John Bella defende bolsa de criação para escritores infantis

Luanda- O escritor angolano John Bella advogou no sábado, a implementação de uma bolsa de criação para os escritores que publicam obras infantis, bem como a publicação obrigatórias das obras e maior simbiose entre as escolas, escritores e associação de escritores.

Foto: DR

Em declarações à Angop no âmbito do Dia Mundial da Literatura Infantil, que hoje se assinala, o escritor é de opinião que a literatura infantil tem baixado de produção e qualidade por falta de incentivo e de humildade de muitos novos talentos que não procuram se aconselhar e aprender com os mais rotulados nas lides literárias.

De acordo com o escritor, embora muita coisa positiva tenha sido já feita, a literatura infantil actualmente está estagnada, não se comparando com os anos dourados como as décadas de 80 e 90, onde apareceram escritores e com talentos.

“Muitos dos escritores da nova geração escrevem obras sem o cunho pedagógico, fazem por emoção e não com a razão e esta literatura dirigida para crianças deve ser para educar e em vez de educar acaba a debilitar os estudantes, alunos”, sublinhou.

Para o também professor de história, a nova geração de escritores deve procurar os mais experientes como Dario de Melo, Cremilda de Lima, Eugénia Neto, Maria Cristina Fernandes, entre outros, para ser aconselhada, dirigida como deve ser feita.

John Bella defendeu que deve ser entregue, uma vez  por mês, incluído na merenda escolar, um livro infantil de escritor nacional para assim valorizar a literatura e as crianças tomarem contacto com o gosto pela leitura.

Segundo a fonte, os professores têm responsabilidades acrescidas no desenvolvimento das crianças, razão pela qual devem obrigar os estudantes a terem no livro um verdadeiro amigo.

John Bella, pseudónimo literário de Jorge Marques Bela, nasceu bairro Sambizanga, em Luanda, é Sociólogo de formação, membro da UEA e secretário-geral adjunto da Brigada Jovem de Literatura Angolana (BJLA).

Publicou o seu primeiro livro de poesia intitulado “Água da Vida” em 1995, o qual foi distinguido, em 1996, com o prémio de “Escritor do Ano em Angola”.

Em 2011, lançou o romance “Os Primeiros Passos da Rainha Njinga” e seguidamente, em 2012, publicou o romance “O Regresso da Rainha Njinga”.

+ sobre o tema

Curso online apresenta o Candomblé

Formação é uma das poucas no país a discutir...

Jay-Z cancela show do Rock in Rio e será substituído por Maroon 5

Rapper alegou problemas pessoais; apresentação aconteceria em 1º de...

Jennifer Hudson ganha prêmio Tony e é 17ª pessoa a alcançar status EGOT

Na madrugada desta segunda-feira (13), a cantora e atriz Jennifer...

para lembrar

Bahia citada como destino turístico pelo New York Times

  Bahia foi o único estado brasileiro a...

Jesús Chucho Garcia – Las masacres contra afrodencendientes

Por Jesús Chucho Garcia**** **** El holocausto mas grande...

Ex-palmeirense convive com torcida armada e violência na Chechênia

Recém-contratado pelo Terek Grozny, atacante Ewerthon conta que elenco...

EUA imigração: A lei da polêmica

A queda de braço é entre a Casa Branca...
spot_imgspot_img

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...

SP: mostra de cinema Léa Garcia – 90 Anos celebra obra da artista

A mostra inédita Léa Garcia - 90 anos, que começa neste sábado (25), celebra a obra da renomada artista do cinema nacional, que morreu em...

Cientistas revelam mistério por trás dos antiquíssimos baobás, as árvores da vida

Cientistas afirmam ter resolvido o mistério em torno da origem dos antigos baobás. De acordo com análises de DNA, as árvores teriam surgido pela primeira...
-+=