Grupo Articulador discutirá com parlamentares combate ao racismo na primeira infância

O Grupo Articulador “Primeira Infância no Centro: garantindo o pleno desenvolvimento infantil a partir do enfrentamento ao racismo” se reunirá nesta quarta-feira (15) com parlamentares e assessores da Câmara dos Deputados, em Brasília.

O grupo é formado por uma articulação de 11 organizações da sociedade civil que atuam em defesa dos direitos das populações negras, quilombolas, indígenas e de terreiros. Pelo segundo ano consecutivo, o objetivo é buscar apoio parlamentar para enfrentar o racismo com políticas públicas voltadas à primeira infância. 

Representantes das organizações devem entregar para os parlamentares uma Carta de Apresentação, que oferece um panorama das violações dos direitos das crianças negras e indígenas e um direcionamento sobre os eixos políticos para o enfrentamento do racismo. 

A carta mostra que  diferentes estudos de órgãos governamentais e não-governamentais apontam para a desigualdade de acesso das crianças negras e indígenas aos serviços de saúde, à creche e pré-escola, à habitação com saneamento básico e condições adequadas de moradia, dentre outros direitos básicos.

Além das restrições das condições da vida material, o racismo estrutural impõe às crianças negras, indígenas, quilombolas e de terreiro desvantagens simbólicas e psicológicas em decorrência de uma representação distorcida e equivocada de suas culturas na sociedade. 

A ausência de um processo educacional que reconheça e apresente de forma digna e respeitosa as diferentes matrizes étnico-culturais do país afetam negativamente essas crianças e acarretam em consequências no processo de desenvolvimento infantil como: rejeição da própria imagem e impacto na autoestima, construção de uma identidade racial desvalorizada, restrições para realizar sua capacidade intelectual, problemas de socialização e inibição comportamental, estresse tóxico, dentre outros.

A carta é assinada pelas seguintes organizações:

  • Ação de Mulheres pela Equidade (AME)
  • Centro de Estudos e Defesa do Negro do Pará (CEDENPA)
  • Coletiva Mahim: Organização de Mulheres Negras para os Direitos Humanos 
  • Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ) 
  • Criola
  • Geledés Instituto da Mulher Negra 
  • Grupo de Mulheres Negras Mãe Andresa 
  • Instituto de Mulheres Negras do Amapá (IMENA)
  •  Nzinga Coletivo de Mulheres Negras 
  •  Rede de Mulheres Indígenas do Estado do Amazonas Makira Eta 
  •  Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde (RENAFRO)

Durante a passagem pela capital federal, as representantes das organizações também farão visitas a alguns Ministérios que compõem o atual governo. 

Conheça a íntegra da Carta de Apresentação do Grupo Articulador “Primeira Infância no Centro:  garantindo o pleno desenvolvimento infantil a partir do enfrentamento ao racismo”.

+ sobre o tema

O PLP 2.0 Aplicativo de Combate a Violência contra Mulher é premiado pela OEA

O aplicativo PLP 2.0 foi um dos premiados pela...

Webinário debate papel desempenhado pelo empreendedorismo social na pandemia

A Folha transmite, na próxima segunda-feira (7), o seminário virtual “Boas...

Feminismos vitais

O projeto “Enquanto Viver, Luto!”nasce da ideia de que...

para lembrar

spot_imgspot_img

Polícia Civil de Alagoas prende homem por injúria racial e ameaça

A Polícia Civil, por meio da seção de capturas da Dracco, realizou nesta terça-feira (9), o cumprimento de um mandado de prisão contra um...

SP: Vigilante que sofreu racismo religioso no trabalho deve ser indenizado

Uma empresa de segurança e um shopping foram condenados a indenizar um funcionário que foi alvo de racismo religioso por colegas de trabalho. A...

Brasileiras denunciam racismo em palestra, em Harvard: ‘Tem piolho nas tranças?’

Duas brasileiras relataram ter sofrido racismo em uma das palestras da Brazil Conference no último sábado, na universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Naira...
-+=