Haitiana será indenizada por assédio moral e discriminação racial no trabalho

Enviado por / FonteMigalhas

A 9ª câmara do TRT da 15ª região deu provimento parcial a recurso de uma mulher haitiana para que a empresa na qual ela exercia função de auxiliar de serviços gerais pague indenização por assédio moral e racial realizados pelo gerente. Ao ajuizar ação, a trabalhadora afirmou que ela nunca era “escalada para trabalhar no balcão de atendimento, mas somente na cozinha” e que, diferentemente dos outros colegas, era designada a apenas trabalhos mais pesados.

A trabalhadora ajuizou ação alegando que exerceu funções diversas daquelas para as quais foi contratada e que sofreu humilhação e discriminação do gerente, fato que lhe causou abalo emocional. Conforme afirmou, ela era submetida a constante constrangimento com discriminação perante seus colegas de trabalho, sempre sendo obrigada a cargas de trabalho excessivos de forma desigual com seus colegas da profissão.

Afirmou, ainda, que era sempre submetida a função adicional de cozinheira, de limpeza e higienização do local de trabalho, o que não ocorria com os demais colegas. Alegou que foi submetida a humilhação e discriminação diante de seus pelo gerente quando ele se dirigiu à ela afirmando: “você não vale por nada”. Consta nos autos que o gerente teria afirmado, em outra ocasião, que a autora era estrangeira e, por isso, não sabia de nada.

Diante dos fatos apresentados, pediu o pagamento de diferenças salariais pelo acúmulo de função, reflexos e integrações e indenização por dano moral.

Em 1º grau, o juízo considerou que a multifuncionalidade que caracterizou o contrato da autora não significa, necessariamente, um acúmulo de funções. Ao contrário, tratam-se, todas, de tarefas típicas ou correlatas às do cargo ocupado. Quanto ao dano moral, considerou-se que a situação foi um mero aborrecimento.

Ao analisar o recurso da trabalhadora, o relator, desembargador José Pedro de Camargo Rodrigues de Souza, concluiu que não houve, no caso concreto, acúmulo de funções, uma vez que a trabalhadora exerceu atividades correlatas à função para qual foi contratada.

Em relação ao dano moral, o magistrado entendeu que a reclamante comprovou que era tratada de forma diferente dos outros funcionários e que sofreu racismo e assédio moral. “Embora não conste expressamente do art. 223-C da CLT, não há como negar que a discriminação de cunho racial constitui ofensa à honra, à intimidade e à autoestima do empregado”, afirmou.

Com este entendimento, o colegiado condenou a empresa a indenizar a trabalhadora no valor de R$ 25.230.

O advogado Marcos César De Oliveira atuou no caso pela trabalhadora.

Processo: 0011490-51.2018.5.15.0032
Veja decisão.

+ sobre o tema

Brasil é o 20º país mais violento do mundo

Por Luiz Flávio Gomes ** Diferentemente do que foi...

Shonda Rhimes faz um discurso poderosíssimo sobre inclusão na TV

Já está podendo colocar a coroa de “Rainha da...

Polêmica sobre livro de Lobato acusado de racismo pode acabar em setembro

Após quase dois anos de embates entre especialistas, Conselho...

para lembrar

Projeto sobre ‘brancura’ inflama debate sobre racismo nos EUA

Em meio a protestos contra morte de negros por...

A proibição do turbante mata

Nessa semana, recebi um "pedido mandatório" da diretoria da...

A minha resistência não será tão sutil quanto o seu racismo

Jogadoras Cubanas do time de vôlei do Usiminas foram...

Haitianos são atacados com tiros de chumbinho no Centro de São Paulo

Seis haitianos foram baleados com tiros de chumbinho no...
spot_imgspot_img

Prisão de torcedores deveria servir de exemplo para o futebol brasileiro

A condenação de três torcedores racistas na Espanha demonstra que, apesar da demora, estamos avançando em termos de uma sociedade que quer viver livre...

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...
-+=