Filha de Samora Machel perde a visão após agressão do namorado

Josina Machel, filha do antigo presidente da República Popular de Moçambique, Samora Moisés Machel, defende que os crimes de violência doméstica devem ser divulgados e não podem ficar impunes, de modo a desencorajar a sua prática e estimular as vítimas, sobretudo as mulheres, a denunciarem quem os comete.

no A Bola

Jo Machel, como é conhecida, é neste momento ativista contra a violência doméstica e acredita que a exposição destes casos pode ajudar a sociedade a compreender a dimensão e gravidade do problema, levando a uma ação conjunta contra a sua prática.
A filha de Samora Machel foi vítima de um crime desta natureza, protagonizado pelo seu companheiro, que resultou na perda da visão devido a uma lesão grave contraída no olho direito.

«Decidi contar a minha história porque sou ativista contra a violência doméstica e, infelizmente, isso aconteceu comigo. Por achar que este tipo de crime não pode ficar impune, decidi partilhar a minha experiência com todos porque acredito que isso pode ajudar a mostrar a dimensão do problema», disse Jo, em entrevista ao jornal Notícias publicado em Maputo.

Segundo conta, tudo aconteceu na madrugada de 17 de outubro, quando a vítima regressava de um espetáculo na companhia do seu namorado e amigos.

«Pouco depois de deixarmos um amigo nosso num dos hotéis de Maputo, expliquei ao meu companheiro que gostaria de ir dormir em casa da minha mãe. Naquele dia a minha mãe completava 70 anos e, como filha, nada melhor que estar ao lado dela. Além disso, o período de 17 a 19 de outubro de cada ano sempre remexe com a nossa família, pois, primeiro, celebramos o aniversário da minha mãe e, depois, temos a data do assassinato do meu pai. Acho que o meu companheiro não entendeu e de forma inexplicável começou a agredir-me alegando que eu queria livrar-me dele e voltar para me encontrar com os meus amigos e continuar a celebrar a noite. Insinuações sem fundamentos. Surpreendeu-me de seguida com socos na cara, que infelizmente me atingiram no olho direito. Tudo isso passou-se dentro do carro», contou durante a entrevista.

«Naquele instante da agressão tudo ficou escuro. Cheguei a pensar que o olho tinha saído. Para meu espanto, ninguém saiu para me socorrer, embora tenha sido numa zona nobre da cidade. Quando tentava tropecei e caí, tendo perdido os sentidos. Levaram-me ao hospital e estava com receio de perder o olho, dada a gravidade dos ferimentos e por ter perdido muito sangue. Infelizmente, as minhas suspeitas confirmaram-se. Como o olho estava aberto, fui operada naquela madrugada em Maputo. Com a intervenção da minha família, fui evacuada para uma clínica na África do Sul. Constataram que houve erupção da retina e foi isso que me criou esta cegueira no olho direito», lamentou a jovem.

Josina Machel diz ter sido instaurado um processo-crime contra o seu ex-companheiro que, segundo ela, deverá responder em tribunal, e garantiu que vai-se empenhar no sentido de elevar a voz das mulheres vítimas de violência.

«Temos que reforçar a nossa lei e formar muito mais gente no setor de Saúde e da Polícia para atenderem melhor os casos deste género, sobretudo nas primeiras horas de agressão. Vou-me empenhar na criação de casas de refúgio para mulheres vítimas de violência, de forma a passarem lá uma temporada antes de voltarem aos seus lares, pois é complicado para uma mulher agredida voltar de imediato a casa», concluiu Josina Machel.

+ sobre o tema

Ato das trepadeiras contra mais um femicídio na MPB

Não é um problema do RAP, não é um...

Para Mulheres Negras, a quem o estupro diz respeito, raça precedeu questões de gênero – Por Maria Rita

Estupro é sempre CRIME Apesar das mudanças legislativas, da implementação...

Aluna é punida após denunciar estupro em universidade nos EUA

Antes que pudesse se mudar para um dormitório na...

Fé, menina. De homem pra homem.

30 homens estupraram uma menina. 30! e sabe o que mais? eles...

para lembrar

Nicarágua realiza fórum sobre violência contra a mulher

O Parlamento nicaraguense promoverá nesta quinta-feira (24) um fórum...

Chefe bate em funcionária em órgão do Governo de Minas

"Estou com muito medo dele fazer alguma coisa contra...

Feministas protestam no julgamento do New Hit

Esta semana que passou, como muitas de vocês sabem,...

Em Minas Gerais, tornozeleira eletrônica evita que homem volte a atacar mulher

Cintia Sasse A Lei Maria da Penha é admirável não...
spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...

Menina de 15 anos é vítima de estupro coletivo na noite de Natal; amigos são suspeitos, diz polícia

Uma adolescente, de 15 anos, foi estuprada na madrugada de Natal, 25 de dezembro, em Campo Grande (MS). De acordo com a polícia, os suspeitos...
-+=