Influencers que deram banana para criança negra já causaram revolta na web por humilhação a motorista

Mãe e filha têm mais de 1 milhão de seguidores no Instagram e 13 milhões no Tiktok, onde publicam vídeos de "trolagens"

As influencers Kérollen Cunha e Nancy Gonçalves que causaram revolta nas redes sociais nos últimos dias por conta de vídeos nos quais presenteiam crianças negras com presentes como uma banana e um macaco de pelúcia já se envolveram em episódios semelhantes. Em 2021, a dupla, que é mãe e filha, se filmou humilhando um motorista de carro.

A publicação original não pode mais ser encontrada nas redes das influencers. Na gravação, elas afirmavam que o veículo do homem tinha “cheiro podre”. Uma delas chega a dizer, segundo a revista Glamour, que o motivo para tanto era o cabelo do motorista.

Assim como as gravações mais recentes, a publicação de Kérollen e Nancy feita naquele ano rendeu acusações de racismo nas redes sociais. Na época, elas chegaram a gravar um vídeo se explicando e afirmaram que tudo se tratava de uma “trollagem”.

“Pra (sic) ele não se sentir ofendido a gente disse que falaria coisas feias. Mas que era só um personagem. Para ele não levar pro (sic) coração nada”, diz o vídeo publicado em fevereiro de 2021.

Nesta gravação, o motorista que aparece no vídeo original também está presente. Ele se manifesta e declara não ter se sentido ofendido pois sabia se tratar de um vídeo para as redes sociais.

Nesta terça-feira, a advogada Fayda Belo denunciou as duas influencers que publicaram em suas redes vídeos nos quais aparecem entregando um macaco de pelúcia, uma banana e até dinheiro para crianças abordadas em vias públicas. Especialista em Direito antidiscriminatório, Fayda afirma que o vídeo apresenta o chamado “racismo recreativo”, que ocorre quando alguém usa de “discriminação contra pessoas negras com intuito de diversão”.

— Vocês conseguem dimensionar o nível de monstruosidade que essas duas ‘desinfulenciadoras’ tiveram ao dar um macaco e uma banana para duas crianças e ainda postar nas redes sociais para os seus mais de 13 milhões de seguidores […]? Para ridicularizar duas crianças negras, para incitar essa discriminação perversa que nos tira o status de pessoa e nos animaliza como se fosse piada — afirma Fayda.

Os vídeos que circulam nas redes sociais são da influencer Kérollen, que tem um canal no qual publica vídeos junto com a filha, Nancy. São mais de 1 milhão de seguidores no Instagram e 13 milhões no Tiktok. Em um dos registros, Kérollen conversa com um menino negro em uma calçada e questiona se ele gostaria de receber um presente ou R$ 10. Ele opta pelo presente, mas, ao perceber que se tratava de uma banana, responde “só isso?”, afirma que não gostou e deixa o vídeo da influencer.

Procurada pela reportagem, as influencers não responderam aos contatos. Após a repercussão do caso, a conta delas no Instagram impediu que novos comentários fossem feitos nas publicações. Desde a repercussão dos vídeos, a conta da dupla no Instagram publicou apenas um story, no qual está escrito o versículo bíblico Isaías 43:25: “Mas sou eu, eu mesmo, que apago os seus pecados por amor de mim, e que nunca mais se lembra deles”.

+ sobre o tema

Mantida condenação de colunista de jornal pelo crime de racismo contra índios

A 2ª Turma Especializada do TRF-2ª Região, por unanimidade,...

ONU: Jovens negros são as principais vítimas da violência no Brasil

Alagoas é o estado com maior IVJ – Violência...

Elza Soares sobre festa da diretora da Vogue: “escravizar, nem de brincadeira”

A compositora Elza Soares fez um post no seu Instagram oficial...

Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Em 2015 foram protagonizados contra as crenças de matriz...

para lembrar

Vídeo coloca agressor frente a frente com vítima de racismo

Em julho do ano passado, a jornalista Maria Júlia...

“Branco correndo é atleta, Preto correndo é ladrão”

Qualquer negro, jovem ou velho, homem ou mulher, rico...

Marcelo minimiza caso de racismo: ‘Sou mais forte que o preconceito’

Torcida do Atlético de Madrid atacou verbalmente o lateral...
spot_imgspot_img

Racismo Ambiental é tema de Seminário promovido pela ActionAid

Nos dias 04 e 05 de junho, a ActionAid promoverá o “Seminário Racismo Ambiental”. O encontro será realizado das 09h30 às 17h (horário de...

A Universidade de São Paulo e os seus tribunais raciais

Em março, a Universidade de São Paulo gerou controvérsia ao barrar um aluno por não considerá-lo pardo. Como de costume, logo apareceram os críticos...

Nem a tragédia está imune ao racismo

Uma das marcas do Brasil já foi cantada de diferentes formas, mas ficou muito conhecida pelo verso de Jorge Ben: "um país tropical, abençoado...
-+=