Guest Post »

Indivisível retrata a história da cultura negra no bairro da Liberdade

Indivisível mostra como a cultura negra e oriental coexistem no bairro da Liberdade, em São Paulo. O quadrinho está no Catarse e segue até dia 03 de junho, com finalidade de baratear a produção de mais exemplares. Em menos de dois dias, a obra escrita e desenhada por Marília Marz arrecadou trinta por cento da meta de doze mil reais.

Por Davi Costa, do Epilogo

A trama conta a história de Francisco José das Chagas, conhecido popularmente como Chaguinhas. Chagas era um oficial negro e frequentemente libertava e ajudava escravos a fugirem. Ele seguiu assim até certo dia, quando foi pego e condenado a morte por enforcamento no Largo da Forca, hoje chamado Praça da Liberdade. No entanto, a corda rompeu inúmeras vezes. Com isso, o oficial tornou-se um mártir e santo popular.

Arte: Marília Marz

Ainda hoje no bairro da Liberdade, Chaguinhas é um catequizado informal e recebe pedidos de proteção. Em duas igrejas da região, Capela dos Aflitos e Santa Cruz dos Enforcados, devotos oram em troca de proteção do oficial enforcado.

A obra começou a ser produzida durante o trabalho de conclusão de curso (TCC) de Marília Marz. Ela decidiu que o tema seria o bairro da Liberdade e conversou com seu professor. Nisso, ele respondeu entusiasmado e explicou que a Liberdade é um bairro negro, surpreendendo-a. Toda a confecção da obra durou seis meses, sendo quatro dedicados à pesquisa e elaboração de roteiro e storyboard e outros dois voltados à produção, finalização das páginas e edição.

Eu tava muito num processo de descoberta da minha própria identidade negra. Então como assim o meu bairro preferido da cidade também tinha muito a ver comigo e com essa história de uma forma que não conhecia. Desde então o foco do meu trabalho foi cobrir como o bairro é oriental e negro. Como essas duas coisas coexistem no mesmo lugar”, conta a quadrinista sobre o surgimento da obra.

Arte: Marília Marz

No ano passado, o quadrinho de Marília participou do Des.Gráfica. O concurso de publicações organizado pelo Museu da Imagem e Som de São Paulo elegeu Indivisível como um dos cinco vencedores, premiando com cinquenta exemplares impressos da obra.

A edição física do quadrinho traz pesquisas e ensaios de Marília Marz sobre o bairro da Liberdade. Há também uma seção dedicada aos bastidores da obra: primeiros rascunhos, páginas a lápis e processo de criação dos personagens.

Pretendo colocar a parte teórica do meu trabalho, todo o processo de elaboração da história em quadrinhos. Desde os desenhos a lápis aos desenhos a caneta, as páginas finalizadas, os primeiros rascunhos”, explica no vídeo.

Os valores para contribuir variam entre dez a duzentos reais. O apoiador pode receber Indivisível em PDF ou impressa, wallpaper temático, nome nos agradecimentos, adesivo, um santinho do oficial Chaguinhas, enfeite de papel em homangem ao bairro da Liberdade, poster em A4, ecobag estilizado e um desenho original em A4 escolhido.

Marília Marz

Marília Marz é formada em arquitetura e trabalha com design gráfico e expografia. Após receber uma bolsa do programa Ciência Sem Fronteiras, ela estudou na University of Oregon, nos Estados Unidos. Essa é uma das poucas faculdades americanas que oferece curso de quadrinhos. Indivisível surgiu após seu retorno ao Brasil.

 

Related posts