Jovem negro que estaria em surto é morto estrangulado por ex-militar no metrô de Nova York, e caso gera revolta

Acusado foi ouvido pela polícia, mas acabou liberado em seguida

Um homem negro que estaria tendo um surto psicótico dentro do um vagão do metrô de Nova York foi morto após ser estrangulado por um ex-militar que também estava na composição. Segundo Julie Bolcer, porta-voz do médico legista que atendeu a vítima, Jordan Neely morreu em decorrência da compressão sofrida no pescoço resultado do estrangulamento.

O assassinato ocorreu em um trem em Manhattan e levou a investigações tanto da polícia quanto dos promotores, disse um porta-voz do procurador distrital, Alvin Bragg.

“Como parte de nossa rigorosa investigação em andamento, revisaremos o relatório do médico legista, avaliaremos todos os vídeos e fotos disponíveis, identificaremos e entrevistaremos o maior número possível de testemunhas e obteremos registros médicos adicionais”, disse o porta-voz do promotor distrital em um comunicado. “Esta investigação está sendo conduzida por promotores seniores e experientes e forneceremos uma atualização quando houver informações públicas adicionais para compartilhar.”

Na segunda-feira, um homem que estava no mesmo vagão do metrô se aproximou de Neely, um imitador de Michael Jackson de 30 anos que gritava que estava com fome e pronto para morrer. O homem de 24 anos que sufocou Neely não foi identificado. O episódio, filmado em um vídeo de quase quatro minutos que mostra outros motociclistas ajudando a prender Neely enquanto outros observavam, levou a uma investigação policial e estimulou defensores dos sem-teto, autoridades municipais e outros a pedir prisão do homem que imobilizou a vítima.

Segundo o The Guardian, cerca de 30 pessoas se reuniram para uma vigília na plataforma em que o caso ocorreu. Eles pintaram uma coluna com a frase “Quem matou Jordan Neely?”. Pouco tempo depois, as tensões entre segurança e manifestantes se transformaram em hostilidade em relação à política de Nova York em relação aos desabrigados e à polícia da autoridade de trânsito.

A governadora Kathy Hochul disse que precisava revisar o incidente mais de perto, mas chamou a morte do homem de preocupante. “Foi profundamente perturbador”, disse ela aos repórteres.

O incidente ocorre quando a cidade luta para reduzir o crime e o número de pessoas com doenças mentais que vivem nas ruas, respeitando também os direitos de seus moradores mais vulneráveis. As duas questões se tornaram o foco duplo do prefeito Eric Adams, que enviou mais policiais para patrulhar estações de trem e varrer acampamentos de sem-teto, ao mesmo tempo em que apoia políticas que oferecem uma abordagem mais gentil para pessoas sem-teto e doentes mentais.

De acordo com a lei de Nova York, uma pessoa pode usar força física em outra pessoa se tiver uma crença razoável de que é necessário se defender ou a outros. Mas uma pessoa só pode usar força física mortal se tiver motivos para acreditar que um invasor está fazendo ou prestes a fazer o mesmo.

Sem-abrigo na América

A polícia e os promotores devem determinar quais eram as intenções do motociclista quando ele agarrou Neely, se o motociclista se sentiu fisicamente ameaçado e se outros passageiros acreditavam que tinham motivos para temer por sua segurança, disse Karen Friedman Agnifilo, ex-promotora em escritório do procurador distrital de Manhattan.

“O escritório do promotor vai fazer uma investigação meticulosa, na qual vão entrevistar todas as testemunhas e olhar o vídeo quadro a quadro”, disse ela.

A polícia, que interrogou o homem de 24 anos e o libertou na noite de segunda-feira, disse que estava investigando a morte. Um porta-voz do promotor distrital de Manhattan disse que eles também estavam investigando o caso. Um oficial informado sobre a investigação confirmou a identidade de Neely, embora a polícia ainda não o tenha feito.

+ sobre o tema

Uefa abre processo por caso de racismo da torcida do CSKA Moscou contra Touré

Uefa abre processo por caso de racismo da torcida...

MS cria Cadastro Estadual dos Condenados por Racismo ou Injúria Racial

Foi sancionada e publicada no Diário Oficial de Mato...

Brasil vive guerra racial permanente

“O Brasil é assentado no racismo. Não existe Brasil...

Ajudante demitido por Tiger Woods pede desculpas por comentários racistas

Depois do escândalo sexual que o fez dar um...

para lembrar

Garis: Justiça condena Boris Casoy

A 8ª Câmara de Direito Privado de São Paulo...

Você é racista?, por Caiubi Miranda

Caiubi Miranda - Você também é nazista? Porque racista você...

Carta de repúdio à mídia racista

Há uma nítida ascensão da população mais pobre no...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=