Fórum da ONU Mulheres anuncia US$ 40 bi para combate à desigualdade de gênero

Evento reuniu chefes de Estado e de governo, órgãos internacionais e representantes da iniciativa privada

O fórum Generation Equality, organizado pela ONU Mulheres em parceria com os governos da França e do México, chegou ao fim nesta sexta-feira (2) com o compromisso de investir nos próximos cinco anos mais de US$ 40 bilhões (cerca de R$ 200 bilhões) no combate à desigualdade de gênero.

A direção do evento anunciou que os governos participantes se comprometeram a investir US$ 21 bilhões (R$ 106 bilhões), o setor privado US$ 13 bilhões (R$ 65 bilhões) e organizações filantrópicas mais US$ 4,5 bilhões (R$ 22,7 bilhões). Além disso, as entidades que compõem a ONU também anunciaram investimentos de US$ 1,3 bilhão (R$ 6,5 bilhão).

O evento reuniu chefes de Estado e de governo, órgãos internacionais e representantes da iniciativa privada e da sociedade civil para firmar acordos concretos para o cumprimento da chamada ODS 5, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de Igualdade de Gênero estabelecido pela ONU em 2015.

O programa é parte de uma lista de 17 metas globais que compõem a agenda internacional até 2030, adotada por todos os membros da ONU, inclusive o Brasil.

Os Estados Unidos, que foram representados no fórum por meio de um discurso virtual da vice-presidente Kamala Harris, anunciaram que investirão US$ 1 bilhão (R$ 5 bilhões) em ações de combate à violência doméstica e sexual no país.

O governo do Canadá anunciou que investirá US$ 100 milhões (R$ 505 milhões) para a chamada Aliança do Cuidado, criada pelo México em março durante a primeira etapa do fórum internacional, cujo objetivo é fomentar e ampliar as redes de cuidado para crianças.

A ideia é mitigar o problema de sobrecarga feminina com o cuidado, principalmente dos filhos, um problema que foi agravado pela pandemia a ponto de ser chamado de “crise do cuidado”.

Além disso, o primeiro-ministro Justin Trudeau afirmou em discurso durante a abertura do fórum, na quarta-feira (30) que mais US$ 30 milhões (R$ 151 milhões) serão gastos em ações internas. “Milhões de mães canadenses poderão assim voltar ao mercado de trabalho”, afirmou.

Já aderiram à aliança, segundo a ONU Mulheres, 39 países.

O fórum Generation Equality deveria ter acontecido em 2020, para marcar os 25 anos da Conferência de Pequim, um marco da agenda internacional de combate à desigualdade de gênero. Adiado por causa da pandemia, ele foi realizado de maneira semipresencial em duas etapas em 2021.

A primeira ocorreu em março, tendo o México como anfitrião, e a segunda nesta semana, com a França capitaneando. Apenas a abertura foi realizada presencialmente, com a reunião de chefes de Estado e governo, do secretário-geral da ONU, António Guterres, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, e representantes de empresas e organizações interancionais.

O presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou na abertura do evento que o coronavírus é um “vírus antifeminista”. Ele também disse que há forças patriarcais atuando no mundo que querem fazer regredir os avanços conquistados em direção à igualdade de gênero.

O avanço do conservadorismo e do autoritarismo no mundo foi tema do discurso de diversos líderes. “Ao redor do mundo, a democracia está em perigo”, afirmou a vice-presidente americana. “E quem é afetado quando democracias caem? Mulheres e crianças estão entre os mais afetados.”

Folha mostrou que o Brasil ignorou os convites para participar tanto da etapa mexicana quanto da etapa francesa.

Mas nem só de países historicamente progressistas, como o Canadá, se fez o fórum. Governos de seis países africanos anunciaram que pretendem trabalhar em conjunto para acabar com práticas nocivas como o casamento infantil e a mutilação genital feminina. A aliança foi firmada pela Burkina Faso, Mali, Níger, Guiné, Togo e Benin.

Além dos compromissos governamentais, empresas como a PayPal, que se comprometeu com US$ 100 milhões (R$ 505 milhões), anunciaram que investirão dinheiro em ações de combate à desigualdade de gênero.

Uma das maiores quantias anunciadas veio da Bill e Melinda Gates Foundation, que se comprometeu a utilizar US$ 2,1 bilhões (R$ 10,6 bilhões) em ações nos próximos cinco anos.

A jornalistas convidados para uma conferência nos dias 16 e 17 de junho, a diretora-executiva da ONU Mulheres afirmou que o monitoramento da efetividade das ações se dará por meio de acompanhamento anual e de novas reuniões internacionais.

+ sobre o tema

Movimento LGBT pressionará para criminalizar homofobia em 2012

Movimento LGBT pressionará para criminalizar homofobia em 2012 Principal...

Não punir delitos de quem exibe padrão sociopata é crime?

ENTRE A INTENÇÃO E O GESTO, PODE HAVER UM...

Cartão Vermelho, por Sueli Carneiro

por Sueli Carneiro Fonte: Jornal Correio Braziliense - Coluna Opinião Um...

para lembrar

A escola falhou se o aluno acha que menina é inferior

Na foto acima, seriam prezados alunos ou prezadas alunas?...

Falar de estupro te rotula como vítima

A G. me enviou este relato. Em primeiro lugar muito...

Dono de bar cancela festa de firma: “Homofobia não, independente da religião”

Alex Proud, dono de clube em Londres, recebeu e-mail...

Como ajudar na igualdade de gêneros? Não apenas falando, diz nova rabina de SP

Carreiras como a da paulistana Fernanda Tomchinsky-Galanternik ainda são...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=