Fundo Brasil vai doar até R$ 150 mil para projetos na área de Justiça Criminal

Edital é realizado em parceria com a Fundação OAK e o Instituto Betty e Jacob Lafer e recebe propostas preliminares até o dia 31 de agosto

Por Cristina Camargo Do Fundo Direitos Humanos

Quando se trata de violações de direitos humanos no sistema prisional brasileiro, os números e os cenários são alarmantes. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, a população carcerária do país chega a 640 mil presas e presos – a quarta maior do mundo. Desse total, cerca de 40% são presas ou presos provisórios – pessoas ainda não julgadas ou cuja sentença não transitou em julgado.

Detidas por longos períodos em instalações precárias e insalubres, celas superlotadas ou até mesmo corredores e expostas a diversos tipos de violência, essas pessoas são a prova de que o sistema prisional no país funciona em desacordo com os princípios básicos dos direitos humanos

Nesse contexto, o Fundo Brasil de Direitos Humanos acaba de lançar, em parceria com a Fundação OAK e o Instituto Betty e Jacob Lafer, o edital “Direitos Humanos e Justiça Criminal: Enfrentando a Prisão Provisória e o Encarceramento em Massa no Brasil”, que receberá propostas preliminares até o dia 31 de agosto.

Serão doados até R$ 150 mil a projetos que tenham como foco combater o uso excessivo e ilegal da prisão provisória no Brasil. O objetivo do edital é fortalecer a sociedade civil nesse campo. As organizações apoiadas deverão realizar atividades como documentação, monitoramento de informações e pesquisa, comunicação e campanhas, advocacy, litigância, assessoria técnica e jurídica.

Há um interesse especial em apoiar projetos que lidem com a dimensão racial, étnica e de gênero em relação ao uso abusivo da prisão provisória.

Serão aceitas propostas de organizações sem fins lucrativos, formalizadas ou não, incluindo universidades ou organizações de pesquisa. Cada organização pode apresentar apenas uma proposta.

Seleção

O processo seletivo será realizado em duas etapas. Na primeira, as organizações devem enviar uma proposta preliminar com resumo dos objetivos, atividades e resultados previstos. Depois dessa fase, as propostas que estiverem adequadas aos objetivos do edital passarão à segunda etapa. Nessa etapa, as propostas completas enviadas pelas organizações serão analisadas por um comitê de seleção formado por especialistas e pela governança do Fundo Brasil.

O resultado final será divulgado no site do Fundo Brasil a partir do dia 11 de dezembro de 2017.

Parceria

Fundo Brasil atua como elo entre organizações de direitos humanos e doadores de recursos. Além do apoio financeiro, os projetos também são beneficiados por atividades de formação e visitas de monitoramento.

Sediada na Suíça, a Fundação OAK é parceira do Fundo Brasil no apoio a questões relacionadas à Justiça Criminal desde 2013.

Instituto Betty e Jacob Lafer é uma organização familiar que financia projetos em duas áreas programáticas: aprimoramento e inovação de gestão; e políticas públicas e redução das desigualdades no sistema de justiça.

Saiba mais

Prazo: propostas preliminares serão recebidas até o dia 31/08

Para acessar o edital completo, clique aqui.

+ sobre o tema

A inovação política que emerge nas periferias

Resultados do 1º turno reforçam nova configuração no Folha de...

‘Medo, insônia e silêncio’: advogada relata situação de resgatados em condições de escravidão no RS

O pagamento das verbas rescisórias e o retorno à terra natal não...

Sem debate prévio, Senado escolhe representante da sociedade no CNJ

Nesta terça-feira (08), as organizações de direitos humanos...

para lembrar

Lenhador, uma vida de sofrimento

 Zé, Márcio, Egon e Péu sofrem até hoje com...

A mulher negra no mercado de trabalho

Rousseau, considerado um pensador progressista, dizia que a mulher...

Projeto de prevenção ao trabalho escravo forma turmas no Maranhão

Nesta quinta-feira, dia 29 de março, a AlfaSol, em...
spot_imgspot_img

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...
-+=