As guerreiras africanas do Daomé estão nas ruas do Senegal

África não é só famosa por sua rainhas, mas também para suas guerreiras. Desde o Egito antigo, passando pela Núbia, Nigéria, Congo, Gana, Guiné Bissau, África do Sul e Benin. O continente tem uma história de luta das mulheres que eram combatentes assim como os homens.

Por Sandra Quiroz no Contioutra

As guerreiras do Daomé, também conhecidas como as guerreiras Mino, são um exemplo disso.  Foram soldados valentes e disciplinadas. A crueldade em sua forma de lutar as colocava a frente no campo de batalha contra os colonos brancos europeus. Este exército de mulheres foi criado no início do século XVII, e por quase 200 anos dominou e prevaleceu invicto. As Amazonas do Daomé são um dos poucos exércitos de mulheres documentado da história moderna.

O único propósito destas guerreiras era a guerra. Elas eram educadas e treinadas para a luta. Não podiam ter filhos ou se casar e suas habilidades físicas vieram para superar os guerreiros homens . Rifles Winchesterque obtidos da venda de escravos, facas, lanças, arcos e flechas eram as suas armas. Após as batalhas, bebiam o sangue de seus inimigos e , em seguida, expunham suas cabeças como um troféu de guerra .

2015-01-13-brooklynstreetartyzyseultsenegalweb11-thumb

Algumas fontes indicam que o número de guerreiras Mino chegou a quatro mil e outros dizem que elas chegaram a casa de seis mil mulheres guerreiras . Durante dois séculos, essas tropas foram poderosas na África Ocidental até que desapareceu em 15 de janeiro de 1894. O reino do Daomé perdeu a batalha contra a França e tornou-se uma colônia, agora Benin.

2015-01-13-brooklynstreetartyzyseultsenegalweb8-thumb

E  foi justamente a história dessas mulheres fortes e respeitadas do reino do Daomé, que inspirou a artista francesa YZ Yseult . “Amazon” é o nome do seu trabalho que consiste em uma série de imagens em preto e branco do passado anti colonial e revolucionário.

2

Do outro lado da arte de rua, que sempre foi uma ferramenta de expressão poderosa , YZ apresenta o mundo das mulheres que marcaram a história africana e desafiaram todos os tipos de estereótipos. Histórias dessas grandes Amazonas, em ruas senegalesas . Histórias de mulheres anônimas que hoje devem ser lembradas.

1345

6

 

Leia Também:

Grandes Reis e Rainhas da África

+ sobre o tema

Afrocolombianos son los que más emigran a Chile

Zamira es pequeña y se esconde tras una...

Olodum: princesa Isabel não é heroína da abolição

Fundador do grupo Olodum, João Jorge Rodrigues, disse que...

Fotógrafo registra os últimos sobreviventes do nascimento do blues no Mississipi

O trabalho de Lou Bopp resgata parte importante da...

II Encontro Afro Latino

Por: Rosilda Oliveira Com o objetivo de elaborar um...

para lembrar

Pelé canta e dança em filme para atrair turistas para São Paulo

Fonte: G1- Propaganda custou R$ 1,3 milhão e é responsabilidade...

Mandela deixa sua casa para viagem pela 1ª vez após doença

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela se...

MUTIRÃO QUER EVITAR CEGUEIRA EM SALVADOR

Fonte: SEGS Portal Nacional - 6ª campanha Salvador contra...
spot_imgspot_img

Djonga fará turnê pelos Estados Unidos em julho de 2024

Um dos maiores nome do hip hop nacional, Djonga fará sua segunda turnê nos Estados Unidos. O mineiro leva a turnê "INOCENTE 'Demotape'” para Connecticut, Filadélfia...

Gilberto Gil anuncia aposentadoria dos palcos após série de shows em 2025

Gilberto Gil vai se aposentar dos palcos no ano que vem, confirmou sua assessoria de imprensa neste sábado (29). Aos 82 anos, o cantor e...

Filme mostra busca por memória negra e indígena na luta pela independência do Brasil

Nesta quinta-feira (4), estreia o documentário “2 de Julho: A Retomada”, que relembra as lutas que consolidaram a Independência do Brasil com a expulsão...
-+=