O ex-boxeador Adilson “Maguila” Rodrigues está internado na ala...

Os Musicos do Lixão. “Eles nos mandam lixo e devolvemos-lhes música”

Landfill harmonic - La armonía del vertedero - Orquesta...

Poetisas negras: gênero e etnia através dos versos

Para começo de conversa, quantas escritoras negras vocês conhecem?...

para lembrar

Dolores Duran

Dolores Duran, nome artístico de Adiléia Silva da Rocha, (Rio de...

Cansado das mesmas musicas e dos mesmos artistas? Olha o que separamos para você

Deixei de ouvir radio, são sempre os mesmos artistas,...

Sem alarde, Willow e Jaden Smith estão soltando novas músicas. Ouça

Willow, de 14 anos, e Jaden Smith, de 16, os...

Após morte de filho, pianista promove sessões de jazz em apartamento em NY

O apartamento está apinhado de gente. Um padre estica...
spot_imgspot_img

Beyoncé revela ter psoríase e fala sobre sua relação com o cabelo ao lançar linha de cosméticos

Beyoncé revelou em uma entrevista ter psoríase no couro cabeludo. Ela falou sobre o assunto em uma entrevista à revista "Essence", publicada no site no...

Por que Bob Marley é um ícone dos direitos humanos

Ao se apresentar em junho de 1980 na cidade alemã de Colônia, Bob Marley já estava abatido pela doença. Ainda assim, seu carisma fascinou...

Saiba quem é o neto de Bob Marley que emplacou sucesso na Billboard; ouça a canção

YG Marley, nome artístico de Joshua Marley, neto do icônico cantor de reggae Bob Marley, estreou no Billboard Hot 100 com o single “Praise Jah...
-+=