Instituto lança campanha pela igualdade de gênero e contra racismo

Ação também vai debater políticas públicas voltadas para a mulher negra.
Evento teve presença de lideranças da capital e do interior do estado.

Por Cassio Albuquerque do G1 

O combate ao racismo e a luta pela igualdade de gênero são os pontos principais de uma campanha lançada nesta quinta-feira (7) pelo Instituto de Mulheres Negras do Amapá (Imena). O lançamento ocorreu durante o encerramento do projeto ‘Fala Nega’ desenvolvido pela entidade que realiza ações de conscientização e debates sobre a temática no estado.

Com o slogan “Igualdade racial e de gênero em todos os lugares”, a campanha quer reforçar a discussão entre as lideranças do movimento na capital e no interior, além de colocar em pauta questões sociais como delimitação de terras quilombolas, segurança pública, educação e saúde, segundo informou a integrante do Imena, Maria das Dores Almeida.

Integrante do Imena, Maria das Dores Almeida (Foto: Cassio Albuquerque/G1)
Integrante do Imena, Maria das Dores Almeida
(Foto: Cassio Albuquerque/G1)

“Essa campanha será lançada para a sociedade oficialmente em agosto. Hoje foi a apresentação interna para as mulheres representantes de cinco municípios e o propósito é fazer com que elas levem esses ensinamentos para suas cidades e que nos ajudem a promover esse debate”, declarou.

O evento também contou com a presença da coordenadora executiva do Instituto, Odara da Mulher Negra, Valdecir Nascimento. Para ela, é preciso que as entidades de defesa de gênero na Amazônia se unam para buscar garantias de direitos.

“Temos que fortalecer esses laços para chegarmos em prioridades comuns e também para reivindicarmos esses direitos de forma coletiva”, declarou. Após as ações da campanha, o Imena informou que as entidaddes locais no estado estarão presentes na Marcha Nacional das Mulheres Negras que ocorrerá no mês de novembro, em Brasília, no Distrito Federal.

 

Leia Também:

Mulher Negra

+ sobre o tema

para lembrar

MV Bill presta depoimento no Rio e nega ter agredido irmã

O rapper Alex Pereira Barbosa, o MV Bill, prestou...

É hora de olhos de bem-te-vi e ouvidos de boi manhoso – Por: Fátima Oliveira

São tantas coisas na política nacional que é difícil...

Basta apenas ser mulher para ser vítima de estupro

Se alguém contasse que um médico aproveitaria o momento...

Confira o bate-papo com a deputada Leci Brandão

Nestas próximas semanas, vamos conhecer um pouco mais sobre...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=